Guest Post »

Novembro Negro tem programação de resistência e enfrentamento ao racismo em Uberaba

Começa a programação da campanha Novembro Negro em Uberaba. O mês é marcado pelas reflexões em torno do Dia da Consciência Negra

por JM Online

Carmem Amâncio, coordenadora de Políticas de Igualdade Racial da FCU, diz que o momento não é necessariamente de comemoração, mas de reflexão – Imagem: JM Online

Começa a programação da campanha Novembro Negro em Uberaba. O mês de novembro é marcado pelas reflexões em torno do Dia da Consciência Negra (20), data que simboliza a morte de Zumbi dos Palmares. No mês busca-se pensar questões sobre a população negra e as diversas formas de resistência e enfrentamento ao racismo. Pensando nisso, a Fundação Cultural e parceiros elaboraram programação com diversas atividades em alusão ao tema.

De acordo com a coordenadora de Políticas de Igualdade Racial da FCU, Carmem Amâncio, a simbologia da data, em memória de Zumbi dos Palmares, não é necessariamente uma festa de comemoração, mas sim com o intuito de resgatar a memória da luta de Zumbi, fazendo assim uma reflexão de diversas questões relacionadas ao negro, como o mercado de trabalho, as universidades, enfim, o avanço da luta do povo negro. “Vamos desenvolver várias atividades durante este mês, que começam nesta semana e seguem até 30 de novembro. Já começamos com uma roda de conversa nas escolas, que trata sobre o tema racismo com alunos dos 6º e 7º anos. Vamos realizar também palestras nas escolas sobre a doença anemia falciforme. Além disso, vamos promover ao longo do mês um sarau com apresentações, exposições de artesanato e uma feira”, explica.

Já em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, será realizada uma caminhada com o tema “A contribuição do Negro na Sociedade Brasileira, e as mulheres negras”. A concentração será às 10h, no Mercado Municipal, e o grupo seguirá em passeata até o Santuário de Nossa Senhora da Abadia, onde vai acontecer, às 12h, um culto ecumênico. Às 13h acontece uma batucada, com a participação de terreiros de umbanda e candomblé e demais religiões que estiverem presentes.

A programação segue mesmo depois do Dia da Consciência Negra. Em 23 de novembro será realizada palestra sobre a Lei Federal 10.639/2003, que exige que escolas públicas e particulares tenham o ensino afro. Segundo Carmem, inclusive o município já vem fazendo esse trabalho entre FCU e Secretaria de Educação. Para fechar a programação, em 30 de novembro acontece a Missa dos Quilombos, no pátio da igreja São Domingos, às 19h.

Artigos relacionados