Mulher é presa após chamar homem negro de “macaco” e “da senzala” em ônibus do litoral de SP

Uma mulher foi presa em flagrante após xingar um homem negro com ofensas racistas dentro de um ônibus em Praia Grande, no litoral paulista, no último sábado (10). A vítima, um autônomo de 29 anos, conta que estava conversando com a esposa no transporte quando foi surpreendido com os ataques.

Em vídeo gravado por um dos passageiros, é possível ouvir quando ela diz “Macaco. Macaco fedorento. Tu não presta, tu é preto da senzala. Crioulo fedido. Tira os óculos e vai catar papelão vagabundo”.

O autônomo contou ao G1 que a mulher chegou a ofendê-lo com outros xingamentos. Surpreendido pelos ataques, o homem perguntou “a senhora está falando comigo?”, momento que a mulher reforçou que as ofensas eram sim para ele e o chamou novamente de macaco.

Em seguida, a mulher tentou descer do ônibus, mas a vítima e a esposa bloquearam a passagem. “Eu travei a passagem, sem encostar nela, e falei que ela não sairia enquanto a polícia não chegasse”, conta o homem ao portal.

O homem ainda relata que, enquanto travava a passagem da mulher, ela disse que ele tentava assaltá-la. “Falou que eu era imundo, além dos outros xingamentos. Eu não a ofendi, apenas falei ‘espera a viatura chegar’. Então ela disse ‘quando a viatura chegar você vai preso’, quando perguntei o porquê, ela respondeu ‘porque você é preto, macaco, da senzala e tem que estar na cadeia’”, relata.

O caso foi registrado como injúria racial pelo 1º DP de Praia Grande, onde a mulher foi presa em flagrante.

+ sobre o tema

Não Dunga, eu não gosto de apanhar!

O técnico da seleção brasileira de futebol, Carlos Caetano...

“Racismo coletivo” na loja “Belíssima” no Madureira Shopping

Este é mais um caso de racismo do cotidiano...

No caso Rafael Braga depoimento da polícia basta

Único condenado nos protestos de 2013 por portar frasco...

para lembrar

As cabeças dos racistas – Afonso Nascimento

Tratar do racismo em Sergipe é um assunto delicado,...

Missa para homenagear quilombos é alvo de ofensas em São Luís

Comentários até em tom de ameaça foram classificados pela...
spot_imgspot_img

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...
-+=