terça-feira, setembro 21, 2021
InícioÁfrica e sua diásporaPatrimônio CulturalCom Omar Sy, longa conta história do primeiro palhaço negro da França

Com Omar Sy, longa conta história do primeiro palhaço negro da França

Quando a grande estrela de Paris do início do século 20 foi presa por falta de documentos, os policiais escovaram suas costas até sair sangue para mostrar-lhe que jamais seria como os outros, querendo dizer que nunca seria branco, como eles.

no Folha de São Paulo

O filme “Chocolate”, do ator e diretor francês filho de marroquinos Roschdy Zem, é baseado na história do primeiro palhaço negro da França, interpretado por Omar Sy (“Intocáveis”).

O artista, que chegou à Europa após ser vendido como escravo aos oito anos, torna-se, com outro palhaço, Footit, a grande atração do principal circo da capital francesa.

“O que me fascina é a trajetória extraordinária de Chocolate e o fato de ter completamente desaparecido da memória coletiva”, diz Zem, em entrevista à Folha.

Ele explica que o palhaço teve grande notoriedade, mas que depois de menos de 50 anos havia sido esquecido. “Chama a atenção que a grande estrela do começo do século passado fosse um negro”, completa.

No longa, parte da programação do Festival Varilux e que deve estrear no circuito em 21 de julho, a dupla de Chocolate é vivida por James Thierrée, neto de Charles Chaplin e artista de circo.

“James tem um grande conhecimento do espetáculo circense. Ele e Omar Sy trabalharam juntos nos números por quatro semanas antes das gravações, o que foi essencial para que o resultado fosse uma dupla de verdade”, diz Zem.

Para aqueles cuja cena favorita de “Intocáveis” é a da dança do carismático Omar Sy, saibam que em “Chocolate” ele volta ao gingado no salão.

Zem também é tema de uma mostra de seus filmes como ator e diretor em São Paulo e no Rio, dentro da programação do festival de cinema francês.

leia também: Filme Chocolate é um retrato trágico e cômico do racismo

Entre os longas estão “Dias de Glória”, sobre soldados do Marrocos que lutaram pela França na Segunda Guerra, e “Omar m’a Tuer”, seu segundo filme, baseado num caso célebre da Justiça francesa nos anos 1990, em que um jardineiro marroquino é acusado de matar sua patroa.

FESTIVAL VARILUX
QUANDO de 8 a 22 de junho
ONDE Espaço Itaú, Caixa Belas Artes, Cinearte, Kinoplex Itaim, Cine Sala e outros
PROGRAMAÇÃO www.varilux cinefrances.com

RELATED ARTICLES