segunda-feira, novembro 28, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaPatrimônio CulturalApós vitória histórica, Marta agradece companheiras: “Vocês me reergueram”

Após vitória histórica, Marta agradece companheiras: “Vocês me reergueram”

Estádio do Mineirão, madrugada deste sábado, vestiário da seleção brasileira. O time ainda comemorava a classificação para a semifinal do torneio de futebol feminino dos Jogos Olímpicos do Rio. A atacante Marta, cinco vezes eleita a melhor do mundo, deixou as companheiras e a comissão técnica emocionadas. Poucas pessoas resistiram ao choro ao ouvir o que a estrela da companhia disse, com voz embargada.

Por Luciano Borges, do Blog do Boleiro

E foi mais ou menos assim, como o Blog do Boleiro apurou:

“Quero agradecer a todas vocês. Quando perdi aquele pênalti, meu mundo acabou. Porque sei que era o fim de um sonho e o fim para uma geração que vem lutando e abrindo caminho para gente nova. E foram as meninas mais novas, as primeiras a me confortarem quando eu voltava lá da área do pênalti. Vocês me reergueram, me consolaram e lembraram que a Bárbara ia defender o último pênalti. Eu que sou velha, estava morta. Desabei. As mais novas e o time me trouxeram pra cima. Por isso muito obrigado”.

Assim terminou a aventura das meninas brasileiras nas quartas de final. Depois de mais de duas horas correndo em grande intensidade, as seleções de Brasil e Austrália terminaram empatadas sem gols. A decisão foi para as penalidades. Até a quinta cobrança ninguém errou. Marta foi a última da primeira série. E viu a bola que chutou no canto direito ser desviado pela goleira Williams.

Com a camisa sobre o rosto, a principal jogadora do país voltou para o meio de campo. No caminho, ela foi consoladas por Debinha e Andressinha, jogadoras da nova geração do futebol feminino. No gol, enquanto se preparava para a última tentativa australiana, a goleira Bárbara rezou. “Pedi a Deus para me ajudar a defender o pênalti. Não seria justo a gente ser eliminada com um erro da Marta. Ela não merecia”, contou depois.

Antes, Bárbara defendeu a cobrança de Gorry. Depois, nas penalidades alternadas, garantiu a vitória brasileira ao desviar a bola chutada por Kennedy.

A seleção deixou Belo Horizonte neste sábado, ainda comentando como a torcida no Mineirão foi importante. “Teve aquele canto dos atleticanos (“ah, eu acredito”), a apoio que deram à Marta e os gritos o tempo todo. Foi do cacete”, disse Marco Aurélio Cunha, coordenador do futebol feminino da CBF.

TESTE COM CRISTIANE

Já no Rio de Janeiro e na Vila Olímpica, as jogadoras ganharam descanso. Cristiane continua fazendo tratamento para se recuperar de lesão no músculo posterior da coxa direita. A atacante e maior artilheira do futebol feminino em Jogos Olímpicos, será avaliada nesta segunda-feira. O técnico Vadão espera para saber se poderá escalar a jogadora diante da Suécia, na terça no Maracanã.

“Acredito que já volto sim”, disse Cris que já não é mais o único problema do time brasileiro. Ainda neste domingo, a lateral Fabiana será examinada. Ela sofreu uma torção no tornozelo direito. Só um exame de imagem poderá definir o grau de gravidade. “Ela precisa estar bem. É uma jogadora de explosão e velocidade”, disse Cunha.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench