Em parceria com o Instituto Patrícia Galvão, Fundo de População da ONU lança guia sobre saúde sexual e reprodutiva para jornalistas e comunicadores/as

Objetivo é oferecer informações confiáveis, com termos adequados, para uma abordagem em defesa dos direitos humanos e dos direitos reprodutivos

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) lança nesta segunda-feira, 27, em parceria com o Instituto Patrícia Galvão, um guia sobre saúde sexual e reprodutiva voltado para jornalistas e comunicadores/as, para “compreender e comunicar melhor”. O objetivo é oferecer informações nítidas e confiáveis sobre temas relacionados aos direitos reprodutivos, violência de gênero e direitos humanos, de forma a elucidar questões complexas e ajudar a nortear a abordagem de reportagens e produtos de comunicação que envolvam essa temática.

Elaborado pela equipe do Instituto  Patrícia Galvão, sob orientação e revisão do UNFPA, o guia reúne a definição de conceitos básicos, como, por exemplo, saúde sexual e reprodutiva, saúde materna e o que são os direitos humanos; oferece informações sobre como abordar corretamente pautas envolvendo gravidez, parto e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST); e até contextualiza pautas polêmicas como a do aborto, sob uma perspectiva dos direitos reprodutivos. O manual também traz inserções sobre o uso correto de termos e orientações sobre o que evitar.

Para a representante do Fundo de População da ONU no Brasil, Astrid Bant, jornalistas, comunicadores/as e produtores de conteúdo em geral desempenham um papel muito importante ao informar sobre os temas de saúde sexual e reprodutiva e direitos para a sociedade. “Ao trazer essas importantes questões para o debate, essas e esses profissionais ajudam a fomentar o diálogo e são ponte para mobilizar as pessoas na construção de políticas públicas eficazes. Os conteúdos produzidos por elas e eles dão maior visibilidade ao tema, além de trazer dados que ajudam a avaliar o progresso do país em relação aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Para nós, é muito importante estabelecer essa conexão e oferecer informações que possam contribuir com o trabalho e elucidar termos que evitam reproduzir estigma e violência”, afirma.

Jacira Melo, diretora executiva do Instituto Patrícia Galvão, destaca que o objetivo do Guia é estimular a comunicação em defesa dos direitos humanos. “Ao produzir matérias que tratam de questões relacionadas à saúde sexual e reprodutiva, que são sempre temas muito complexos e pessoais, jornalistas e comunicadoras/es devem não apenas informar com precisão e manter a confidencialidade das informações e das fontes, mas especialmente respeitar suas decisões e escolhas individuais, sem julgamentos, e evitar o uso de linguagem e imagens inadequadas, que podem fortalecer estereótipos e preconceitos”.

Sobre o Fundo de População da ONU

O UNFPA é a agência de desenvolvimento internacional das Nações Unidas para questões populacionais. Desde sua criação, em julho de 1967, o UNFPA trabalha para alcançar um mundo em que toda gravidez seja desejada, todos os partos sejam seguros e que todas as pessoas jovens possam alcançar seu pleno potencial. 

Sobre o Instituto Patrícia Galvão

O Instituto Patrícia Galvão é uma organização feminista que desde 2001 atua de forma estratégica na articulação entre as demandas pelos direitos das mulheres e a visibilidade e o debate público sobre essas questões na mídia.

+ sobre o tema

Edson Cardoso fala da imprensa negra e da luta pela consciência negra

Dentro da ideologia vigente, que oculta as desigualdades raciais,...

Imprensa e jornalismo: nada a ver. A desinformação como tática

Por Luciano Martins Costa Imprensa e jornalismo: nada a ver Por...

Folha publica vídeo contra cotas raciais e feministas negras criticam campanha

Por Jarid Arraes Intitulado “Sistema de Cotas: o que a...

TSE proíbe Veja de fazer propaganda de capa

Ricardo Brito O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu liminar na...

para lembrar

Relator da ONU pede que países redobrem esforços contra o racismo na Internet e mídias sociais

O relator especial da ONU sobre formas contemporâneas de...

Assembleia Geral da ONU aprova criação de agência para as mulheres

Deliberação atende proposta do UNIFEM de garantir expressiva presença...

CEOs brasileiros debatem papel do setor privado na promoção dos direitos humanos

Pensar em direitos humanos na hora de traçar as...
spot_imgspot_img

Debate na ONU sobre a nova declaração de direitos da população afrodescendente conta com a presença de Geledés

Geledés - Instituto da Mulher Negra esteve presente na sede das Nações Unidas em Genebra, na Suíça, durante os dias 8 e 9 de...

Movimento Negro na Conferência do Clima da ONU

Depois de 13 dias respirando combustíveis fósseis, nos Emirados Árabes Unidos, andando muitos quilômetros diariamente dentro do Expo Dubai, a COP28, Conferência do Clima...

Moçambicana lança rap pelos 75 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

Não deixe ninguém para trás, ou “Leave no one behind”, é o título da música da rapper moçambicana Iveth. O título relata o percurso...
-+=