O Fundo Malala defende o direito de todas as meninas a 12 anos de educação gratuita, segura e de qualidade

Enviado por / FonteDo Fundo Malala

Nosso Programa para Meninas oferece as ferramentas de que precisam para defender a educação e igualdade em suas comunidades e uma plataforma para que suas vozes sejam ouvidas pelo mundo. Ao apoiar jovens ativistas, investindo em organizações locais e ampliando as vozes de mulheres jovens, o Fundo Malala está criando um mundo onde as meninas têm liderança para superar as barreiras que impedem seus sonhos de se realizarem.

O Programa para Meninas do Fundo Malala está atualmente recebendo inscrições para seu mais recente ciclo de financiamento.

Quem estamos financiando
Nossos financiamentos apoiam movimentos feministas e liderados por mulheres, grupos e organizações que enfrentam as barreiras que impedem meninas e mulheres jovens de concluírem sua educação.

O Fundo Malala aceita candidaturas que cumpram os seguintes critérios:

1. Você é uma organização não governamental (ONG), organização de base comunitária (OBC), ou movimento em Bangladesh, Brasil, Etiópia, Índia, Nigéria, Paquistão ou Tanzânia.
2. Seu trabalho apoia meninas e mulheres de 10 a 24 anos que são impedidas de desenvolver sua atuação e usufruir de seus direitos devido a desigualdades sistêmicas, discriminação ou opressão.
3. Você não precisa estar formalmente registrado para receber financiamento, exceto na Índia, onde exigimos o registro nacional e da Lei de Regulamentação de Contribuição Estrangeira (FCRA em inglês) e uma conta bancária da organização que permita você receber financiamento estrangeiro.
4. Você se identifica como ou está trabalhando pra se tornar uma organização feminista e/ou liderada por mulheres. O Fundo Malala define o feminismo como o trabalho em prol da igualdade de direitos e oportunidades para todos os gêneros e para desmantelar os sistemas de opressão, mas reconhece que o feminismo depende do contexto e das circunstâncias, e acolhe todos os tipos de movimentos, grupos e organizações feministas. Definimos liderados como pelo menos 51% pertencentes, operados e controlados por uma ou mais mulheres.
5. Seu movimento, organização ou grupo está operacional há pelo menos um ano.
6. Você tem um orçamento anual de menos de US$150.000. Nota: o Fundo Malala considerará sua aplicação se o seu orçamento anual estiver acima de US$150.000, mas priorizará aqueles com orçamentos abaixo deste limite.

Para o quê você pode aplicar
O Fundo Malala concederá financiamento de US $75.000 a US $100.000 que podem ser usados para apoio operacional geral ou em projetos em um período de 12 meses a três anos.

Esses financiamentos são irrestritos e flexíveis, o que significa que você pode usá-los para qualquer aspecto do trabalho, incluindo custos operacionais gerais (por exemplo, salários, espaço de escritório, despesas administrativas) e atividades e projetos que façam avançar sua missão (por exemplo, campanhas, treinamentos, programas). Queremos que o financiamento trabalhe para você. Saiba que você pode ajustar seu plano de gastos do financiamento se suas prioridades e circunstâncias mudarem durante o período do projeto.

No momento, o Fundo Malala não pode financiar:
> Entidades governamentais, partidos e associações políticas, organizações com filiações políticas ou organizações internacionais que propõem projetos em parceria com organizações locais.
> Bolsas de estudo ou financiamento para indivíduos. As organizações podem usar o financiamento para cobrir o custo de estipêndios, diárias e outras despesas relacionadas às suas atividades.

Como aplicar
Preencha o formulário abaixo até sexta-feira, 28 de janeiro de 2022. O formulário também está disponível em bengalihauçáhíndiportuguêssuaíli e urdu. O Fundo Malala compartilhará as decisões sobre o financiamento com os beneficiários em março de 2022. Para ver as perguntas de inscrição antes de se inscrever, clique aqui.

Teremos prazer em responder a quaisquer perguntas que você tenha durante o processo de inscrição. Envie um e-mail para [email protected].

+ sobre o tema

Rotina de professoras negras será retratada em documentário sobre Diáspora Africana

Podemos construir uma escola que valorize a ancestralidade africana?...

Oxfam e FNPI lançam bolsa de jornalismo sobre desigualdade

Bolsa de US$ 5 mil está com inscrições abertas...

Kaya Thomas criou um app que te ajuda a encontrar livros de autores negros

A alfabetização da comunidade negra foi um dos gritos...

para lembrar

Narrativas não expressam diversidade brasileira, dizem escritoras

Mais de 70% dos livros publicados no Brasil entre...

Mulher Negra Brasileira Um Retrato – Rebecca Reichmann

A opinião publica brasileira raramente reconhece ou critica os...

Lute como uma garota! – Gênero e Democracia na Escola

Superar o machismo e o racismo é parte fundamental...

Thorning-Schmidt é nomeada primeira-ministra da Dinamarca

A líder dos social-democratas dinamarqueses, Helle Thorning-Schmidt, foi oficialmente...
spot_imgspot_img

Geledés promove em sua sede segunda edição de formação de gestores em equidade de raça e gênero na educação

Geledés - Instituto da Mulher Negra realiza em sua sede, na cidade de São Paulo, o curso Formação de Gestoras e Gestores em Equidade...

Homens ganhavam, em 2021, 16,3% a mais que mulheres, diz pesquisa

Os homens eram maioria entre os empregados por empresas e também tinham uma média salarial 16,3% maior que as mulheres em 2021, indica a...

Com Rede Malala, Nobel da Paz pede que governo brasileiro ouça meninas e sociedade civil

A mais jovem vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Malala Yousafzai, realizou uma visita de uma semana ao Brasil para se encontrar com integrantes...
-+=