terça-feira, dezembro 6, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaAfro-brasileiros e suas lutasRepresentantes do governo visitam quilombolas das Furnas de Boa Sorte, em Corguinho

Representantes do governo visitam quilombolas das Furnas de Boa Sorte, em Corguinho

Raimunda de Brito diz que governo investe em ações aos quilombolas

Campo Grande (MS) – Representantes do governo estadual e do Instituto Casa da Cultura Afro-Brasileira (Iccab) visitam na próxima sexta-feira (5), às 8h30, a comunidade remanescente de quilombos das Furnas de Boa Sorte – localizada no município de Corguinho, a 120 quilômetros da Capital. O encontro visa discutir diversos assuntos de interesse dos quilombolas, dentre eles os programas de ação afirmativa, objetivando geração de renda da comunidade, onde residem aproximadamente 45 famílias.

Participam da reunião a coordenadora Especial de Políticas para a Promoção da Igualdade Racial de Mato Grosso do Sul (Cppir/MS), Raimunda Luzia de Brito, da Secretaria Estadual de Governo (Segov), e a gestora de ação social da unidade de Prevenção de Combate à Discriminação, da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas), Lecir Marques Machado.

Segundo Lecir Machado, o encontro com a comunidade é uma parceria entre a Setas, Iccab/MS e o Conerq/MS, com o objetivo de atender os quilombolas em suas reivindicações na área de assistência técnica, saúde, transportes, dentre outras atividades de interesse dos quilombolas. “Além de elaboração de projetos, de acordo com a demanda da comunidade local”, informou Lecir.

A professora Raimunda de Brito disse que o governo do Estado está investindo em ações voltadas para as comunidades quilombolas. Citou como exemplo de investimentos a entrega de casas e de patrulhas mecanizadas aos quilombolas do Estado. “A equipe de governo está sentindo que há necessidade de um contato direto e mais próximo com os nossos quilombolas. Esse contato ocorre através de nossas visitas técnicas para sabermos o que está acontecendo com eles”, comentou.

Segundo Raimunda, umas das constantes reivindicações da comunidade negra de Boa Sorte envolvem problemáticas na área da educação. “Eles têm escolas, mas faltam mais professores”, afirmou a coordenadora da Cppir.

O encontro ainda conta com a presença de representantes da Secretaria Estadual de Saúde (SES), da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), da Subsecretaria da Mulher e da Promoção da Cidadania, representantes da Prefeitura Municipal de Corguinho e do presidente do Instituto Casa da Cultura Afro-Brasileira, Antônio Borges dos Santos, também o secretário executivo da Coordenação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas de Mato Grosso do Sul (Conerq/MS).

Ação afirmativa

 

De acordo com o Estatuto da Igualdade Racial (lei 12.288, de 20 de julho de 2010), os programas de ação afirmativa constituir-se-ão em políticas públicas destinadas a reparar as distorções e desigualdades sociais e demais práticas discriminatórias adotadas, nas esferas pública e privada, durante o processo de formação social do País.

 

“O encontro faz parte de umas das ações importantes do governo, para que através da Setas e demais órgãos estaduais, com os municípios e governo federal, possamos conhecer de perto a realidade das comunidades quilombolas do Estado e buscar juntos soluções para seus problemas”, explicou o presidente do Iccab/MS, Antônio Borges.

         Segundo ele, a meta é levar esta primeira ação governamental para todas (no total de 21) comunidades remanescentes de quilombos de Mato Grosso do Sul.

História

A comunidade de Boa sorte é remanescente de quilombo, tendo registro na Fundação Palmares, do Ministério da Cultura, desde 1988. Os fundadores desse lugar – José Matias Ribeiro, Bonifácio Lino Maria e João Bonifácio – eram de Minas Gerais e, no fim do século 19, logo depois da abolição da escravatura, vieram para o então Mato Grosso e habitaram a região.

 

Fonte: Notícia MS

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench