Policial do Michigan é acusado de homicídio por morte de homem negro

Enviado por / FonteG1, por AFP

A polícia divulgou quatro vídeos do incidente, um deles mostrando o polícia sobre a vítima em luta corporal, e aparentemente atirando contra a cabeça da vítima na sequência.

Um policial americano que atirou contra um homem negro após uma luta corporal em um controle de trânsito no Michigan foi acusado de homicídio, disse nesta quinta-feira (9) a procuradoria deste estado dos Estados Unidos.

Christopher Schurr, um policial branco da cidade de Grand Rapids, enfrenta uma acusação de homicídio em segundo grau, quando o crime não é premeditado. A pena máxima é a prisão perpétua, segundo Christopher Becker, promotor do condado de Kent.

“Temos o dever de fazer com que as leis sejam cumpridas, seja pela polícia ou pelo público”, disse Becker.

Patrick Lyoya, de 26 anos, morreu durante uma fiscalização de trânsito em Grand Rapids no dia 4 de abril.

A polícia divulgou quatro vídeos do incidente, um deles mostrando Schurr sobre Lyoya em luta corporal, e aparentemente atirando contra a cabeça da vítima na sequência.

O ocorrido gerou protestos em Grand Rapids, uma cidade com cerca de 200 mil habitantes, e pedidos para que o oficial envolvido fosse levado à Justiça.

O advogado especializado em direitos civis Ben Crump comemorou a decisão de acusar Schurr de homicídio em segundo grau.

“Embora o caminho rumo à justiça para Patrick e sua família tenha acabado de começar, esta decisão é um passo crucial na direção correta”, disse Crump.

“O oficial Schurr deve prestar contas por sua decisão de perseguir Patrick, que estava desarmado, para depois atirar contra a sua nuca e matá-lo por nada, apenas por uma fiscalização de trânsito”, acrescentou.

Casos recorrentes

O assassinato de Lyoya foi o último de uma sequência de episódios recentes envolvendo a morte de negros pelas mãos de policiais nos Estados Unidos, que provocaram protestos generalizados contra o racismo e pedidos de reformas.

O caso de George Floyd, que morreu asfixiado depois que um policial branco ajoelhou em seu pescoço durante uma abordagem em Minneapolis em maio de 2020, desencadeou uma onda histórica de protestos contra o racismo nos EUA e no resto do mundo.

O policial envolvido na morte de Floyd, Derek Chauvin, foi condenado a 22 anos e meio de prisão em 2021.

+ sobre o tema

Albinismo e relações raciais: Subjetividade, pertencimento e aspectos sociais

Albinismo é uma alteração genética hereditária, causada por gene...

Jacarezinho: MP decide arquivar 4 inquéritos sobre 5 das 28 mortes

O Ministério Público pediu nesta quinta-feira (10) o arquivamento de...

Indígenas e quilombolas: eternas “ameaças” à ordem e ao progresso

Notas sobre o conceito de “brasilidade”, sob o manto...

Estudantes denunciam caso de racismo no Mackenzie em São Paulo

O Coletivo Negro Afromack e diretório Acadêmico da Faculdade...

para lembrar

Brasil firma acordo com Colômbia para promoção da igualdade racial

Nesta terça-feira (25), em celebração ao Dia da Mulher...

Ensino de história negra não é cumprido, dizem debatedores

As redes de educação não cumprem satisfatoriamente a obrigação,...

Ebook – Violência Racial

               ...

SOS Racismo marca presença na manifestação de 2 de março contra a austeridade

O SOS Racismo irá participar na manifestação convocada para...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=