Tribunal de Haia recebe nesta segunda-feira denúncia dos povos indígenas contra Bolsonaro, por genocídio

Enviado por / FonteDo Brasil 247

Denúncia foi formulada pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil e é consequência da morte de 1.162 indígenas por covid-19 no Brasil

O genocídio de Jair Bolsonaro chega nesta segunda-feira 9 ao Tribunal Penal Internacional, em Haia, na Holanda. “Diante da morte de 1.162 indígenas de 163 povos durante a pandemia de Covid-19, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) vai apresentar hoje uma denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia. O Brasil tem cerca de 850 mil índios espalhados por mais de 300 povos originários. 

“O documento, de 148 páginas acusa o presidente de genocídio e também de uma série de ações e omissões na gestão do meio ambiente. O texto sustenta que o desmantelamento das estruturas públicas de proteção socioambiental desencadeou invasões a terras indígenas, desmatamento e incêndios nos biomas”, aponta reportagem de Daniel Biasetto, publicada no jornal O Globo.”

A entidade vai pedir ainda à Corte que enquadre Bolsonaro por ecocídio, nova tipificação de crime contra a humanidade, sobretudo contra o planeta e o meio ambiente. Nas páginas da denúncia, é feito um balanço de todas as vezes que, de acordo com a Apib, o presidente atentou ou causou danos diretos aos índios por decisões políticas e articulações fora do Congresso” prossegue o jornalista. 

As lideranças reuniram depoimentos e exemplos de incentivos explícitos do governo federal a invasões, ataques, garimpo e mineração em terras indígenas. Após a apresentação da denúncia, o trâmite do processo se dá na Procuradoria do tribunal internacional, que vai analisar se abre ou não investigação contra Bolsonaro. Segundo o Estatuto de Roma, tratado que estabeleceu a criação do Tribunal Penal Internacional, os condenados por acusações semelhantes podem sofrer medidas cautelares e até prisões preventivas.

“São fatos e depoimentos que comprovam o planejamento e a execução de uma política anti-indígena explícita, sistemática e intencional encabeçada pelo presidente Jair Bolsonaro, desde 1º de janeiro de 2019, primeiro dia de seu mandato presidencial”, diz o documento dos povos originários.

+ sobre o tema

Herança maldita: na Era Hartung, mais da metade das vítimas de homicídios foi de jovens

  O Ministério da Justiça lançou, em parceria com o...

Criticado, Temer escolhe desembargadora negra para secretária

Alvo de críticas pela falta de mulheres e negros...

GatoMÍDIA Sedia Residência de Mídia e Tecnologia Favelado 2.0 no Complexo do Alemão

Entre 1 e 12 de março, o coletivo de mídia GatoMÍDIA do Complexo do...

Varejo ainda trata mal pessoas de baixa renda

Por: Fábio Monteiro É difícil encontrar um consumidor...

para lembrar

Rocinha repudia comportamento de Bolsonaro e seu fascismo

Um dos problemas mais graves de violência no Brasil...

Estudantes voltam às ruas contra o bloqueio do Orçamento de universidades

Reitores de institutos federais afirmam que terão que fechar...

Movimentos sociais driblam omissão do governo na pandemia

Não é exagero afirmar: se não fosse a atuação...

Terror contra os povos indígenas do Ceará

No dia 11 de outubro de 2014, o Povo...

Mortes maternas e de recém-nascidos não têm queda desde 2015, diz OMS

O número de mortes maternas e de recém-nascidos não apresenta queda significativa desde 2015 e chega a 4,5 milhões de ocorrências a cada ano, aponta a OMS...

Fraude na vacinação é falta de caráter

O sérvio Novak Djokovic é o tenista número um do mundo. Aos 35 anos, caminha para uma centena de títulos, 22 deles em torneios...

Ouça e veja agora o novo single e clipe das Clarianas, “Garimpo Yanomami”

O trio Clarianas, grupo de pesquisa musical formado por Naruna Costa, Martinha Soares e Naloana Lima, divulga hoje seu mais novo single-clipe, “Garimpo Yanomami”: Poética...
-+=