Jurema Werneck recomenda livro com visão de mulher negra diante da pandemia

Para a médica, comunicadora e ativista do movimento de mulheres negras, Jurema Werneck, Negra percepção, de Rachel Quintiliano é "um livro de águas, ora calmas, ora puro turbilhão". Lançamento da publicação acontece no próximo dia 14/11, em São Paulo

Segundo a ativista, pode-se encontrar também no livro, Negra percepção sobre mim e nós na pandemia, um conjunto de cicatrizes individuais, adquiridas na pandemia e por tudo mais que a injustiça oferece para as mulheres negras, ao mesmo tempo que reconhece na publicação, caminhos para esperançar. 

“É um livro de águas, ora calmas, ora puro turbilhão, que Rachel nos oferece. Num texto simples e agudo, oferece as águas com a nitidez do espelho, expondo o que somos – nós e aqueles outros que também deveriam ser parte do nós, mas a quem seu próprio racismo faz afastar, romper o pacto humano e, vezes demais, violentar. Nele, encontraremos também “um conjunto significativo de cicatrizes” (nas palavras da autora): as nossas, trazidas pela pandemia e pelo mais que a injustiça oferece a mulheres negras e a pessoas negras em geral. É neste livro-água-espelho que vamos encontrar, principalmente, o bom que há em nós e ter esperança”, diz Jurema Werneck. 

Capa e Contracapa do livro: Negra percepção sobre mim e nós na pandemia da autora Rachel Quintiliano (Divulgação)

O principal objetivo da jornalista e promotora da equidade de gênero e raça, Rachel Quintiliano (@rachelqtl), ao escrever o livro, foi refletir e compartilhar uma leitura de mundo. Ela desejava fazer isso a partir de um lugar específico de fala.

Assistir, ouvir, ler e, até certo ponto, sentir sobre o impacto da pandemia de Covid-19 na vida de pessoas negras atravessou a escrita de Rachel Quintiliano. Isso abriu espaço para conversas sinceras, cheias de posicionamentos, reflexões e dúvidas expressas em sua coluna mensal em um veículo de imprensa negra. Agora, essas reflexões estão reunidas em livro. 

A partir de uma série de artigos sobre temas diversos, escritos entre 2020 e 2022 e divididos em três capítulos, a publicação apresenta um olhar sobre como a pandemia afetou de maneira distinta indivíduos negros e não negros. Além disso, a pandemia também causou sofrimento, abriu espaço para uma política de morte e revelou estratégias de resistência em um contexto de democracia frágil.

Serviço: Lançamento do livro “Negra percepção: sobre mim e nós na pandemia”, de Rachel Quintiliano

Data e horário: 14/11, às 18h. 

Local: Tapera Taperá. Galeria Metrópole. Av. São Luís,187, loja 29. República. São Paulo SP.

Sobre a autora

Rachel Quintiliano é jornalista, defensora dos direitos humanos e escritora. Com uma abordagem simples, escreve sobre ser mulher negra na atualidade, que inclui passar por temas como racismo, machismo, discriminação, resiliência e amor-próprio.

Seus escritos são acessíveis, interessantes e uma fonte confiável de informações, porque são baseados em acontecimentos públicos, pesquisas e experiências pessoais, oferecendo uma visão aprofundada sobre cada tema. www.rachelquintiliano.com

Ficha técnica

Autora: Rachel Quintiliano

Direção editorial: Joselicio Junior 

Apresentação: Hamalli Alcântara

Orelha: Oswaldo de Camargo

Formato: 14×2 cm

Páginas: 96

Ano de Publicação: 2023

ISBN: 978-65-88586-23-5

Contato para entrevistas

Rachel Quintiliano [email protected] 11. 99969-9797

+ sobre o tema

Drag queen é agredida com golpes de foice em São Gonçalo

Jovem de 19 anos estava em uma lanchonete no...

Gays protestam por adolescente morto: ‘não foi suicídio’

Cerca de 500 pessoas caminharam pelas ruas do centro...

Canditada transexual causa polêmica em concurso para eleger Miss Canadá

Ninguém pediu ao magnata Donald Trump, produtor do concurso...

70 parlamentares do Brasil se comprometem em protocolar projeto que cria Dia Marielle Franco contra violência política

Ação articulada pelo Instituto Marielle Franco, organização fundada pela...

para lembrar

Violação à intimidade: o gênero epistolar em A cor púrpura, de Alice Walker por: Waltecy Alves dos Santos

RESUMO: Neste artigo propomo-nos refletir sobre a inserção do gênero...

‘Sense8’, série da Netflix, terá cenas gravadas em São Paulo durante a Parada do Orgulho LGBT

Os fãs paulistanos de Sense8 podem comemorar. Em breve a cidade...

Nova York passa a reconhecer 31 gêneros diferentes

A Comissão de Direitos Humanos de Nova York (EUA)...
spot_imgspot_img

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....

Documentário sobre Ruth de Souza reverencia todas as mulheres pretas

Num dia 8 feito hoje, Ruth de Souza estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O ano era 1945. Num dia 12, feito...
-+=