Lupita Nyong’o é a melhor atriz coadjuvante no Oscar 2014

[images_grid auto_slide=”no” auto_duration=”1″ cols=”four” lightbox=”yes” source=”media: 103432,103431,103430,103429,103428,103427,103426,103425,103424,103423,103422,103421,103420,103419,103418,103417,103416″][/images_grid]

A trajetória da atriz Lupita Nyong’o emociona: em sua estreia no cinema, ela venceu o Oscar de melhor atriz coadjuvante por 12 Anos de Escravidão. Visivelmente abalada, disse com a voz embargada, entre lágrimas, que, ao olhar para a estatueta, pensava em cada criança que tem um sonho. “Não importa de onde você seja, seu sonho tem valor.

Em seu discurso, prosseguiu: “Obrigada pelo reconhecimento. Steve McQueen, muito obrigada por ter me colocado nesta posição. Você mudou minha vida.”

Certamente, até o longa de McQueen, Lupita era uma jovem estudante da Yale School of Drama. Quando recebeu a ligação e soube que conseguira o papel, ficou feliz. “Depois, entrei em pânico imediatamente. Fiquei muito, muito assustada.” Quando as filmagens começaram, porém, a atriz foi ganhando confiança.

Filha de um político queniano, Lupita nasceu na Cidade do México, e seu nome é um derivado de Nossa Senhora de Guadalupe. Com menos de um ano de idade, sua família voltou ao Quênia, onde a jovem viveu até os 16 anos.

“Não parecia real ate Christopher Waltz dizer meu nome. Estou muito feliz de estar acompanhado desse homem dourado”, disse Lupita Nyong’o aos jornalistas assim que saiu do palco com sua estatueta, informa Ubiratan Brasil, direto de Los Angeles.

“Não tenho que ser outra pessoa, sou quem devo ser, é o certo. Você tem de tornar possível o impossível. Sei que meu país está ao meu lado, me desejando sorte, milhares de pessoas me desejaram sorte. O fato de eu ter ganhado enquanto tanta gente não consegue realizar seus desejos em meu país, isso é uma bênção.”

Fonte: Estadão

+ sobre o tema

Blocos afro realizam oficinas voltadas para cultura negra em Salvador; veja

Interessados devem ter a partir de 16 anos; eles...

Parceria entre África e China desperta EUA

Os africanos pedem aos Estados Unidos da América um...

Daurene Lewis

Daurene E. Lewis é uma política e educadora canadense. Nascida...

para lembrar

Cantor do Racionais MC’s, Mano Brown apresenta show de soul e musica black

Há 25 anos à frente dos Racionais MC's, o...

II edição da Festa Audácia acontece na sexta-feira santa

Liderada pela rapper Preta Rara, a festa reúne convidados...
spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...
-+=