Tag: política

    Seminário reúne mulheres para discutir economia e política no Rio de Janeiro

    Quando o sol nasce, a mulher negra desce morro abaixo puxando a carrocinha. Com o corpo curvado, percorre ruas e avenidas do asfalto e retorna quando já não há sol. De volta ao encontro dos/as demais catadores/as de materiais recicláveis, faz uma primeira seleção do que poderá ser reaproveitado e virar fonte de renda e do que não serve a esse propósito. Ao retornar pra casa, a família, a roupa, a louça, ainda exigem atenção. O corpo estafado tem mais uma jornada a vencer. Por Iara Moura Maria de Nazaré, moradora de Volta Redonda, catadora de resíduos sólidos, não compreendia de maneira tão clara como as dimensões do capitalismo e do machismo se relacionavam com o cansaço que diariamente lhe oprime corpo e alma. Sentada na mesma roda que Graciete Santos, militante feminista da Casa da Mulher do Nordeste, fez que sim com a cabeça ao ouvir a fala provocadora ...

    Leia mais

    Partidos políticos apenas reproduzem a exclusão racial

    Legendas até criam alas específicas, mas não investem no setor RAQUEL AYRES ESPECIAL PARA O TEMPO O último senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que 50,7% dos brasileiros são negros ou pardos. No entanto, no Congresso Nacional, apenas 8,5% das cadeiras são ocupadas por essa parcela da população. Na opinião de especialistas, essa razão inversamente proporcional evidencia a falta de interesse dos partidos políticos em promover candidaturas dos negros. “Existe um fosso que separa brancos e negros no que se refere à representação parlamentar. Somos 43 deputados federais e três senadores diante de um universo de 513 parlamentares brancos e 81 senadores também brancos”, afirma o presidente da ONG União de Negros pela Igualdade (Unegro), Alexandre Braga. Segundo ele, diferentemente dos evangélicos e ruralistas, a bancada negra, por ser pouco numerosa, encontra obstáculos para aprovar leis que favoreçam a raça. A Lei das Cotas, que levou ...

    Leia mais

    Edson Santos lembra histórico de exclusão dos negros na política

    O deputado federal e ex-ministro da Igualdade Racial Edson Santos escreve artigo exclusivo para o Favela 247 sobre a história da participação dos negros na política nacional. Desde a eleição de Eduardo Gonçalves Ribeiro, o primeiro parlamentar negro da história do Brasil, e do advogado abolicionista Monteiro Lopes, há muito para se mudar: "Embora representem quase 51% da população brasileira (...) os negros ainda estão sub-representados no legislativo. Só 8% dos deputados federais são negros (43 dos 513) e apenas dois parlamentares se declaram negros dentre 81 senadores" Por *Edson Santos, para o Favela 247 A cor da política no Brasil O modo pelo qual o racismo se estabeleceu e foi incorporado pela sociedade tornou-se uma barreira quase intransponível para a participação dos negros e negras no processo político brasileiro. Na condição de escravos na colônia e no império, e de cidadãos de segunda categoria da abolição até muito recentemente, os negros brasileiros sempre foram excluídos do ...

    Leia mais
    lupa mulher

    O pessoal é político… mas, pera lá! – Por: Camilla de Magalhães Gomes.

    Nos últimos dias andei tendo várias conversas online sobre feminismo, generalizações e a ideia de que existe uma mulher universal. Pensando em tudo isso, compartilho alguns apontamentos aleatórios. 1. NEM TODA mulher tem uma história de horror pra contar. Reconhecer que há mulheres que não sofreram abusos, violências, agressões, etc. em decorrência da violência de gênero não nega sua existência nem desconstitui a necessidade do feminismo. Pelo contrário, atesta a magnitude dessa realidade expressada em números e não em abstrações generalizantes. além de nos fornecer elementos para pensar em formas de ressignificar as relações de gênero. 2. Não há UM opressor. Não há UM inimigo. Na construção da luta contra o estupro e sua invisibilidade, o feminismo desenvolveu uma narrativa que lhe deu uma dívida: a do homem amedrontador, pronto para atacar as mulheres nas ruas. Ou, como identificam as feministas negras americanas: a imagem do homem NEGRO amedrontador pronto ...

    Leia mais
    Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

    A ministra Luiza Bairros é chamada de anta: o tratamento dispensado à face negra e feminina da política

    Jornal Metro, 17/1, coluna de Cláudio Humberto. Edição de Brasília, página 04. Imagem: Priscilla Brito. por Blogueiras Negras Cécile Kyenge, Christiane Taubira e agora Luiza Bairros. Ministras de estado atacadas em sua humanidade pela comunhão estreita entre o racismo, o sexismo e a sensação de impunidade. Mulheres que se recusaram a permanecer no lugar que lhes é destinado pela branquitude abjeta que, atônita, reage por meio de xingamentos. A primeira e a segunda foram chamadas de macacas. Por aqui o xingamento foi outro, dessa vez somos comparadas a uma anta porque a ministra expressou a opinião de que os jovens do rolezinho também são vítimas de racismo. O sujeito da agressão é Cláudio Humberto, colunista do Jornal Metro, que se sentiu confortável o bastante para chamar uma ministra de estado de anta ao mesmo tempo que defende a tese de que não existiriam brancos no país. O que está subjacente ...

    Leia mais
    Igualdade de gênero e 5 paródias que eliminam as barreiras entre o humor e a política

    Igualdade de gênero e 5 paródias que eliminam as barreiras entre o humor e a política

    Feministas estão lutando pela igualdade factual entre homens e mulheres – tanto na prática como na teoria.  Abordagens mais bem humoradas para assuntos feministas existem – e estão recebendo a atenção de muitos. “Humor”, diz Rebecca Hains, professora de estudos de mídia na Salem State University, é poderoso porque ele “cresce nas pessoas, os faz dar risadas, e depois os faz pensar”. Por Nur Lalji, na Yes! Magazine. Tradução de Ítalo Piva Abaixo estão cinco paródias que estão fazendo muitos rirem, e depois – se espera – os fazendo pensar sobre a desigualdade entre os sexos: 1) A culpa é sua Um ano depois do brutal estupro coletivo de uma jovem em Nova Déli, a cidade teve um aumento de 125% em casos de estupro. Porém, como o The Hindustan Times relata – a notícia talvez não seja tão ruim. Pode significar que mais mulheres estão se sentido fortes o suficiente para denunciarem os incidentes ...

    Leia mais
    3conferencia-mulheres1

    Conferência estadual debate política pública para a mulher

    O Conselho Estadual da Condição Feminina promove nos dias 8, 9 e 10 outubro a 3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres, no Centro de Exposições e Convenções Expo Center Norte, na capital paulista. A cerimônia de abertura, no sábado, às 18 horas, contará com a presença da secretária da Justiça e da Defesa da Cidadania, Eloisa de Sousa Arruda, da ministra de Políticas Públicas para as Mulheres, Iriny Nicolau Corres Lopes, da deputada federal Luiza Erundina, da vice-prefeita de São Paulo, Alda Marco Antonio, e da presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina, Rosemary Correa. "As propostas trazidas pelos municípios são muito ricas. Na etapa estadual, vamos retirar as propostas que realmente atendam às necessidades das mulheres de São Paulo para serem discutidas na conferência nacional", afirma a presidente do Conselho. "Vamos focar nas políticas públicas que impulsionem a autonomia financeira, econômica e política das mulheres". No Estado de ...

    Leia mais
    Bancada2

    Bancada feminina quer mais recursos para políticas que atendam as mulheres

    As bancadas femininas da Câmara e do Senado vão pedir amanhã às ministras da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e de Relações Institucionais, Ideli Salvati, apoio para que sejam destinados no Plano Plurianual (PPA) 2012-2015 mais recursos para as políticas públicas voltadas para as mulheres. O encontro foi anunciado pela coordenadora da bancada da Câmara, Janete Pietá (PT-SP), que participou de reunião nesta tarde com representantes da Articulação de Mulheres Brasileiras. O grupo veio de 24 estados com o objetivo de debater, durante três dias, o texto do PPA. Guacira César de oliveira, uma das integrantes do movimento, afirmou que a luta é por mais recursos para combater a violência contra as mulheres e a mortalidade materno-infantil. Ela lamentou o corte de recursos no PPA 2012-2015 em três secretarias do governo federal, a de Direitos Humanos, a de Políticas para as Mulheres e a de Igualdade Racial. "A redução de recursos ...

    Leia mais
    bancada-feminina-e-ministras-014-300x147

    Bancada feminina no Congresso leva propostas a ministras Gleisi Hoffmann e Ideli Salvatti

    A deputada federal Marina Sant'Anna e demais parlamentares das bancadas femininas da Câmara e do Senado, dos partidos que compõem a base de apoio ao governo federal, reuniram-se nesta quarta-feira, 14, com as ministras da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti. As deputadas e senadoras levaram propostas de organizações que atuam pela redução das desigualdades nas questões de gênero e raça, definidas em reunião realizada no dia anterior com o movimento Articulação de Mulheres Brasileiras. A deputada Marina considera que os diálogos que estão sendo realizados pela igualdade de oportunidades no Brasil refletem o fortalecimento da democracia. Para ela, a união da sociedade e dos poderes Legislativo e Executivo favorece a eficácia das ações governamentais. A pauta de propostas levadas pelas parlamentares da bancada feminina pede a inclusão, no Plano Plurianual (PPA), de medidas que assegurem o fortalecimento das mulheres no enfrentamento das desigualdades, ...

    Leia mais
    mulheres-poderosas

    Saiba quem são as mulheres poderosas de Dilma

    Elas comandam dez ministérios e avançam nos cargos de maior importância do governo As mulheres vêm avançando na equipe de governo da presidente Dilma Rousseff. Não só em número, mas também em importância. É a primeira vez na história desse país, para usar o bordão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que o núcleo político é dominado por mulheres com a indicação de Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais). Tereza Campello comanda outra vitrine importante do governo Dilma: o Ministério do Desenvolvimento Social, o quinto mais rico e responsável pelo Brasil sem Miséria e pelo Bolsa Família. O orçamento da pasta está em R$ 43,1 bilhões. Juntas, Tereza, Ana de Hollanda (Cultura), Izabella Teixeira (Meio Ambiente) e Miriam Belchior (Planejamento) controlam cerca de R$ 64 bilhões em orçamentos, já considerando os bloqueios assinados em março. Outra parte das mulheres escolhidas por Dilma comanda secretarias com status ...

    Leia mais
    participacao_feminina_na_poltica

    Mulheres pedem mobilização por maior participação feminina na política

    Mulheres negras A secretária de Políticas de Ações Afirmativas da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Anhamona de Brito, defendeu a inclusão do quesito raça/cor no sistema de registro de candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "As mulheres negras se encontram praticamente afastadas do poder. Se as mulheres em geral estão à margem, as negras estão fora da margem", afirmou. A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Iriny Lopes, defendeu nesta quinta-feira, na Câmara, a mobilização das mulheres em torno de seus objetivos na reforma política. "Esse é o momento de sacudir o Brasil; eu conheço esta Casa, se os movimentos sociais não vierem bater a essa porta, a reforma política não vai mudar uma vírgula em relação às mulheres", sustentou, durante o 1º Seminário Internacional da Procuradoria Especial da Mulher. O presidente da Câmara, Marco Maia, foi o primeiro a afirmar ...

    Leia mais
    Assuno_Esteves

    Mulher presidirá o Parlamento pela primeira vez em Portugal

    Lisboa - A social-democrata Assunção Esteves, de 54 anos, foi eleita nesta terça-feira (21/6) presidente do Parlamento de Portugal, tornando-se a primeira mulher a ocupar esse posto. Por: France Presse Esteves, ex-integrante da Corte Constitucional e deputada por Lisboa, foi eleita presidente do Parlamento com 186 votos de 230. Em Portugal, o presidente do Parlamento, que substitui o presidente caso o poder fique vago, pertence tradicionalmente ao partido vencedor das eleições legislativas, neste caso o Partido Social Democrata (PSD, centro-direita). Em um gesto significativo, o Parlamento elegeu Estevez em vez de Fernando Nobre, candidato proposto pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, que não conseguiu obter a maioria nos dois primeiros turnos da eleição.   Fonte: Correio Braziliense

    Leia mais
    mulheres_e_dilma

    Com 9 mulheres, Dilma supera ‘cota’ de Lula, FHC, Collor, Itamar e Sarney

    Mandato começa com maior total de mulheres no primeiro escalão.Lula chegou a ter cinco ministras; Sarney teve apenas uma interina.   Luiz Inácio Lula da Silva não poderá usar sua emblemática frase “nunca antes na história deste país...” em relação às mulheres no comando dos ministérios. Cabe a Dilma Rousseff enaltecer o recorde feminino no primeiro escalão. Nesta quarta-feira (22), ela finalizou a definição dos responsáveis por cada uma das 37 pastas, secretarias ou órgãos com status ministerial. Elas ocuparão 9 postos. Antes, a marca pertencia a Lula no primeiro mandato: cinco ministras. O G1 levantou o número de ministras nas equipes montadas para posse de todos os presidentes da República desde a abertura democrática. A reportagem também traçou o perfil do primeiro escalão de Dilma. A média de idade é de 56 anos. Direito é o curso superior mais comum. E São Paulo é o estado com mais representantes. Ao ...

    Leia mais
    mulher_na_politica

    Presença feminina na política

    Os partidos não tiveram interesse de incorporar as mulheres a seu cotidiano, suas instâncias de poder e de investir na formação política NATALIA MORI e JOSÉ ANTONIO MORONI Novas eleições, e os direitos das mulheres seguem desrespeitados. São 52% do eleitorado, 5 milhões a mais que os homens, e a participação política das mulheres não importa. Os presidenciáveis, incluindo as candidatas, não pautam o tema; os partidos não cumprem a lei da cota de no mínimo 30% de mulheres candidatas; e os tribunais regionais eleitorais não a fiscalizam. O Brasil ocupa o 104º lugar de presença feminina no Parlamento, à frente apenas do Haiti. Fruto da luta das mulheres, em 1995 a lei estabeleceu percentual mínimo de 20% das candidaturas de cada sexo. Em 1997, foi ampliado para 30%. Em 2009, a lei mudou de "deverá reservar" para "preencherá". Nestas eleições, a média de candidaturas de mulheres é de 21%. ...

    Leia mais
    eleicoes2010

    Os candidatos e as candidatas do Brasil

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou o número de  candidatos registrados para as eleições de outubro de 2010. Há no país 167 candidatos a governador, 267 para senador, 5.760 para deputado federal e 13.718 candidatos para deputado estadual. São Paulo é o estado que possui maior número de candidatos: nove a governador (5,4% do total do país), 15 a senador (5,6%), 1.240 a deputado federal (21,5%) e 1.833 a deputado federal (13,4%). São Paulo é seguido perto por Minas Gerais: oito candidatos a governador (4,8%), 12 a senador (4,5%), 602 a deputado federal (10,5%) e 1.059 a deputado federal (7,7%). Juntos São Paulo e Minas Gerais somam 17 candidatos a governador (10,2%), 27 a senador (10,1%), 1.842 a deputado federal (32%) e 2.892 a deputado estadual (21,1%). Candidatos Brasil SP % (SP/BR) MG % (MG/BR) SP/MG % (SP+MG/BR Gov 167 9 5,4% 8 4,8% 17 10,2% Sen. 267 15 5,6% 12 ...

    Leia mais
    CNT EXT 273631

    Mulheres ainda ocupam menos de 10% dos cargos políticos do país, diz deputada

    Brasília - A candidatura de duas mulheres à Presidência da República, fato inédito no Brasil, vem tomando corpo na cena política. No entanto, encobre ainda uma realidade de crescente, mas ainda baixa, incidência de mulheres nas instância do poder. As pré-candidaturas da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pelo PT, e da senadora Marina Silva, pelo PV, são consideradas um avanço na luta pela maior participação das mulheres na política brasileira. Entretanto, para as próprias mulheres que fazem parte desse cenário, ainda há um longo caminho a ser percorrido em busca da igualdade com os homens. Luciana Lima Repórter da Agência Brasil A proporção de mulheres na Câmara dos Deputados em relação ao número de homens reflete a maciça predominância masculina. De 513 parlamentares que compõem a Casa, apenas 45 são mulheres. Nenhuma delas ocupa cargo na Mesa Diretora. No Senado, a situação não é diferente. Das 81 vagas, apenas ...

    Leia mais
    camara-federal

    Em segundo turno, a Câmara dos Deputados aprovou alguns pontos para ampliar a participação das mulheres na política

    A mini-reforma eleitoral aprovada, na noite desta quarta-feira (16/09), em segundo turno na Câmara dos Deputados avança em alguns pontos no tema da ampliação da participação das mulheres na política. Foi instituída a punição para o partido que não preencher o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo. Ontem, algumas emendas aprovadas no Senado que avançavam em relação ao texto da Câmara foram rejeitadas, entre elas o aumento da obrigatoriedade de utilização de 5% para 10% dos recursos do Fundo Partidário na criação e manutenção de programas de promoção e difusão da participação política das mulheres.   Entre os pontos aprovados, que beneficiam diretamente as mulheres brasileiras estão:   1. O parágrafo terceiro do artigo 10 da Lei 9.504/1997 passa a vigorar com a seguinte redação: Do número de vagas resultante das regras previstas neste artigo, cada partido ou coligação preencherá o mínimo de ...

    Leia mais
    seppir

    Participação das mulheres negras na política é tema de seminário

    As mulheres cada vez mais assumem o papel de chefes de família, aumentam sua escolaridade e ampliam a participação no mercado de trabalho. No entanto, ainda recebem menores salários e acumulam a maioria das tarefas domésticas. Esta realidade é apontada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e se soma a outro dado preocupante: apesar de formarem a maior parcela do eleitorado (51,7% em 2008), elas não ocupam na mesma proporção os espaços institucionais da vida política nacional. No caso das mulheres negras a diferença é ainda mais acentuada. Fonte: Presidência da República Esta realidade estará em debate no Seminário Empoderamento das Mulheres Negras e Participação Política, que será realizado de 13 a 15 de agosto, no Airan Hotel (SHN quadra 5, bl. A, subsolo), em Brasília.   A solenidade de abertura, às 18h da próxima quinta-feira, contará com a presença do ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção ...

    Leia mais
    Página 4 de 4 1 3 4

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist