BNDES deve atrair empresas e investimentos africanos ao Brasil

 

A partir do próximo dia seis de dezembro, o Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) vai abrir um escritório de operações na África do Sul. A informação foi revelada pelo professor João Bosco Monte, presidente do Instituto Brasil-África, que visa promover o intercâmbio comercial entre os dois países. Essa unidade internacional, segundo ele, terá, como funcionários, somente técnicos brasileiros.

A função do escritório, conforme o presidente, será desenvolver atividades de financiamento de empresas brasileiras no continente africano e, também, fazendo a atração de empresas africanas para a realização de investimentos no Brasil. Ele observou que, antes mesmo da inauguração desse escritório, já existem clientes aguardando as operações da unidade.

FÓRUM

João Bosco foi a Brasília participar de reunião no Itamaraty, no ambiente de relações exteriores, para discutir os termos da participação da entidade no Fórum Brasil-África, que vai ocorrer em Fortaleza, nos dias 28 e 29 de agosto do ano que vem. Para o evento, está sendo aguardada a participação de, pelo menos, 40 delegações africanas, além de empresários brasileiros da área de infraestrutura.

As conversações servirão, também, para discutir a participação oficial do governo brasileiro neste importante Fórum a ser realizado aqui. Ainda em Brasília, João Bosco foi acompanhar os contatos de uma empresa do Ceará chamada G4flex, da área de telecomunicações e informática. Ele foi participar de uma reunião com três embaixadores – de Angola, Moçambique e Cabo Verde -, numa forma de expansão das atividades da empresa cearense.

O Fórum que acontecerá no próximo ano, na Capital cearense, e a abertura deste escritório do Bndes no continente africano, serão de grande importância, uma vez que no último dia dez, a Companhia Docas do Ceará (CDC) assinou o contrato de lançamento de uma linha marítima direto para Cabo Verde. O primeiro embarque acontecerá na segunda quinzena de dezembro e é composto de uma carga com três mil toneladas de produtos variados como aço, calçados, suco de frutas, revestimentos cerâmicos e argamassa para rejuntamento. O tempo de viagem, que hoje é de 45 dias e exige grande logística, será reduzido para apenas sete, de porto a porto.

Fonte: O Estado

+ sobre o tema

Saiba mais sobre Joseph Kony e o Exército de Resistência do Senhor

Viral 'Kony 2012' trouxe à tona figura de líder...

Itália resgata dezenas de imigrantes africanos à deriva

Imigrantes foram levados à ilha de Lampedusa; entre os...

Beluce Bellucci: A nova conjuntura africana

A virada do milênio representa uma virada na...

para lembrar

spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...

Com verba cortada, universidades federais não pagarão neste mês bolsas e auxílio que sustenta alunos pobres

Diferentes universidades federais têm anunciado nos últimos dias que, após os cortes realizados pelo governo federal na última sexta-feira, não terão dinheiro para pagar...
-+=