Feminismos e masculinidades

Novos caminhos para enfrentar a violência contra a mulher
Blay, Eva Alterman (Coordenador) no Cultura AcadêmicaSinopse
Esta obra discute as causas da violência masculina contra a mulher e propõe uma reflexão sobre as novas práticas que rompam com esse padrão comportamental. Além de vasta apresentação de dados empíricos, os textos coligidos retratam experiências realizadas com homens “em situação de violência”, constituindo um relato que interessa a homens, a mulheres, ao grupo LGBT, enfim, a todos os comprometidos com a construção de relações humanas equitativas.

 

[symple_box style=”boxsucces”]
Feminismos_e_masculinidades-WEB
[/symple_box]

ISBN: 9788579835476
Assunto: Ciências Sociais
Formato: 14 x 21
Páginas: 274
Edição: 1ª
Ano: 2014

 


Sobre o autor
Eva Alterman Blay
Eva Alterman Blay é socióloga; PhD e professora titular sênior da Universidade de São Paulo (USP); senadora entre 1992 e 1995;
inter-regional Adviser da ONU para o setor de Desenvolvimento da Mulher (Viena); fundadora e diretora científica do NEMGE (Núcleo
de Estudos da Mulher e relações Sociais de Gênero). Autora de vários livros e artigos sobre gênero, entre eles: Assassinato de mulheres e direitos humanos, pela Editora 34.

 

 

+ sobre o tema

O retorno do goleiro Bruno, entre a ressocialização e o cinismo

Atleta condenado pelo assassinato de Eliza Samudio é novamente...

Conectas cobra apuração rígida de mortes provocadas por ação da PM

Operação em Paraisópolis evidencia descaso da segurança pública com...

Pandemia amplia canais para denunciar violência doméstica e buscar ajuda

Entre as consequências mais graves do isolamento social, medida...

para lembrar

Vídeo inédito mostra a fúria de Johnny Depp contra sua ex-esposa

O site TMZ publicou um vídeo revelador sobre a...

Cearense Maria da Penha é indicada ao Prêmio Nobel da Paz 2017

A nomeação dos vencedores do maior prêmio mundial de...

Famílias pedem autorização para matar filhas e evitar estupro em Aleppo

Mulheres sírias estariam cometendo suicídio antes de invasão Do O...
spot_imgspot_img

Coisa de mulherzinha

Uma sensação crescente de indignação sobre o significado de ser mulher num país como o nosso tomou conta de mim ao longo de março. No chamado "mês...

Medo de gênero afeta de conservadores a feministas, afirma Judith Butler

A primeira coisa que fiz ao ler o novo livro de Judith Butler, "Quem Tem Medo de Gênero?", foi procurar a palavra "fantasma", que aparece 41...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula Oliveira esperou para testemunhar o julgamento sobre o assassinato de seu filho, o jovem Johnatha...
-+=