Parlamento alemão lembra vítimas do genocídio em Ruanda

Merkel e o ministro do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, no Bundestag

 

Na presença de Merkel, deputados debatem o papel da comunidade internacional na prevenção de massacres como o de 1994 e alertam sobre a necessidade de agira em relação aos conflitos atuais.

O Parlamento alemão lembrou nesta sexta-feira (04/04) as vítimas do genocídio em Ruanda, ocorrido há exatos 20 anos. Os deputados chamaram a atenção para o derramamento de sangue nos dias atuais e lançaram questões sobre a eficácia da comunidade internacional em prevenir massacres. A sessão contou com a presença da chanceler federal Angela Merkel.

O ministro do Exterior alemão, Frank-Walter Steinmeier, ressaltou que “todo o possível” deve ser feito para a prevenção de massacres como o de Ruanda. “Não se fala mais em genocídio, mas ainda ocorrem intermináveis derramamentos de sangue no Congo, na África Central e na Síria”, alertou o ministro.

Vários membros do Parlamento levantaram questões sobre a responsabilidade da comunidade internacional de evitar massacres como o de 1994. No entanto, não especificaram de que forma seria possível um maior comprometimento para evitar os genocídios.

Steinmeier lembrou que após o Holocausto os alemães declararam “nunca mais”, em repúdio aos assassinatos em massa. “Mas nós [a comunidade internacional] não conseguimos manter a promessa”, lamentou. O Ocidente fracassou em Ruanda, apontou o ministro, que lembrou que as forças de paz da ONU chegaram a ser retiradas em meio à violência.

O ministro disse ainda que em sua viagem à África na semana passada ficou claro que os africanos não querem ser vista como “pedintes”, ao requererem ajuda internacional. Ele reiterou o desejo dos europeus de que os africanos possam “seguir seu destino como queiram”. As nações africanas, afirmou, são vistas cada vez mais como parceiras.

Entre abril e junho de 1994, cerca de 800 mil pessoas foram assassinadas no genocídio de Ruanda. A maioria das vítimas era da etnia tutsi, embora também tenham sido mortos hutus, etnia responsável pelo massacre.

Fonte: O Povo

 

+ sobre o tema

Um poeta que o Brasil precisa conhecer

É tempo de protesto. Punhos ao ar, ruas em...

Pelé-estrela negra em campos verdes

"PELÉ-Estrela Negra em Campos Verdes", livro de Angélica Basthi,  editora: Garamond...

Elza Soares e a derrota do ódio

Confesso que foi difícil pegar o bonde Elza Soares...

Espetáculo “Mercedes” retorna aos palcos da sua primeira montagem

Desde a estreia no Sesc Copacabana em 2016, o...

para lembrar

“Carlos Nobre: o Rio perde parte da cultura negra”

Professor do Departamento de Comunicação da PUC-Rio, onde dedicava-se...

Cineasta e roteirista Joel Zito Araújo fala na ABL sobre ‘O negro no cinema brasileiro’

O Cineasta, roteirista e produtor Joel Zito Araújo faz na Academia...

Beyoncé posa para a revista

Beyoncé posa para a nova edição da revista L'Officel...

Morre ativista norte-americano de direitos civis Julian Bond

Ex-líder do Naacp atuou em defesa dos direitos da...
spot_imgspot_img

Mães e Pais de Santo criam rede de solidariedade para apoiar comunidades de matriz africana afetadas no Sul

Quando a situação das enchentes se agravou no Rio Grande do Sul, Ialorixás e Babalorixás da cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre,...

Iza anuncia que terá uma menina e o nome será Nala

O primeiro bebê de Iza e Yuri Lima já teve o sexo revelado: será uma menina. A cantora contou a novidade aos fãs na noite desta segunda-feira (13),...

Leci Brandão – Na Palma da Mão em curta temporada no Imperator

Com direção de Luiz Antonio Pilar e texto de Leonardo Bruno, musical que celebra vida e obra da artista se apresenta no Imperator Vencedor do Prêmio Shell de Teatro na categoria "Direção" Nome incontornável da música brasileira, compositora e intérprete de...
-+=