Mulheres negras são mais vulneráveis ao desenvolvimento de miomas

Mulheres com histórico familiar, obesidade e sem filhos também são mais propensas a desenvolver tumores no útero

Do Tribuna da Bahia 

As afrodescendentes têm mais predisposição a desenvolver miomas uterinos, tumores benignos que acometem boa parte das mulheres em idade fértil.

Embora ainda não exista explicação que justifique essa suscetibilidade, a recomendação é que as mulheres negras redobrem os cuidados em relação à doença, já que os miomas podem trazer consequências à saúde.

Mulheres com histórico familiar, obesidade e sem filhos também são mais propensas a desenvolver tumores no útero.

“Apesar de serem benignos e, na maioria dos casos assintomáticos, os miomas podem causar complicações a depender do seu tamanho e localização. Eles podem causar compressão sobre a bexiga e o intestino, o que provoca desconforto urinário e constipação intestinal. Também causam aumento do volume do abdômen, abortamentos e até infertilidade”, explica o especialista em ginecologia e diretor médico do Centro de Pesquisa e Assistência em Reprodução Humana (Ceparh), Jorge Valente.

Cólicas menstruais, fluxo menstrual intenso e dor durante o ato sexual são outros sintomas. “O sangramento intenso às vezes chega a causar anemia”, explica o médico.

Existem quatro tipos diferentes de miomas, classificados de acordo com a região do útero onde eles se desenvolvem: subserosos, intramurais, submucosos e pediculados.

O médico Jorge Valente afirma que o tratamento indicado depende de uma série de fatores, como a localização do mioma, o tamanho, a quantidade de nódulos existentes e os sintomas.

“O tratamento também deve levar em conta a idade da mulher e se ela ainda deseja engravidar”, acrescenta o especialista.

Dentre as técnicas cirúrgicas que podem ser usadas no tratamento, estão a videohisteroscopia, a videolaparoscopia ou até mesmo a histerectomia (retirada total ou parcial do útero).

Existe ainda uma técnica chamada de embolização, que é consiste na oclusão das artérias que irrigam os miomas.

+ sobre o tema

Adriana Moreira, porta-voz do tempo

Era uma casa verde, habitada por sete mulheres pretas,...

Caminhada contra preconceito racial percorre praias do Leme e de Copacabana

"A realização da pré-marcha faz parte da mobilização do...

para lembrar

Ativismo e migração – A atuação da mulher negra em contexto internacional

No dia 25.07.18 o coletivo de teatro das oprimidas Anastácia-Berlim,...

O surrealismo político de extração macarthista no Brasil

Não tem sido fácil a vida sob o cerco...

“Tem existido resistência das mulheres negras lésbicas das quebradas”, diz ativista

Cinthia Abreu, da Marcha Mundial das Mulheres, diz que...
spot_imgspot_img

Mulheres pretas e pardas são as mais afetadas pela dengue no Brasil

Mulheres pretas e pardas são o grupo populacional com maior registro de casos prováveis de dengue em 2024 no Brasil. Os dados são do painel de...

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...
-+=