quarta-feira, julho 8, 2020

    Questões de Gênero

    Projetos promovem ações solidárias voltadas para mulheres em situação de vulnerabilidade durante a pandemia de coronavírus. Foto: Arte sobre foto do Pixabay

    Coronavírus: mulheres em todo o Brasil precisam de ajuda. Veja o que você pode fazer por elas

    As mulheres estão entre os grupos mais afetados pelas consequências sociais e econômicas da pandemia do coronavírus. Elas são maioria entre os trabalhadores informais, ainda recebem salários menores e também sofrem com a violência doméstica, que tem crescido no período de isolamento domiciliar. Por isso, diversos projetos pelo país estão organizando ações solidárias voltadas para mulheres em situação de vulnerabilidade. Para quem quiser e puder ajudar, a equipe de CELINA preparou uma lista de iniciativas que reúnem doações para essas mulheres. Essa pode ser uma forma de colocar a sororidade em prática nesse momento tão difícil. Confira: Apoie uma empreendedora periférica Rio de Janeiro O projeto, organizado pelo coletivo e start-up As Josefinas, arrecada doações para comprar cestas básicas, kit limpeza, kit infantil e hortifruti (adquirido de produtores locais) para cerca de cem microempreendedoras da Zona Oeste carioca e seus familiares. A cada R$ 1 doado, os patrocinadores da campanha...

    Leia mais
    Imagem: iStock

    Mulheres de Belém vítimas de violência doméstica podem denunciar por telefone e atendimento virtual

    As mulheres vítimas de violência doméstica podem realizar denúncias por telefone e meio virtual disponibilizados pela Coordenadoria da Mulher de Belém (Combel). De acordo com a ONU Mulheres, a violência física e sexual contra mulheres têm aumentado durante o período de isolamento social provocado pelo coronavírus. Por meio dos canais de atendimentos, as mulheres vulneráveis podem contar com encaminhamentos jurídicos, psicossociais e outros. Em 2019, mais de 8 mil casos de violência doméstica foram registrados no Pará. As orientações de isolamento social em todo o Pará iniciaram no dia 16 de março, com a divulgação do primeiro decreto estadual diante da pandemia do coronavírus. Segundo a Combel, a ligação é recebida por assistentes sociais que fazem escuta da vítima e ajudam de acordo com a necessidade de cada mulher, orientando sobre como proceder em situação de agressão. As denúncias podem ser realizadas através do Disque Denúncia 180 da Central de...

    Leia mais
    Getty Images

    Mulheres negras sofrem mais com a violência obstétrica; ouça debate

    Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) 140 milhões de partos são feitos todos os anos no mundo, No entanto, é difícil precisar quantos foram violentos. O termo violência obstétrica vem ganhando fôlego no mundo e ajudando a estabelecer limites na relação entre gestante e equipe médica. Aqui no Brasil, um levantamento da Fundação Perseu Abramo aponta que violência obstétrica atinge uma em cada quatro mulheres brasileiras. As agressões, no entanto, são ainda maiores quanto há um recorte racial. Mulheres negras têm mais chances de terem atendimento negado, peregrinar até achar uma maternidade, serem impedidas de ter acompanhante durante o parto, não receberem anestesia para alívio da dor e ouvirem diferentes agressões verbais. Os exemplos acima são alguns dos citados pela doula Daniela Rosa, mestre em sociologia pela Unicamp e educadora e pela médica Denise Ornelas, mestre em saúde da família pela Unifesp. Elas participaram do episódio desta semana. Ouça...

    Leia mais
    (Foto: Getty)

    Pandemia pode prejudicar acesso de mulheres a contraceptivos, alerta UNFPA

    O isolamento social provocado pela pandemia de COVID-19 pode prejudicar o acesso de mulheres do mundo todo ao planejamento reprodutivo, o que deve ocasionar gestações não intencionais, alertou o Fundo de População da ONU (UNFPA) nesta quarta-feira (29). O organismo das Nações Unidas também alertou para um aumento nos próximos meses dos casos de violência de gênero e de outras práticas nocivas contra mulheres. O isolamento social provocado pela pandemia de COVID-19 pode prejudicar o acesso de mulheres do mundo todo ao planejamento reprodutivo, o que deve ocasionar gestações não intencionais, alertou o Fundo de População da ONU (UNFPA) nesta quarta-feira (29). O organismo das Nações Unidas também alertou para o aumento da violência de gênero e outras práticas nocivas contra mulheres nos próximos meses. O estudo revela o enorme impacto que a COVID-19 está tendo entre as mulheres, enquanto os sistemas de saúde ficam sobrecarregados, as unidades de saúde...

    Leia mais
    (Foto: Rafael Arbex/Estadão Conteúdo)

    “Está explícito um medo no ar”

    Aos 73 anos, a poeta, romancista, contista e ensaísta brasileira Conceição Evaristo reflete sobre o momento contemporâneo de isolamento social e incertezas: “Não estou atravessando esse momento e sim esse momento está me atravessando”. Você parece ser uma mulher forte. Do que tem medo? As pessoas fortes podem ter muitos medos. O medo tanto pode nos fortalecer, como nos enfraquecer. Há um medo que nos paralisa e há o medo que nos encoraja, nos impulsiona. No meu caso, tenho medo de adoecer, de morrer antes da hora (quero viver muito, ficar bem velhinha). Quando viajo de avião muitas vezes, em pleno voo, sou tomada por um medo profundo. Gosto da imensidão das águas, mar, rios, lagoas. As águas me atraem, mas tenho medo dos mistérios das águas. Você nasceu em uma família pobre e afrodescendente em um país racista e desigual como o Brasil. Já teve medo de não conseguir...

    Leia mais
    (Foto: Imagem retirada do site Midia Ninja)

    Da dificuldade nasce a força da mulher negra

    Em 1989, com 14 anos, entrei no mercado de trabalho. Meu primeiro emprego foi como office girl na falida Companhia Energética de São Paulo, atividade que consegui por meio de uma ONG chamada Patrulheiros do Caxingui. Eu trabalhava para o departamento de engenharia, distribuía radiogramas (meio de comunicação rápida da época) entre os prédios da empresa, que ficavam na região da avenida Paulista. Para isso, todos os dias eu percorria a avenida Angélica, as ruas Haddock Lobo, Bela Cintra, Consolação, Augusta e a avenida Paulista. Era cansativo, mas eu adorava saber que conseguiria garantir o sustento de casa. O preconceito racial e social que eu sofria a todo momento era o que cansava e doía. Era evidente a preferência da chefe pela moça mais clara, fosse pela forma carinhosa como ela tratava a outra funcionária, fosse pelo fato de as atividades trabalhosas sobrarem sempre pra mim. Hoje, mais de 30...

    Leia mais
    (Foto: Divulgação/CLAUDIA)

    Jarid Arraes fala da importância de Conceição Evaristo em sua trajetória

    Em 1º de maio comemora-se o Dia da Literatura Brasileira. Em homenagem à data, CLAUDIA convidou Jarid Arraes para falar sobre mulheres que a inspiram. Nascida em Juazeiro do Norte, no Ceará, ela é escritora, poeta e cordelista. Seu quarto livro, “Redemoinho em Dia Quente”, venceu o Troféu APCA de Literatura na categoria Contos, em 2019. Ela também é autora dos livros “Um Buraco Com Meu Nome”, “As lendas de Dandara” e “Heroínas negras brasileiras em 15 cordéis”. Aos 29 anos, Jarid é uma das principais vozes contemporâneas da literatura de cordel, com mais de 70 obras publicadas nesse segmento. Uma jovem escritora em franca ascensão que, por muito tempo, acreditou ser impossível chegar a esse patamar. Foi na obra de Conceição Evaristo – vencedora do Prêmio CLAUDIA em 2017, na categoria Cultura – que ela encontrou inspiração para correr atrás do sonho de publicar livros. A seguir você confere...

    Leia mais
    Serena e Venus Williams, durante entrevista com Naomi Campbell (Foto: Reprodução/ YouTube)

    Em conversa com Naomi Campbell, Serena e Venus Williams ironizam racismo nos EUA: ‘Todo o mundo tem que ser amigo da vencedora’

    A icônica supermodelo britânica Naomi Campbell está aproveitando a quarentena para turbinar seu canal do YouTube a partir de entrevistas com alguns dos seus amigos famosos ou celebridades com quem se cruzou em várias ocasiões ao longo dos anos. As irmãs Venus e Serena Williams estão nessa lista e, dentro da série “No Filter with Naomi” (Sem filtro com Naomi), conversaram durante quase uma hora sobre infância, família, carreira, vida empresarial e racismo. “Tanto no passado como hoje, ainda, passamos por algo que é que as pessoas dizem que o tênis é um esporte de brancos. Claro, não havia gente como nós, com a nossa cor”, afirma Serena, que também relatou problemas com patrocinadores que não a “apoiaram muito”. “O tênis é visto como um esporte ‘não necessário’. Sempre se disse que, a menos que você seja rico e possa pagar os equipamentos e os treinos, o tênis não é...

    Leia mais
    Crédito: Ellen Faria

    Amor e cura em contos de Elizandra Souza

    Filha do Fogo é o primeiro volume em prosa assinado por Elizandra Souza – escritora, jornalista, editora e ativista cultural, a quem já dedicamos um dos episódios do programa de rádio LetrasPretas; de sua produção, já resenhamos aqui o livro de poemas Águas da Cabaça e a antologia Pretextos de Mulheres Negras, organizada pela autora em parceria com Carmen Faustino. Como as outras obras editadas por Elizandra, Filha do Fogo se materializa em um belíssimo volume, com capa assinada por Vanessa Ferreira e projeto gráfico de Silvana Martins que expressam com precisão o temário abordado no livro. Capa do livro (Arte: Vanessa Ferreira) Perante o volume de textos reunidos em Águas da Cabaça, Filha do Fogo pode parecer uma obra tímida: se lá havia mais de uma centena de poemas, em Filha do Fogo reúne apenas uma dúzia de narrativas. Para além das implicações simbólicas – a alusão aos ministros de...

    Leia mais
    Taís Araújo (Foto: Manuela Scarpa/Brazil News)

    Taís Araújo ajuda a doar R$ 1 milhão para mães que vivem em favelas

    Preocupada com os impactos da pandemia do novo coronavírus, Taís Araújo declarou em uma live no Instagram que, além de fazer suas colaborações como pessoa física, também vem articulando maneiras de conseguir ainda mais doações por meio de grandes empresas. A partir dessa postura, a atriz participou de uma campanha do BV, em que seu cachê foi doado integralmente para a ação social Mães da Favela, da CUFA (Central Única de Favelas), organização fundada por MV Bill e Celso Athayde que promove atividades nas áreas da educação, lazer, esportes, cultura e cidadania e literatura em todo o Brasil. O banco dobrou o valor do cachê e fez mais um investimento para atingir a doação de R$ 1 milhão, que será revertida em 4.161 cartões alimentação de R$ 240, o que ajudará aproximadamente 17 mil pessoas. “O momento requer ajuda a quem mais precisa. É uma campanha sobre solidariedade e união...

    Leia mais
    blank

    Isis de Oliveira presta queixa contra o marido: ‘Me socava enquanto dormia’

    Isis de Oliveira, modelo e atriz, irmã de Luma de Oliveira, prestou queixa ontem (22) na 12ª delegacia de Copacabana, no Rio de Janeiro, contra o marido, o egípcio Hazem Roshdi, com quem é casada há seis anos. Em entrevista à Universa, ela explicou que os episódios de violência física se tornaram recorrentes nos últimos meses, mas que ontem (22), pela primeira vez, sentiu medo de ser assassinada. Isis, que está com 69 anos, relembrou que a primeira vez que prestou queixa contra Hazem foi em 2017, quando ele a empurrou com violência e, devido à queda, ela teve um sangramento do supercílio. "Percebi que a situação era séria quando senti o quente do sangue. Ele também ficou apavorado e colocou gelo. Na ocasião, fui para o hospital e relatei o que aconteceu na delegacia. Mas fui boba, acreditei quando ele disse que não vivia sem mim e voltamos", conta....

    Leia mais
    20200221 - FCA FIAT ACHRYSLER AUTOMOBILIES - Matéria para o Dia Internacional das Mulheres. Na foto Helena Cristina dos Santos Bastos (aposentada)-Foto Leo Lara/Studio Cerri

    “Lugar de mulher também é atrás do volante, se ela quiser”

    “Mulher no volante, perigo constante”. Você já refletiu sobre quantas vezes mulheres ouvem essa frase machista — tanto em tom de “brincadeira” quanto com a entonação de um xingamento — e sobre como elas se sentem? A reflexão é válida não apenas por ser uma rima preconceituosa disfarçada de ditado popular, mas porque está longe de ser verdade. Os dados mais recentes divulgados pela Seguradora Líder, responsável por administrar o seguro obrigatório no Brasil (Dpvat), dão conta de que apenas 15% das indenizações pagas a motoristas por acidentes de trânsito são destinadas a mulheres. A diferença é significativa, especialmente considerando que o número de motoristas mulheres nas ruas do Brasil difere cada vez menos do número de motoristas homens. Segundo o último levantamento do Detran SP, 40% das 24 milhões de Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) registradas no Estado de São Paulo pertencem a mulheres. Além disso, elas também amam...

    Leia mais
    blank

    “Revoltante e lastimável”, diz irmã de Marielle sobre fala de Bolsonaro

    Em seu discurso feito nesta sexta para rebater as declarações do ex-ministro Sergio Moro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) citou Marielle Franco, vereadora assassinada em março de 2018, quando comparou a investigação da morte dela com a da facada que levou durante a campanha eleitoral. Após a fala, a família da parlamentar repudiou o uso do nome dela pelo presidente. Por Nathália Geraldo, Da Universa (Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo) Anielle Franco, irmã de Marielle e à frente de instituto em memória dela, classificou a declaração de Bolsonaro como "revoltante, lastimável e surreal" e afirmou que o uso do nome da vereadora foi uma "cortina de fumaça" na tentativa de tirar o foco dos ataques que recebia. "Nenhuma vida deve ser ceifada como a da Marielle, ninguém merece levar facada. Não se pode comparar o crime dele com o crime da minha irmã,...

    Leia mais
    Photo by  Nick Owuor (astro.nic.visuals)  on  Unsplash

    Minha cor chega primeiro. Reflexões sobre a experiência de ser uma mulher negra

    Desde o momento do meu nascimento até meus derradeiros suspiros, estarei sozinha. De fato, a experiência de viver é solitária, não há ninguém além de mim mesma que esteja comigo ininterruptamente. Mas a solidão a qual me refiro não é essa. Trata-se de uma solidão estrutural, que está lá fora, no mundo externo, e que não é do meu controle. Solidão e faltas – todas as que puder elencar – são sinônimos da experiência corporal negra, principalmente da experiência corporal feminina negra. Nascemos em meio a um mundo construído em narrativas românticas em que a solidão não é bem quista. No entanto, sabemos nós, mulheres negras, desde a mais tenra idade que essa narrativa não se aplica a nós. Já sabemos, mesmo sem saber. A maioria de nós nasceu em lares partidos, por isso é bem provável que não saibamos o que de fato é o amor. Este não está...

    Leia mais
    blank

    Pretaria Blackbooks – Antirracismo por assinatura

    A Pretaria Black Box entrega conhecimento para vencer o racismo Por MÔNICA COSTA, do Grana Preta Imagem retirada do site Grana Preta Qual é a melhor estratégia contra o racismo, o preconceito e a intolerância? O conhecimento. Esta é uma premissa defendida por todos que acreditam na força da educação para transformação social. E foi este um dos propósitos que levou a especialista em direitos humanos Mirtes Santos a criar o Pretaria BlackBooks, primeiro Clube de Assinaturas Antirracista do País. “Acreditamos que o incentivo à leitura seja um caminho para que a sociedade brasileira reconheça suas origens africanas e ameríndias e busque valorizar suas histórias e memórias culturais”, diz Mirtes, quilombola do Angelim, em Conceição da Barra, norte do Espírito Santo e Mestra em Direito e Sociologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), no Rio de Janeiro. Quantos escritores negros e negras você conhece? São muitos e...

    Leia mais
    Divulgação

    Inscrições para Prêmio Marielle Franco vão até junho

    Os textos para o Prêmio Marielle Franco devem ser encaminhados até o dia 14 de junho. As inscrições podem ser feitas pelo preenchimento do formulário pelo link: https://editoracontracorrente.blog/premio-marielle-franco-de-ensaios-feministas-2020/. Nele, a candidata escritora – cis e trans também encontrará o edital. Por Caroline Santana, do Na Pauta Online Divulgação A iniciativa do Prêmio é da Editora Contracorrente em parceria com o Instituto Marielle Franco e ele tem como objetivo reverenciar a memória e a luta da ex-vereadora com incentivo ao pensamento feminista. A categoria do prêmio é identificar ensaios inéditos escritos por autoras em língua portuguesa que transitam sobre os diversos aspectos do feminismo. Os ensaios deverão seguir um dos 9 temas descritos no edital e o júri é composto por três personalidades conhecidas do público: Márcia Tiburi, Sueli Carneiro e Anielle Franco. A premiação para a ganhadora é composta pela publicação do ensaio mais R$10.000,00. A...

    Leia mais
    CAROLINE LIMA/ESPECIAL PARA O HUFFPOST BRASIL

    Promotora cria rede de apoio e reúne 700 “justiceiras” contra violência

    Ao ser vítima de violência doméstica, uma mulher sabe como proceder? Para quem recorrer quando se precisa conhecer seus direitos e buscar apoio emocional, jurídico e psicológico? Por Fabiana Batista, do Universa A promotora Gabriela Manssur (Caroline Lima/Especial para o Huffpost Brasil) Num período em que se acredita que o isolamento social, aliado à crise financeira e abuso de álcool e drogas possa alavancar o número de mulheres agredidas em casa, nasceu uma rede de justiceiras -mulheres com diversas formações voltadas para apoiar, voluntariamente, outras mulheres por meio do Whatsapp —(11) 99639-1212. Em quarentena com os filhos após voltar dos Estados Unidos, a promotora de Justiça de São Paulo Gabriela Manssur conta que a necessidade de isolamento fez o projeto sair mais rápido do papel e que se surpreendeu ao receber 700 pedidos de mulheres que queriam ser voluntárias no projeto. Leia a seguir trechos da...

    Leia mais
    Foto: Vagner Campos

    Conheça a trajetória de vida e política de Theodosina Ribeiro

    “O Parlamento é uma grande escola” Por Rodrigo Garcia, Do São Paulo.sp.leg   *entrevista feita em 2016 A primeira vereadora negra do Município conta suas lutas, vitórias e frustrações Com um nome raro (“Era pra eu me chamar Teodora, mas papai achou muito pesado para uma criança e escolheu este”), Theodosina Rosário Ribeiro nasceu quando as mulheres ainda não tinham conquistado todos os seus direitos. E, em suas várias décadas de vida (ela pediu que sua idade não fosse revelada), foi professora, diretora de escola, advogada, a primeira mulher negra a ser eleita vereadora na cidade de São Paulo e também deputada estadual, pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Hoje, Theodosina não exerce mais cargo público, mas continua atuando politicamente, principalmente dando palestras sobre a importância da atividade política. Ela também é membro da Comissão da Igualdade Racial da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo. “Ser professora tinha...

    Leia mais
    Foto: Vagner Campos

    Entidades e lideranças políticas lamentam a morte de Theodosina Ribeiro

    Morreu nesta quarta-feira (22), aos 94 anos, Dr. Theodosina Rosário Ribeiro, primeira mulher negra a se tornar vereadora no Estado de São Paulo em 1970 pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), em 1974 Theodosina foi eleita como deputada estadual.   Foto: Vagner Campos   Nas redes sociais, entidades do movimento negro, lideranças políticas e advogados  lamentaram a morte da política e advogada:     NOTA DE FALECIMENTO É com grande pesar que comunicamos que a Dra. Theodosina Rosário Ribeiro, faleceu na manhã de... Publicado por Aristocrata Clube em Quarta-feira, 22 de abril de 2020   Triste notícia sobre falecimento da Dra. Theodosina Ribeiro, 1ª vereadora e deputada negra em SP. Em 2012, criamos a Medalha Theodosina Ribeiro para homenagear as mulheres com na nossa sociedade. Ela era especial, principalmente para o povo negro. Theodosina Ribeiro, presente! pic.twitter.com/t365DpCKcl — Leci Brandão 23/4 Live Dia de Ogum (@lecibrandao) April 22,...

    Leia mais
    Trabalhadoras domésticas no Brasil estão sendo dispensadas sem pagamento por causa do coronavírus

    Coronavírus no Brasil: 39% dos patrões dispensaram diaristas sem pagamento durante pandemia, aponta pesquisa

    Desde o início da pandemia de coronavírus, 39% dos empregadores de domésticas diaristas abriram mão do serviço destas profissionais, sem entretanto manter o pagamento das diárias, indica uma pesquisa que será divulgada nesta semana. Tal percentual é ainda maior entre os entrevistados pertencentes às classes A e B - camadas da sociedade em que a renda por pessoa da família é superior ao teto de R$ 1.526 mensais que limita a classe C. Por  Ligia Guimarães, da BBC Trabalhadoras domésticas no Brasil estão sendo dispensadas sem pagamento por causa do coronavírus (Foto: Getty Images) Nesse grupo (A e B), o percentual de empregadores que dispensaram as diaristas sem pagamento é de 45%. A pesquisa indica ainda que 23% dos empregadores e empregadoras de diaristas e 39% dos patrões de mensalistas afirmaram que suas funcionárias continuam trabalhando normalmente, mesmo durante o período de quarentena. A pesquisa foi...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist