Geledés Instituto da Mulher Negra desenvolverá projeto voltado para o direito à educação das meninas negras com apoio do Fundo Malala

Artigo produzido por Redação de Geledés

É com imensa alegria que Geledés Instituto da Mulher Negra vem anunciar que, desde setembro de 2021, passou a integrar a Rede de Ativistas pela Educação do Fundo Malala. Como parte desse grupo, a instituição recebe um financiamento para desenvolver o projeto “Defesa do direito à educação de meninas negras”,  com o apoio do Fundo Malala.

Este projeto propõe ações de incidência e monitoramento das políticas públicas de promoção do direito à educação com equidade de raça e gênero por meio da três objetivos: a) articulação de organizações da sociedade civil para incidência das agendas de gênero e raça nos espaços de poder e tomada de decisão; b) proposição de políticas públicas e programas estatais em defesa do direito à educação de meninas negras; e c) fortalecimento da convivência democrática.

Ao considerar os princípios de atuação da instituição, em que equidade de raça e gênero são basilares para a construção de uma sociedade com justiça social, buscamos sensibilizar e mobilizar a sociedade, as instâncias participativas e os espaços de decisão sobre a realidade experienciada pelas mulheres e pela população negra e a necessidade de adoção de estratégias voltadas para esses segmentos a fim de combater as desigualdades. Por isso, nesse momento de crise atuamos no enfrentamento à pandemia com especial atenção à realidade de pessoas negras e integramos articulações que visam barrar retrocessos políticos nos campos legais e na atuação do Estado.

Durante o período de dois anos (2021-2023), a organização trabalhará com o mapeamento das agendas de raça e gênero nas políticas educacionais, com foco nos poderes executivo, legislativo e judiciário em âmbito federal, e com a formação de 5 secretarias municipais de educação para o desenvolvimento de um trabalho intersetorial de enfrentamento às desigualdades e garantia do acesso e permanência de meninas negras às instituições de educação básica. 

Pretendemos chegar ao fim desse projeto com a produção de evidências que qualificam a atuação em defesa do direito à educação de qualidade com equidade e ter experiências efetivas de políticas públicas para o enfrentamento às desigualdades de raça e gênero.

+ sobre o tema

Aplicativo ajuda a combater violência contra a mulher no Rio Grande do Sul

Com apenas quatro toques, a polícia, a Justiça e...

#GeledesEsportes: O futebol como meio de resgate

#GeledesEsportes - Geledés inicia hoje no YouTube um espaço...

Assista: O Mundo do Trabalho e o Lugar da Economia Solidária

Neste sábado, 1º de Maio, às 19h, o Geledés...

para lembrar

Professor Sérgio Nogueira aponta os 10 erros de português mais frequentes

O professor Sérgio Nogueira explicou os dez erros mais...

50 erros de português que você não pode mais cometer

Guia prático para não queimar mais o filme em...

Professor de Harvard revela os preceitos para a ‘boa escrita’

Para Steven Pinker, 'escrever bem requer empatia'. Professor do...

Ocupar escolas, ocupar o discurso especialista

“O indivíduo era sempre descrito em função de seu...

Debate na ONU sobre a nova declaração de direitos da população afrodescendente conta com a presença de Geledés

Geledés - Instituto da Mulher Negra esteve presente na sede das Nações Unidas em Genebra, na Suíça, durante os dias 8 e 9 de...

Como a educação antirracista contribui para o entendimento do que é Racismo Ambiental

Nas duas cidades mais populosas do Brasil, Rio de Janeiro e São Paulo, o primeiro mês do ano ficou marcado pelas tragédias causadas pelas...

Fórum em Barbados discute as grandes temáticas do feminismo negro 

“O que o poder do feminismo negro significa hoje?”. Essa pergunta intrigante e provocativa foi temática de um dos painéis do Fórum dos Feminismos...
-+=