Presidente Dilma derruba o ‘kit gay’ do MEC

A presidente da República, Dilma Rousseff, decidiu vetar o programa do Ministério da Educação chamado de ‘kit gay’

“A presidenta Dilma não gostou dos vídeos, achou o material inadequado, e determinou que não circule oficialmente. Estão suspensas todas as produções de materiais que falem dessas questões”, confirmou o secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho.

De acordo com Carvalho, o combate à homofobia nas escolas deve continuar, mas ele destaca que todos os setores da educação do Congresso e da sociedadedevem participar da produção dos materiais. O ministro também negou que a decisão foi motivada pela pressão das bancadas religiosas.

O deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), que participou do encontro no qual ficou decidido o veto, chegou a afirmar que a bancada estava disposta a utilizar o caso do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, como forma de pressionar o governo. Garotinho afirmou ainda que parlamentares decidiram abrir uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar a contratação de uma ONG sem licitação pelo MEC para produzir o material anti-homofóbico. De acordo com Garotinho, o valor do contrato é de R$ 1,8 milhão.

Ministro da Educação diz desconhecer ‘kit gay’ em circulação

O ministro da Educação, Fernando Haddad, já havia se pronunciado a respeito do ‘kit gay’ semana passada, negando que o material em circulação seja oficial do MEC. No total, são três vídeos – disponíveis na internet – e quatro cartilhas.

“O material que vi circulando não é do MEC. Vários dos materiais que foram distribuídos não são do MEC. Vim esclarecer que não são. A maioria do material que me foi apresentado aqui não é do MEC, estão atribuindo ao MEC um material que não é oficial. Todo ao material do MEC está em domínio público, qualquer pessoa pode fazer o download pelo site do ministério”, disse.

De acordo com o ministro, nenhum material foi distribuído para as escolas e todos devem passar pela aprovação da Comissão de Publicação da pasta. As cartilhas e os vídeos estão sendo produzidos por uma empresa terceirizada pelo ministério.

“Recebemos o material, o convênio está em ordem, o material vai para a Comissão de Publicação para um debate interno, material todo. Só se torna oficial quando aprovado na comissão, o que ainda não aconteceu. A comissão vai ouvir secretários estaduais e municipais de educação, alguns parlamentares pediram para participar da reunião e participarão”, afirmou.

O material didático que contém cartilha, cartazes, folders e cinco vídeos educativos vem dividindo opiniões e provocando discussões inflamadas. A principal crítica é que estimularia a homossexulidade entre crianças e adolescentes.

A proposta do Ministério da Educação era distribuir o kit inicialmente em 6 mil escolas públicas já em 2011.

Fonte: Jornal do Brasil

+ sobre o tema

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de...

Programa Erasmus oferece bolsas integrais na Europa

O Erasmus, programa promovido pela União Europeia para fomento a...

Projeto SETA tem novo financiador e amplia trabalho aprofundando olhar interseccional

O Projeto SETA (Sistema de Educação por uma Transformação Antirracista),...

para lembrar

UNEafro abre inscrições para cursinho

UNEafro abre inscrições para cursinho VAGAS ABERTAS 2017 Você quer ser...

Congresso da ANPG cresce e elege primeira presidente negra

  Por: Luana Bonone Sob a chamada "A ciência não está...

Isenção de taxa no Enem será proibida após terceira tentativa do candidato

As pessoas que prestarem o Exame Nacional do Ensino...

Mais de um milhão de candidatos se inscrevem no SiSU

Lista com os nomes aprovados sai na próxima segunda-feira,...
spot_imgspot_img

Provas do Enem 2024 serão em 3 e 10 de novembro; confira o cronograma

O cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 foi divulgado nesta segunda-feira (13). As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10...

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de energia, manejo ecologicamente correto na agricultura e prevenção à violência entre jovens nativos digitais. Essas...

Inscrições para ingresso de pessoas acima de 60 anos na UnB segue até 15 de maio; saiba como participar

Estão abertas as inscrições do Processo Seletivo para Pessoas Idosas que desejam ingressar nos cursos de graduação da Universidade de Brasília (UnB) no período...
-+=