Memórias: Kwame Nkrumah

Por: ANTONIO ATEU

Kwame Nkrumah (21 de setembro de 1909 – 27 de abril de 1972) foi um grande lutador e divulgador do pan-africanismo, numa permanente luta contra a “balcanização” de África, como estratégia imperialista da dominação sobre o continente. Por António José André.

Kwame Nkrumah estudou em escolas católicas, no Gana. Em 1935, foi para os Estados Unidos, onde se diplomou em arte, teologia, filosofia e educação. Com um percurso académico notável, desdobrou-se em palestras na Universidade Lincoln.

Nessa altura, Nkrumah foi eleito presidente da Organização dos Estudantes Africanos dos Estados Unidos e Canadá. Em 1945, ajudou a organizar o sexto Congresso Pan-Africano, em Manchester (Inglaterra).

Depois disso, Nkrumah começou a trabalhar para a descolonização de África. Em 1957, quando ocorreu a independência do Gana, foi Primeiro-Ministro até 1960 e depois Presidente da República até 1966.

Em 1966, houve um golpe de estado militar no Gana, enquanto Nkrumah se encontrava numa visita a Hanói (Vietname). Nkrumah não voltou para o Gana, mas continuou a impulsionar a sua visão sobre a unidade africana.

Viveu exilado na Guiné-Conacri, como convidado do Presidente Ahmed Sekou Touré. Nkrumah faleceu, em 1972, tendo sido sepultado na vila onde nasceu: Ncroful. O nome de Kwame Nkrumah está no coração do pensamento Pan-Africano1.

Foi autor de vários livros, entre eles, “Africa Must Unite” (1963), “African Personality” (1963), “Consciencism” (1964), “Neo-Colonialism, the Last Stage of Imperialism”2 (1965), “Handbook for Revolutionary Warfare” (1868) e “Class Struggle in Africa” (1970).

Ao longo da sua vida, Nkrumah foi premiado com vários títulos de “Doutor Honoris Causa” pela Universidade Lincoln (EUA),Universidade Estatal de Moscovo (Rússia), Universidade do Cairo (Egito), Universidade Humboldt de Berlim (Alemanha) e muitas outras universidades.

http://www.marxists.org/subject/africa/nkrumah/neo-colonialism/

http://www.esquerda.net/artigo/memorias-kwame-nkrumah/34188

 

Leia Também: 

Kwame Nkrumah

Hoje na História, 1909, nascia Kwame Nkrumah

 

 

 

Fonte: GGN

 

+ sobre o tema

Racismo é um câncer no Brasil, coisa de baixa escolaridade, diz Djavan

A imagem estampada em "Desúvio", novo disco de Djavan,...

Afroecuatorianos construyendo su destino

Por Jesús Chucho García Este fin de semana se...

A história do racismo no futebol brasileiro

Por Julio Ribeiro Xavier   Em tempo de Copa do Mundo,...

Apartheid sanitário que ocorre na África não é um acidente

A perspectiva de melhoria regional na pandemia, com alguns...

para lembrar

Aos 4 anos, filha de Serena Williams mostra habilidade com raquete de tênis

Com apenas quatro anos, Alexis Olympia Ohanian Jr. mostrou...

Ludmilla encontra Rihanna em Paris e se declara: “É muita luz”

Ludmilla saiu direto da folia do carnaval para encontrar ninguém...

As marcas urbanas da violência colonial

Porque hoje é 13 de maio, uma data de...
spot_imgspot_img

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Nota de pesar: Flávio Jorge

Acabamos de receber a triste notícia do falecimento do nosso amigo e companheiro de militância Flávio Jorge, o Flavinho, uma das mais importantes lideranças...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=