Herdeiro de Mãe Bernadete vai contratar perícia particular para investigar assassinato

Escritório do advogado Hédio Silva Jr. passará a atuar em defesa dos interesses da família da líder quilombola

A família da líder quilombola Bernadete Pacífico, que foi assassinada a tiros em agosto deste ano, irá contratar peritos particulares para revisar todo o trabalho de perícia do local do crime, o laudo de sua morte e os protocolos de proteção que vinham sendo adotados antes da execução da sacerdotisa.

As medidas foram definidas após o físico nuclear Jurandir Patrocínio, único filho vivo de Mãe Bernardete, contratar o escritório do advogado Hédio Silva Jr. para defender os interesses de sua família e do Instituto Mãe Bernadete Pacífico, que será criado para preservar a memória da liderança quilombola.

“Mãe Bernadete tem uma trajetória ímpar na luta do povo preto, quilombola e de religiões afro por dignidade e justiça. Todos aqueles indivíduos e gestores que, por ação ou omissão, provocaram direta ou indiretamente seu suplício, ou pretendem locupletar-se com sua morte, responderão nos exatos termos da lei”, afirma o advogado.

“É uma honra, para um filho de Xangô, defender o legado de uma grande brasileira quilombola como ela”, diz ainda Silva Jr., que também é coordenador do Instituto de Defesa dos Direitos das Religiões Afro-Brasileiras (Idafro).

Antes de sua execução, Mãe Bernadete já havia recebido ameaças e fazia parte de um programa de proteção a defensores de direitos humanos do Governo da Bahia. Câmeras foram instaladas em sua casa e no entorno, e policiais faziam visitas periódicas ao local, mas não havia uma vigilância constante.

A sacerdotisa foi morta aos 72 anos de idade. Ela estava junto dos netos quando dois homens chegaram na casa ao lado do terreiro de candomblé que comandava em Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, e a assassinaram com 14 tiros.

A luta contra os ataques a terreiros e o assassinato de lideranças religiosas de matriz africana na região se intensificou após o assassinato de seu filho mais velho, Flávio Gabriel Pacífico dos Santos, em 2017.

Conhecido como Binho do Quilombo, ele era um dos líderes quilombolas mais respeitados da Bahia e defendia a titulação do Quilombo Pitanga dos Palmares, em Simões Filho. O caso segue sem solução após três anos de investigação da Polícia Civil e outros três da Polícia Federal.

Atualmente, Jurandir Patrocínio cuida dos três filhos do irmão assassinado e é responsável pela comunidade quilombola. É ele também quem lidera os esforços para o lançamento do instituto em memória à sua mãe.

+ sobre o tema

Cotas para brancos na universidade

Por Nelma Cristina Silva Barbosa* As cotas sempre são...

Denúncias de racismo na internet crescem 81% em 2014, aponta levantamento de ONG

Aumento foi observado na comparação entre os primeiros semestres...

Exemplo de racismo na pintura brasileira

O mito bíblico da maldição lançada por Noé sobre...

para lembrar

Comunicado do Colégio Anhembi Morumbi sobre o caso de racismo e a ‘boa aparência’

do Colégio Internacional Anhembi Morumbi para o Portal Geledés  ...

‘Racismo é uma doença dos ignorantes’, dispara holandês Gullit

O ex-craque holandês Ruud Gullit compareceu nesta segunda-feira...

Juiz da Flórida, EUA, ordena nova prisão de réu em caso de racismo

Homem matou um adolescente negro e diz ter agido...

Rio Ferdinand expressa revolta com racismo contra seu irmão

Rio Ferdinand disse ter sido frustrante ver seu irmão...
spot_imgspot_img

Revolucionário, mas não é para todos

Passei os últimos dias pensando no significado e na profundidade de uma postagem que li numa rede social contendo a afirmação: "Descansar é revolucionário!"....

‘Nossa missão é racializar as políticas públicas em todo país’

Nomeado recentemente  como novo secretário de gestão do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir), o jornalista baiano Yuri Silva tem uma tarefa...

‘A escola precisa naturalizar a cultura negra’, diz autor de ‘O Avesso da Pele’ que estará no Festival LED

Autor de “O Avesso da pele” e um dos convidados do Festival LED, nos dias 21 e 22 deste mês, Jeferson Tenório lembra com...
-+=