Juristas classificam discurso de Dilma como “histórico”

Pelas redes sociais, juristas de diversas áreas comentaram o discurso da presidenta Dilma Rousseff em sua defesa no processo de impeachment no Senado, nesta segunda-feira (29).

Do Vermelho

“Discurso histórico. A história tratará de julgar Michel Temer e seus asseclas. Aliás, o nome de Michel Temer desonra a PUC-SP, símbolo de luta pela democracia, e seu nome deve ser devidamente varrido de sua história”, afirma Rafael Valim, professor da PUC e especialista em Direito Constitucional pela Universidad Castilla-La Mancha, da Espanha.

Para ele, o interino Michel Temer “será sempre, para além de um doutrinador medíocre, um golpista, traidor da Constituição que jurou respeitar”.

O também professor de Direito Constitucional da PUC, Pedro Serrano, afirmou que, se confirmado o impeachment, o pacto da democracia estará rompido.

“Aparte o absurdo jurídico e o grave ataque a democracia que, em meu entender, o impeachment significa, tenho muito receio do que pode nos reservar o futuro. A ausência de consenso social consistente quanto a sua legitimidade e adequação, abre uma ferida histórica. A democracia depende de pactos procedimentais sólidos. O nosso será, definitivamente, rompido hoje”, advertiu Serrano.

E completa: “Espero, sinceramente, que tudo se resolva bem. Mas tenho receio que essa crise política não termine aqui. Aliás, que ela se agrave doravante, em especial se a economia não recuperar e o novo governo insistir em soluções contrarias aos direitos sociais”.

Brenno Tardelli, editor do site Justificando, especializado em questões jurídicas, também classificou o discurso como “histórico”. ”Mulher de fibra… A consciência de quem lutou contra o golpe está limpa”, enfatizou.

O advogado e ativista de direitos humanos Renan Quinalha destacou: “Mesóclises e ‘português impecável’ ficam no chão com um discurso de quem sente o peso da injustiça, tem a lucidez de quem está do lado certo e ostenta dignidade de sobra para se defender. Depois desse pronunciamento histórico, quem votar a favor desse impeachment no Senado não merece nada além da alcunha de canalha golpista”.

+ sobre o tema

Lancellotti, Varella, Suplicy e outros

Minha filha me pergunta qual é o nome do...

Movimentos sociais comemoram decisão da Câmara sobre os royalties

Projeto de lei destina 75% dos recursos para a...

Dilma indica Luiz Fux para 11º vaga no STF

A presidente Dilma Rousseff indicou nesta terça-feira (1º/2) o...

URGENTE: Fórum 21 convoca a intelectualidade brasileira à defesa da democracia, contra o golpe

Resistir ao golpe para construir um Brasil mais justo...

para lembrar

Fundo para a campanha das candidatas negras

Apesar do baixo-astral reinante na terra-brasilis, entrei em 2018...

Fátima Oliveira: O feminismo brasileiro ficou menor com a partida delas

"O mundo é mágico. As pessoas não morrem, ficam...

Trabalho Escravo: Ruralistas defendem a escravidão no país

Os lucros obtidos, o envolvimento de setores dinâmicos da...

Pesquisadora brasileira ganha prêmio literário na Itália e o dedica a Lula. Vídeo

“Este prêmio é dedicado a Luiz Inácio Lula da...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Militares no alvo

Nada na operação da Polícia Federal ontem chamou mais a atenção que o envolvimento da alta cúpula militar do governo Jair Bolsonaro na trama golpista. As...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...
-+=