O racismo como fator de risco na violência contra a mulher

Marjorie Chaves, coordenadora do Observatório Pop Negra, avalia que as leis sobre violência de gênero precisam abordar o racismo

A coordenadora do Observatório Pop Negra da Universidade de Brasília (UnB), Marjorie Chaves, foi uma das especialistas a falar na segunda edição do Correio Debate, com o tema Combate ao Feminicídio: responsabilidade de todos. No painel Redes de Apoio contra a violência: educar para transformar, Marjorie destacou a importância do recorte de raça na problemática da morte de mulheres em razão de gênero.

A coordenadora do observatório avalia que, sim, o feminicídio é um problema que atinge mulheres dos mais diversos grupos sociais, mas são as mulheres negras, que em sua maioria são moradoras de periferias e que têm trabalhos precários, a maior parte entre as vítimas fatais da violência, seja feminicídio ou outros tipos de homicídio. O racismo, segundo a Marjorie, é um agravante na vivência dessas mulheres.

“Falamos aí de uma interseccionalidade de gênero, de raça e de classe. Essas mulheres têm uma dificuldade muito grande de acessar os instrumentos legais de proteção”, aponta.

“Quando a gente fala de feminicídio, ou mesmo da Lei Maria da Penha e de todas as políticas que se desdobram desse instrumento legal, a gente está deixando de falar sobre racismo. Nem na Maria da Penha e nem na lei do feminicídio é colocado o racismo como fator de violência, de algo que pode provocar, incitar ou incidir na forma que aquela mulher é assassinada”, observa.

Para Marjorie Chaves, é preciso entender os motivos de haver essas diferenças entre as mulheres brancas e negras quando o assunto é violência de gênero. “Existem instrumentos legais e políticas públicas que estão alcançando principalmente as mulheres brancas, mas não têm trazido nenhum benefício para as mulheres negras. Existe uma grande falha nessa lei, que ainda não é interseccional nos termos dos seus instrumentos e de seu funcionamento”, afirma. 

+ sobre o tema

Atrizes da Globo se juntam para boicotar volta de Zé Mayer à TV

Segundo coluna do Uol, ator acusado de assediar figurinista...

Webinar debate violência de gênero e segurança de mulheres jornalistas

Resolução aprovada pela ONU para promover a segurança de...

A cada dia, pelo menos 18 meninas são estupradas no Brasil

Principal causa da gravidez precoce, o estupro está relacionado...

Técnica de enfermagem é morta por ex com mais de 50 facadas na frente da filha

Vítima foi atacada quando buscava dinheiro da escola da...

para lembrar

Porteiro preso há 3 anos em investigação com erros é solto

O porteiro Paulo Alberto da Silva Costa, de 37...

Secretária da Igualdade Racial quer aumentar cota racial em concursos

A socióloga Márcia Lima, secretária nacional de Ações Afirmativas...

Em Moçambique, Anielle Franco assina acordo de combate ao racismo

Com agenda intensa em na África do Sul, a...
spot_imgspot_img

Polícia Civil de Alagoas prende homem por injúria racial e ameaça

A Polícia Civil, por meio da seção de capturas da Dracco, realizou nesta terça-feira (9), o cumprimento de um mandado de prisão contra um...

SP: Vigilante que sofreu racismo religioso no trabalho deve ser indenizado

Uma empresa de segurança e um shopping foram condenados a indenizar um funcionário que foi alvo de racismo religioso por colegas de trabalho. A...

Brasileiras denunciam racismo em palestra, em Harvard: ‘Tem piolho nas tranças?’

Duas brasileiras relataram ter sofrido racismo em uma das palestras da Brazil Conference no último sábado, na universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Naira...
-+=