Filha de MC Marcinho diz que música a salvou da depressão: ‘Me automutilava’

Ela tem18 anos e conviveu por muito tempo com um quadro de depressão aguda que a fez se automutilar. Filha de MC Marcinho (um dos principais destaques do funk nos anos 90), Marcelly Garcia conta que teve uma adolescência sofrida e que passou por vários tratamentos com psicólogos e psiquiatras, mas só se viu mesmo curada com a música.

Do Extra

“Tive uns conflitos emocionais, nem eu mesma sabia o que estava acontecendo. Tinha uma vida normal, como toda adolescente, mas não conseguia achar motivação em nada que eu fazia. Uma dor tomou conta, e eu precisava arrancar aquela dor, que eu nem sabia de onde vinha. E comecei a transferir para minha pele a minha angústia. A automutilação foi uma busca errada de achar a saída, eu não conseguia pedir ajuda. Cortava meus braços e pernas com gilete e faca”, revela ela.

Marcelly, então, foi diagnosticada com um quadro de depressão que só foi superado com a paixão por cantar e compor. A jovem criou um canal no Youtube e, há três meses, decidiu investir na carreira de cantora e já compôs três canções pop/funk.

“Minha família buscou toda ajuda profissional necessária. Aos poucos, fui colorindo novamente minha história. Comecei a criar vídeos no Youtube. A música me ajudou a enfrentar essa dolorosa fase. Como válvula de escape, comecei a compor, colocar pra fora tudo que sentia através daquilo que amo fazer, que é cantar”.

Filha do meio de quatro herdeiros de Marcinho, Marcelly começou a cantar na igreja aos 7 anos. Dois anos depois, aos 9, gravou uma participação no disco do pai, regravando o sucesso “Pra ver se cola”, do extinto grupo Trem da Alegria. Ela lembra ter tido uma infância difícil na época da escola e que sofreu bullying e preconceito racial.

“Quando o meu pai melhorou de vida, fui para uma escola particular, mas lá, eu era rejeitada por um grupo de meninas brancas por ser negra e acima do peso. Uma vez, umas meninas me seguraram e uma delas esfregou um ralador de pé no meu rosto. Foi uma fase muito difícil, mas Filha de MC Marcinho diz que música a salvou da depressão: ‘Me automutilava’ eu superei”.

+ sobre o tema

13ª Conferência Nacional de Saúde

O sucesso da 13ª Conferência Nacional de Saúde marca...

Mulher negra ainda encontra dificuldades no acesso à saúde

Por Fernando Pivetti - [email protected] Na Faculdade de Direito (FD) da USP,...

para lembrar

Preconceito reduz lazer de mulheres e negros, diz embaixadora de Gana

Especialista em questões étnicas e de gênero, Abena Busia...

Maju

Enfrentar o racismo no Brasil há algumas décadas era...

Saudades Edna Muniz

Com profundo pesar, que comunicamos o falecimento da Edna...

7 Mitos sobre crespos naturais para não acreditar mais

Adoro observar as Meninas e suas texturas crespas por...
spot_imgspot_img

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

Seminário promove debate sobre questões estruturais da população de rua em São Paulo, como moradia, trabalho e saúde

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos D. Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...
-+=