‘Aposto que você nunca pensou que, ao disparar num homem negro, acabaria herdando todas as suas batalhas’

Em meio à indignação geral nos Estados Unidos e no mundo pela absolvição de George Zimmerman, surgiu nas redes sociais uma comovente carta que se difundiu rapidamente entre os indignados com o caso.

George Zimmerman trabalhava como vigia na cidade de Sanford, no estado da Flórida. Em fevereiro de 2012, ao abordar o jovem negro Trayvon Martin, de 17 anos, Zimmerman disparou e terminou com a vida do estudante, que estava desarmado.

Neste fim de semana, a Justiça dos Estados Unidos absolveu Zimmerman, por considerar que sua ação foi em legítima defesa. A resolução se deu através de um juri, conformado por seis mulheres brancas, que decidiram de forma unânime. Organizações de direitos humanos afirmam que a acusação não levou em conta a questão racial durante o julgamento, o que favoreceu a absolvição. Em pronunciamento oficial, Barack Obama, primeiro presidente negro dos Estados Unidos, pediu que se respeitasse a decisão da Justiça.

Entre as muitas manifestações que ganharam as ruas estadunidenses e inundaram as redes sociais, ganhou destaque a de Alex Fraser, um cidadã0 afroamericano, que publicou uma carta dirigida a Zimmerman em sua conta no Facebook, na que denuncia o que significa ser negro nos Estados Unidos.

A carta diz o seguinte:

Querido George Zimmerman,

Pelo resto da sua vida, você sentirá o que é ser um homem negro nos EUA.

Sentirá que as pessoas ficam olhando para você. Estarão te julgando por coisas que você considera injustas. Você perderá a oportunidade de conseguir certos trabalhos por motivos que estão fora do seu controle. Você pode se achar um cidadão honrado, mas se perguntará por quê as pessoas preferem prejulgá-lo.

Alguns cruzarão para a outra calçada ao ver você. Alguns te insultarão. Em dias que a raiva for muito forte, você vai querer gritar com o mais profundo da sua alma. Mas, no dia seguinte, terá que levantar da cama, manter-se firme e seguir adiante.

Aposto que você nunca pensou que, ao disparar num homem negro, acabaria herdando todas as suas batalhas.

Desfruta a sua “liberdade”.

Atenciosamente,

Um homem negro que poderia ser Trayvon Martin.

(tradução realizada através da versão em espanhol, publicada no portal Cuba Debate)

Protestos contra a absolvição de Zimmerman voltam às ruas nos EUA

Trayvon Martin: Acusado de matar por racismo é inocentado

 

 

Fonte: MariaFrô

+ sobre o tema

SP enquadrou 31 mil negros como traficantes em situações similares às de brancos usuários

Para a polícia de São Paulo, a diferença entre um traficante e...

STF retoma julgamento sobre descriminalização do porte de drogas

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma nesta quinta-feira (20)...

STF começa a julgar nesta terça (18) supostos mandantes da morte de Marielle

O Supremo Tribunal Federal (STF) inicia, na tarde desta...

PL antiaborto viola padrões internacionais e ameaça vida, diz perita da ONU

O PL antiaborto viola padrões internacionais de direitos humanos...

para lembrar

Ahmadinejad diz que libertação de professora francesa foi presente ao Brasil

Florence Reiss foi condenada por espionagem durante os protestos...

Oito deputados de Minas Gerais assinam PEC para extinguir órgão de combate ao trabalho escravo

Em meio a grandes resgates de pessoas em situação de...

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu a obra Mulheres Sonhadoras, Mulheres Cientistas, composta por dois livros, das escolas e bibliotecas do município. Escritos por...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e constranger o governo, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, facilitou a aprovação de...

Janja defende direito ao aborto legal, diz que projeto é ‘absurdo’ e afirma que Congresso deve garantir acesso ao SUS

A primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja, afirmou que do projeto de lei (PL) 1904, que quer colocar um teto de 22 semanas no acesso ao...
-+=