ONU: preconceitos contra as mulheres persistem

Enviado por / FontePor AFP, no Estado de Minas

Os preconceitos sexistas “arraigados” nas sociedades não diminuíram nos últimos 10 anos, apesar das campanhas a favor dos direitos das mulheres como o ‘MeToo’, afirma um relatório divulgado pela ONU.

Entre homens e mulheres, “normas sociais de gênero preconceituosas prevalecem em todo o mundo: quase 90% das pessoas afirmam ter pelo menos um preconceito” de sete analisados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Os “preconceitos estão muito propagados, tanto entre os homens como entre as mulheres, o que sugere que estão profundamente arraigados e influenciam homens e mulheres em níveis similares”, afirma o documento.

O PNUD atualizou o Índice de Normas Sociais de Gênero (GSNI), que leva em consideração as dimensões políticas, econômicas, educacionais e de integridade física, com dados da Avaliação de Valores Mundiais, um projeto internacional que estuda como os valores e as crenças são diferentes ao redor do mundo.

O índice mostra que “não houve progresso a respeito do preconceito contra as mulheres em uma década”, segundo o PNUD, “apesar das grandes campanhas globais e locais pelos direitos das mulheres”, como o ‘MeToo‘.

Por exemplo, 69% da população mundial acredita que os homens são melhores líderes políticos que as mulheres. E apenas 27% dos entrevistados acreditam que é essencial para a democracia que as mulheres tenham os mesmos direitos que os homens.

Quase metade da população (46%) acredita que os homens têm mais direito a um emprego e 43% afirmam que os homens são melhores líderes empresariais.

O relatório mostra ainda que 25% da população considera justificável a agressão de um homem contra a esposa e 28% considera que a universidade é mais importante para os homens.

“As normas sociais que afetam os direitos das mulheres são prejudiciais para a sociedade em seu conjunto, que impede a expansão do desenvolvimento humano”, afirmou em um comunicado Pedro Conceição, coordenador do Relatório de de Desenvolvimento Humano do PNUD.

“Todos ganham quando a liberdade e o poder das mulheres são garantidos”, acrescentou.

+ sobre o tema

Desenhos que valorizam a estética da mulher negra

Artista paulistana Andréa Sechini faz centenas de desenhos que...

Tráfico de drogas é principal causa de encarceramento de mulheres na América Latina

Apesar de mulheres não chegarem a 10% da população...

Benedita da Silva e a defesa da luta das mulheres negras: “Nós parimos este país”

"Nós mulheres negras fomos estupradas para parir o Brasil,...

“Meninas dão de quatro”, diz jornal em manchete sobre vitória da seleção feminina

“Meninas dão de quatro”, esse era o título da...

para lembrar

É hora de olhos de bem-te-vi e ouvidos de boi manhoso – Por: Fátima Oliveira

São tantas coisas na política nacional que é difícil...

Chile elege Emilia Schneider, 1ª mulher trans para Câmara dos Deputados

Os eleitores chilenos, que foram às urnas neste domingo (21),...

A escola falhou se o aluno acha que menina é inferior

Na foto acima, seriam prezados alunos ou prezadas alunas?...

A questão do aborto influenciará o seu voto?

Na disputa presidencial entre os candidatos Dilma Rousseff do...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=