Paim: projeto que criminaliza homofobia será votado este ano

O projeto de lei que criminaliza a homofobia será votado até o final deste ano no Senado. A avaliação é do presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, Paulo Paim (PT-RS). A matéria está em tramitação no Congresso Nacional há seis anos e já foi aprovada na Câmara dos Deputados.

Ele destaca o “clima de boa vontade” para a construção de um acordo entre a relatora da matéria, senadora Marta Suplicy (PT-SP), e o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), um dos críticos do projeto de lei da Câmara que criminaliza a discriminação contra homossexuais.

Paim lembra que a orientação sexual não pode ser motivo para discriminação, assim como deve ser garantido o direito de opinar sobre o tema. “Não devemos permitir mais que a orientação sexual seja motivo de discriminação. Mas também devemos preservar o direito de os evangélicos e católicos manifestarem a sua visão sobre o tema, sem discriminar as pessoas”, ressaltou o senador.

Relatório de Marta

O substitutivo de Marta Suplicy ao projeto estabelece pena de reclusão de um a três anos para quem induzir à prática de violência de qualquer natureza em razão de preconceito de sexo, orientação sexual ou identidade de gênero.

O texto criminaliza, também, a discriminação nas relações de consumo, na prestação do serviço público e no mercado de trabalho. Quem deixar de contratar ou nomear alguém que atenda às qualificações exigidas para o trabalho em decorrência de preconceito também estará sujeito a três anos de reclusão.

O relatório de Marta excluiu a criminalização em caso de manifestação pacífica de pensamento, fundada na liberdade de consciência, de crença e de religião. A senadora explicou que a supressão do Artigo 20, que tratava da questão, atendeu à ponderação de grupos religiosos. O objetivo foi preservar a liberdade de opinião.

Com informações da Agência Senado

Fonte: Vermelho

+ sobre o tema

Mulheres e o direito à cidade

Entrevista tratou de como o medo de assédio e...

Superlativa por Flávia Oliveira

Rogéria, autodenominada ‘travesti da família brasileira’, fez crer que...

Rozeli da Silva: A mulher que foi mãe aos 13 anos e hoje tem mais de 300 ‘filhos’

"Tinha 12 anos quando fiquei grávida pela primeira vez...

para lembrar

Uma decisão exemplar da justiça em caso de calúnias e ódio homofóbico

2ª Vara Federal de Natal condenou Márcio Damasceno a...

STF invalida uso da ‘legítima defesa da honra’ em feminicídios

Por unanimidade, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)...

Thalma de Freitas se muda para os EUA e desiste de novelas

Quando estava prestes a completar 40 anos, em 2012,...

Jornalista Luciana Barreto ganha prêmio ‘Sim à Igualdade Racial’

A jornalista Luciana Barreto, âncora da primeira edição do...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira (11) para julgamento a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra...
-+=