terça-feira, janeiro 18, 2022
InícioQuestão RacialViolência Racial e PolicialAto Vidas Pretas Importam - Cidade Tiradentes/ZL

Ato Vidas Pretas Importam – Cidade Tiradentes/ZL

Fonte: Facebook

No Brasil, um jovem preto é assassinado a cada 23 minutos.

Todos que foram vítimas do assassinato da população preta e pobre, mortos antes e durante a quarentena nas ruas da Cidade Tiradentes, merecem justiça. Felipe Santos Miranda, Brayam Ferreira dos Santos, Igor Bernardo dos Santos e tantos outros jovens seguem vivos em nossa memória e é por eles que nos manifestamos.

Cidade Tiradentes é o bairro onde se morre mais cedo em São Paulo: a expectativa de vida é de apenas 57 anos. A violência contra os moradores não diminuiu e acontece de diversas formas, mesmo durante uma pandemia de COVID-19.

Com o isolamento, muitos perderam seus trabalhos e hoje tentam sobreviver com R$ 600,00: valor insuficiente para sustentar famílias com comida, água, luz e outras necessidades básicas. Temos o vírus, a fome e a violência cotidiana agindo juntos pelo genocídio.

Os leitos de UTI foram esgotados em abril e já perdemos mais de 120 vidas por coronavírus no bairro. Pessoas que se foram por falta de acolhimento e atendimento para serviços públicos, trabalho e segurança. Todos os dias nossos jovens vivenciam a violência do Estado, assim como o padrão racista e classista da polícia militar.

O genocídio cresce e o racismo continua matando. Covas, Dória e Bolsonaro são hipócritas e tiranos, tratando como invisível uma população que é maioria não só na Zona Leste, mas no Brasil: a população preta e periférica. A polícia puxa o gatilho, decidindo quem vive e quem morre.

Não basta não reproduzir o racismo, é necessário fazer parte da luta antirracista. Não nos calaremos diante dessas injustiças!

Nossa população e nossos coletivos estão unidos na luta contra o racismo, a violência policial, LGBTfobia, machismo e exploração capitalista.

Convocamos todas e todos para ocupar as ruas e denunciar todas as formas de genocídio, principalmente a brutalidade policial nas periferias.

Junte-se aos coletivos da Cidade Tiradentes na luta pelas Vidas Pretas! Por nossos jovens e crianças do passado, do presente e do futuro!

Assinam este ato:
Ali Leste
Bueiro Periférico
Coletivo de Esquerda Força Ativa
Coletivo NoBatente
Comitê Mestre Moa CT
CPDOC Guaianás
Frente Anarquista da Periferia
Instituto Du Gueto
Lab Casa Cultural
Marcha das Mulheres Negras de SP
Mulheres Pretas que movem CT
PSTU Zona Leste
Quilombo Invisível
Quilombo Raça e Classe
Rede contra o Genocídio
#VIDASPRETASIMPORTAM
#FORABOLSONAROEMOURAO
#CTemLuta #CidadeTiradentes

Acompanhe no Facebook 

RELATED ARTICLES