Seafro monitora estatísticas de mulheres negras vítimas de violência

=O Núcleo de Saúde, Gênero e Religiões de Matiz Africana da Secretaria Extraordinária de Políticas para Afrodescendentes (Seafro) promove, nesta quarta e quinta-feira, 28 e 29 de setembro, reunião com diversos órgão de governo para apresentação de dados relativos ao atendimento à mulher negra vítima de violência no Amapá. O evento acontece das 14 às 18h, no auditório da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

As estatísticas, referentes ao período de janeiro a julho deste ano, foram solicitados através de ofícios e deverão ser apresentados por diversos órgãos, a exemplo de Centro Integrado de Defesa (Ciodes), Polícia Militar, Delegacia da Mulher, Centro de Atendimento à Mulher e à Família (Camuf), entre outros. A ideia inicial é monitorar se essas instituições fazem o registro de recorte racial no atendimento às mulheres vítimas de violência no Estado.

“Depois dessa reunião, iremos propor à Secretaria Extraordinária de Políticas para as Mulheres, com a qual já estabelecemos contato prévio, a capacitação dos membros desses órgão no que diz respeito ao recorte de gênero e etnia”, argumenta Rejane Soares, do Núcleo de Saúde da Seafro.

Programação para quarta e quinta:

14h – Abertura da reunião

14h20 – Dinâmica de apresentação dos participantes

14h40 – Exibição de vídeos

14h50 – Apresentação dos órgãos que compõem a RAM

18h – Encerramento

Gabriel Penha/Seafro

 

 

Fonte: Agência Amapá

+ sobre o tema

Barbie homenageia Madam C.J. Walker, primeira milionária dos EUA

A Barbie acaba de lançar mais uma boneca em...

Juana Ramirez Santiago, ativista dos direitos das mulheres é assassinada na Guatemala

Juana Ramirez Santiago era uma das lideranças influentes da...

Marco Feliciano tira sarro da cara de todo mundo porque pode

A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE NÃO PERDE BALCÃO DE NEGÓCIOS Por: Fátima...

para lembrar

Maceió sedia Encontro de Mulheres Jovens Negras

Promovido pela Prefeitura de Maceió por meio da Secretaria...

Roda de conversa Grada Kilomba e Djamila Ribeiro

A artista plástica Grada Kilomba, abre a exposição "Desobediências...

A terceirização e a ameaça aos direitos das mulheres negras trabalhadoras por Marjorie Chave

Logo nos primeiros dias do ano, um anúncio do site de...
spot_imgspot_img

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Coisa de mulherzinha

Uma sensação crescente de indignação sobre o significado de ser mulher num país como o nosso tomou conta de mim ao longo de março. No chamado "mês...
-+=