sexta-feira, dezembro 9, 2022
InícioQuestões de GêneroMulher NegraNão comemore que uma Globeleza foi trocada por uma mulher negra que...

Não comemore que uma Globeleza foi trocada por uma mulher negra que a Globo acha bonita

1- Mulheres negras só tem visibilidade em programações como a da Globeleza porque ainda somos tratadas como objetos só de desejo e diversão. Não dá para não interseccionar machismo e racismo para entender o porquê da necessidade de se colocar uma negra dançando seminua no Carnaval, na TV;

Por Stephanie Ribeiro, do Festival Marginal 

2- A representatividade negra na televisão é mínima e mesmo assim fruto de muita luta. Não dá para não questionar todo o racismo por trás da Rede Globo;

3- Não existe negra de verdade e nem negra de mentira, existem padrões de beleza pautados na branquitude que colocam a beleza de uma mulher negra como sendo superior a de outras mulheres negras, por ela se aproximar do que a própria branquitude pauta como bonito. Não entrem nesse jogo de achar que existe uma competição entre negras, existe um mundo racista e nenhuma beleza é superior a outra;

4- A própria Rede Globo tenta embranquecer suas “musas” as chamando de morena/mulatas. Isso é tentativa de amenizar a identidade delas, que julgam ser ofensiva. Mas ser NEGRO não é ofensivo! Além do mais, mulata é um termo machista, de origem espanhola, e a palavra vem de MULA, que nada mais do que o cruzamento entre cavalos e jumentas, no caso homens brancos senhores e estupradores e mulheres negras escravas;

5- Trataram a Nayara Justino de forma desumana, racista, humilhante e ainda criaram a ilusão de que a beleza de Érika Moura, a nova Globeleza, é superior a dela, quando não é. Por favor não comprem essa ideia;

6- Não somos exóticas! Somos mulheres negras belas e reveja o que você atribui como beleza exótica, pois geralmente essa expressão é direcionada à mulheres negras próximas ao padrão da branquitude, como Camila Pitanga, que é negra sim! E nunca vai deixar de ser;

7- E gostos e preferências se discutem, sim! O conceito de beleza também! Vivemos num mundo racista e machista, ONDE GOSTO É CONSTRUÍDO! Não querer discutir e desconstruir, não agrega em nada na luta contra tais opressões.

Globeleza3

 

Leia Também: 

Após comentários racistas de que Nayara Justino seria muito ‘preta’, Globo troca a Globeleza por uma mais clara
Entrevista com Stephanie Ribeiro

Universidade opressora, não passará e nem calará – Por Stephanie Ribeiro

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench