Prioridade é incluir mulheres no mercado de trabalho, diz ministra

Mulheres são só 19% dos postos de direção em empresas e recebem salário menor

 

A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Iriny Lopes, afirmou nesta quarta-feira (16) que a prioridade da pasta no momento precisa ser a inclusão de mulheres no mercado de trabalho.

Iriny lembrou que as mulheres representam a maioria da população brasileira, além de serem bem qualificadas profissionalmente. No entanto, segundo ela, as mulheres são maioria no mercado informal, ainda recebem um salário inferior ao dos homens para exercer uma mesma função e só representam 19% dos postos de comando e de direção em empresas.

– Precisamos muito mesmo do Congresso Nacional. Temos uma legislação já pronta para ser votada, que cria as condições de igualdade no mundo do trabalho. Ter um conjunto de leis próprias, que respalde as iniciativas, é fundamental agora.

A ministra destacou ainda a necessidade de um melhor cumprimento, por parte do Judiciário, da Lei Maria da Penha, que pune com maior rigor a violência doméstica contra a mulher.

Ela afirmou que o governo estuda a instalação de delegacias especializadas, núcleos de atendimento e casas abrigo também na zona rural do país. Mas as ações, segundo Iriny, dependem da “boa vontade” de prefeituras e governos estaduais.

– Se a situação das mulheres é difícil nos centros urbanos, nos rincões torna-se mais grave. Nem pedir socorro ao vizinho é possível.

Outro tema de relevância apontado pela ministra é a reforma política. De acordo com ela, é preciso ousar para que as mulheres possam disputar eleições em igualdade de condições. A ideia, segundo Iriny, é ampliar não apenas o número de candidatas, mas assegurar um percentual reservado de vagas no Congresso Nacional.

– Também precisamos de mais prefeitas, mais governadoras, não só de deputadas e senadoras.

 

Fonte: R7

+ sobre o tema

O Painel BAP quer aumentar a influência da comunidade negra no mercado

“Tira isso!”, ordenou a general manager de uma empresa internacional líder...

Movimento feminista se mobiliza contra a MP 557

Na audiência com o deputado federal Arlindo Chinaglia, representantes...

Evento discute o impacto do racismo nas relações de trabalho

Ciclo de palestras é gratuito, mas interessados que quiserem...

Perfil do mercado de trabalho feminino será lançado no dia 26

A Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de...

para lembrar

Quem são as profissionais brasileiras que estão fazendo sucesso no exterior

Cansada de ler notícias sobre o sucesso de homens...

Quatro teses contra a acusação de vitimismo de negros, mulheres e LGBT

Para Aristóteles, o termo falácia significa um raciocínio falso...

Em sala de aula, professor de Direito afirma que “mulher gosta de apanhar”

Caso aconteceu durante uma aula de um curso preparatório...

Cinco escritoras indígenas contemporâneas que precisam ser divulgadas

Ouvi uma vez num curso de oratória que nunca...
spot_imgspot_img

Mulheres sofrem mais microagressões no ambiente de trabalho e têm aposentadorias menores

As desigualdades no mercado de trabalho evidenciam que as empresas têm um grande desafio pela frente relacionado à equidade de gênero. Um estudo recente da McKinsey...

Sem desigualdade de gênero, mundo poderia ter PIB ao menos 20% maior, diz Banco Mundial

O Produto Interno Bruto (PIB) global poderia aumentar em mais de 20% com políticas públicas que removessem as dificuldades impostas às mulheres no mercado...

O atraso do atraso

A semana apenas começava, quando a boa-nova vinda do outro lado do Atlântico se espalhou. A França, em votação maiúscula no Parlamento (780 votos em...
-+=