Em Moçambique, Anielle Franco assina acordo de combate ao racismo

Enviado por / FonteDo Correio Braziliense

Plano de trabalho prevê intercâmbio cultural e cooperação de conhecimento da história das duas nações

Com agenda intensa em na África do Sul, a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, assinou dois acordos de cooperação de combate à discriminação com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Moçambique. A  Universidade Pedagógica de Maputo (UP-Maputo) e a Universidade Púnguè (Uni-Púnguè) também serão parceiras nessa iniciativa. 

A ação tem como foco as ações de cooperação na disseminação de conhecimento sobre a história e cultura do continente africano, em particular de Moçambique, incluindo também a história afro-brasileira. O plano de trabalho também prevê a realização de intercâmbios técnicos e culturais, além de seminários e capacitações para a promoção da igualdade racial das duas nações.

Anielle Franco comemorou o acordo de cooperação. “Durante muitos séculos, especialmente nos anos 1800, de Moçambique, milhares de nossos ancestrais foram levados ao Brau o sil de maneira forçada. Hoje os seus sangues ainda correm em nossas veias. Vamos retomar essa história e essa memória, fortalecer as conexões e os vínculos afrodiaspóricos”, disse, via redes sociais. 

Para a chefe da pasta, é essencial que os futuros professores troquem experiências para, assim, construir ações antirracistas. “Essa é uma cadeia de educação próspera que se retroalimenta: professores que são formados com a compreensão da história e cultura africana serão aqueles que melhor estarão capacitados para formar as nossas crianças e as futuras gerações sobre a verdadeira história do Brasil”, destacou. 

+ sobre o tema

Campanha “30 dias por Rafael Braga” denuncia racismo estrutural no Brasil

Atividades culturais e rodas de conversa serão usadas para...

Urubu Branco: O racismo explicito

Por Maria Sylvia Oliveira para o Portal Geledés Meu...

O Negro na Política: A trajetória do vereador Leopoldo Silvério da Rocha

O NEGRO NA POLÍTICA: A TRAJETÓRIA DO VEREADOR LEOPOLDO...

para lembrar

O perfumista Jean-Paul Guerlain é acusado de racismo

Por: Julia Salgueiro Ao usar uma palavra inadequada na...

A luta da UFSB no combate ao racismo no Sul da Bahia

A encruzilhada do combate ao racismo hoje tem muitos...

Denúncias por racismo crescem no Facebook

Entre 2011 e 2012, cresceu em 264,5% a quantidade...
spot_imgspot_img

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...

Homens, o tema do aborto também é nossa responsabilidade: precisamos agir

Nesta semana, a escritora Juliana Monteiro postou em suas redes sociais um trecho de uma conversa com um homem sobre o aborto. Reproduzo aqui: - Se liberar o...
-+=