Com China e Brasil, relações Sul-Sul ganham espaço na África

Em 2011, o país asiático ultrapassou os Estados Unidos e se tornou o maior parceiro comercial do continente

O crescimento do Brasil na África na última década não é fato isolado, mas parte de uma mudança nas relações externas do continente. Desde a virada do século, os países desenvolvidos deixaram de ser os únicos parceiros dos africanos e ganharam espaço as nações chamado Sul, que inclui os emergentes e economias em desenvolvimento – principalmente a China.

Prova disso é que a China ultrapassou os Estados Unidos em 2011 e se tornou o maior parceiro comercial do continente. Somente com a África Subsaariana, o comércio chinês saltou de US$ 1 bilhão, em 1992, para US$ 140 bilhões em 2011 – um aumento de quase 140 vezes em duas décadas. Nesse mesmo período, o resultado do Brasil foi um crescimento de 15 vezes.

O movimento decisivo da China em direção à África ocorreu em 2000, com a criação do Fórum de Cooperação China-África. Nos dez anos seguintes, o governo de Pequim concedeu US$ 75 bilhões em ajuda aos países africanos, de acordo com o levantamento do Center for Global Development, de Washington. A principal forma de apoio é o financiamento de obras de infraestrutura.

A política brasileira para a África começou um pouco depois da chinesa, com a primeira viagem do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003. Foi antes disso, contudo, o comércio com os países africanos começou a aumentar.

Na década de 1990, as exportações brasileiras para a África haviam crescido a uma taxa média anual de 4%. Já nos dois últimos anos do governo de Fernando Henrique Cardoso, o salto foi de 33% ao ano – equivalente ao registrado na primeira metade do mandato inicial de Lula. O próprio FHC chegou a manifestar sua decisão de promover “o relançamento da política africana do Brasil”, em 2001, mas deixou a concretização do objetivo para Lula.

Além de China e Brasil, a Índia também aumentou sua presença na África. Entre 2000 e 2010, metade do financiamento para a construção de infraestruturas na África Subsaariana foi concedido pelo Sul. “O Sul está hoje em posição de influenciar e reformular velhos modelos de cooperação para o desenvolvimento graças a recursos acrescidos e às lições colhidas no terreno”, afirmou o Relatório de Desenvolvimento Humano de 2013, das Nações Unidas. A publicação fez um grande elogio ao países emergentes e em desenvolvimento e estampou na capa uma bússola de ponta cabeça, onde o novo norte era o Sul.

Mudança. A economia africana também entrou em um novo momento a partir dos anos 2000. Após a década de 1990, marcada por crise, fome e conflito, a África entrou no século 21 com a intenção de virar o jogo. Em 2001, criou um plano conjunto de desenvolvimento econômico, a Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (Nepad). Em 2002, fundou uma aliança política continental, a União Africana – a exemplo da União Europeia.

Nos anos que seguiram, o número de conflitos violentos diminuiu, mais países passaram a ter eleições regulares e a economia entrou em uma inédita fase de crescimento. Enquanto na década de 1990 a renda nacional per capita na África Subsaariana era representada por uma linha estagnada, em 2000 ela se transformou em uma curva ascendente. De lá até 2012, o crescimento foi de 35%. Guerras, fome e ditaduras são cada vez menos comuns na África. A tônica do momento é o “renascimento africano”.

Fonte: Estadão

+ sobre o tema

Reação de IZA ao saber de indicação ao Grammy Latino viraliza na web

Após ser indicada ao Grammy Latino 2023 na categoria Melhor Interpretação Urbana...

Embarque Imediato Ou Floresce Pitanga Na Trincheira

É preciso a imagem para recuperar a identidade.  Tem-se que...

Liberdade, igualdade, fraternidade e escravidão

A escravidão foi uma das páginas mais triste da...

A nação afro-brasileira

Memória - Entrevista com Clóvis Moura (1981) A...

para lembrar

Sambista Leci Brandão ganha homenagem por seus 70 anos

A sambista Leci Brandão, cantora e compositora de alguns...

Cris Vianna troca avenida pela Bahia

Na edição desta semana da revista "Quem Acontece", Cris...

Festival Ori comemora Dia da Consciência Negra com edição digital

Como celebração à cultura negra e em decorrência do...
spot_imgspot_img

6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

O fim da escravidão no Brasil completa 136 anos em 13 de maio deste ano. Em 1888, a princesa Isabel, filha do imperador do Brasil Pedro 2º,...

Mães e Pais de Santo criam rede de solidariedade para apoiar comunidades de matriz africana afetadas no Sul

Quando a situação das enchentes se agravou no Rio Grande do Sul, Ialorixás e Babalorixás da cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre,...

Iza anuncia que terá uma menina e o nome será Nala

O primeiro bebê de Iza e Yuri Lima já teve o sexo revelado: será uma menina. A cantora contou a novidade aos fãs na noite desta segunda-feira (13),...
-+=