“Ela vai no meu barco”: Casamento na Infância e Adolescência no Brasil

O Brasil – como a América Latina em geral – tem estado ausente de muitas discussões e ações globais em torno do casamento na infância e na adolescência, que em grande parte se concentram em zonas críticas como a África Sub-saariana e o Sul da Ásia. Os dados disponíveis na América Latina e no Caribe, no entanto, mostram que os níveis de prevalência de casamento na infância e na adolescência são mais elevados na República Dominicana, Nicarágua e Brasil e que os números absolutos são mais elevados no Brasil.

Por Alice Taylor, Giovanna Lauro, Marcio Segundo, Margaret Greene, do Promundo 

Getty Images

Este estudo, o primeiro de seu tipo no Brasil, explora as atitudes e práticas em torno do casamento na infância e na adolescência no Pará e no Maranhão, os dois estados brasileiros com maior prevalência da prática. Os resultados confirmam a natureza principalmente informal e consensual das uniões envolvendo meninas com menos de 18 anos nos contextos estudados. A análise destaca as formas em que um casamento na infância ou na adolescência pode criar ou exacerbar fatores de risco (isto é, relacionados a saúde, educação e segurança), enquanto muitas vezes é percebido por meninas ou membros da família como possibilidades de estabilidade em contextos de insegurança econômica e oportunidades limitadas.

Leia o PDF em Português:

“Ela vai no meu barco”: Casamento na Infância e Adolescência no Brasil

 

Leia o PDF em Inglês:

She Goes With Me In My Boat

 

+ sobre o tema

De mucama a doméstica, um belo relato da mulher negra contemporânea

Acompanhei recentemente uma reportagem que dizia que a cada...

Sou Trepadeira, Gozar Não é Privilégio Masculino

Assim como o RACISTA se justifica dizendo: ”eu peço...

A culpabilização da vítima: somos todas Fran

Recebemos uma mensagem de Débora Araújo relatando que um...

para lembrar

spot_imgspot_img

O atraso do atraso

A semana apenas começava, quando a boa-nova vinda do outro lado do Atlântico se espalhou. A França, em votação maiúscula no Parlamento (780 votos em...

Casamento de meninas de até 17 anos de idade diminui 65% em uma década

O país registrou 17 mil casamentos de meninas com até 17 anos em 2022, ou seja, 1,8% do total dos matrimônios brasileiros naquele ano....

Homens ganhavam, em 2021, 16,3% a mais que mulheres, diz pesquisa

Os homens eram maioria entre os empregados por empresas e também tinham uma média salarial 16,3% maior que as mulheres em 2021, indica a...
-+=