A 25ª. Festa Literária da USP está imperdível; Geledés indica algumas obras

Artigo produzido por Redação de Geledés

Da biografia sobre Sueli Carneiro à primeira escritora feminista negra Maria Firmina dos Reis, a feira traz tudo com 50% de desconto

Se você adora ler e ainda não foi à 25 ª Festa do Livro da USP, que é um dos maiores eventos literários do Brasil, corre lá porque ainda dá tempo. São 211 editoras que vendem seus livros por ao menos metade do preço, isso mesmo, desconto de no mínimo 50% em todas as obras. Dá para se perder em meio às montanhas de livros, separadas em ilhas, e os cerca de 10mil compradores que circulam por dia. Tem gente, inclusive, saindo de lá até com carrinho de feira!

Antes de sair de casa faça uma listinha dos livros que deseja, com suas respectivas editoras. Logo na entrada, pegue um mapa que contém a localização de todas editoras presentes. A feira oferece um leque, porque o calor está pesado. Não se esqueça de levar uma garrafinha de água e se tiver fome, fora do galpão há food trucks. Neste sábado a feira vai até 21 h e amanhã, domingo, será das 9h às 19h, quando encerra de vez. O endereço é Avenida Professor Mello Moraes, travessa C, Cidade Universitária, em São Paulo.

Geledés passeou pela festa literária e resolveu selecionar algumas obras para você. Vamos às indicações.

Foto: Kátia Mello

Na feira é possível encontrar as obras da coordenadora e fundadora de Geledés, Sueli Carneiro, como “Racismo, Sexismo e Desigualdade no Brasil”, Selo Negro. Neste livro estão reunidos artigos escritos pela filósofa, educadora e ativista entre os anos de 2001 e 2010. Também é possível comprar a biografia de Sueli, “Continuo Preta”, da escritora e jornalista Bianca Santana, da Companhia das Letras.

Quem sempre teve curiosidade de ler a biografia de Nelson Mandela ou curiosidades sobre o líder sul-africano, esta é a hora. “Cartas da Prisão de Nelson Mandela”, da editora Todavia, traz as correspondências do ex-presidente durante seus 27 anos de encarceramento.

Preciosidades também é impossível encontrar na feira, como “Úrsula”, obra da primeira escritora romancista negra do Brasil, a maranhense Maria Firmina dos Reis (1825-1917), do Selin Trovoar, e que ficou esgotado durante anos.

Há também inúmeros livros premiados como “O coração que chora e que ri – Contos Verdadeiros da Minha Infância”, da consagrada escritora e feminista guadalupense, Maryse Condé, editado pela Bazar do Tempo e que levou o Prêmio Marguerite Youcenar.

Foto: Katia Mello

Uma boa aquisição é “O Alegre Canto da Perdiz”, da moçambicana Paulina Chiziane, livro vencedor do Prêmio Camões e editado pela Dublinense. Chiziane foi a primeira escritora moçambicana a publicar um romance e é uma das autoras africanas mais reconhecidas internacionalmente.

Outro livro que vale a pena é “A Mulher dos Pés Descalços”, de Scholastique Mukasonga, da editora Nós. O romance é um relato autobiográfico sobre a mãe que viveu o genocídio praticado pelos Hutus em 1994.

Foto: Katia Mello

Quem gosta de quadrinhos não pode perder a chance de adquirir “Carolina”, de Sirlene Barbosa e João Pinheiro, que conta a trajetória do fenômeno literário Carolina Maria de Jesus, autora de “Quarto de Despejo”.

+ sobre o tema

Formação de agentes populares de saúde: uma ação eficaz contra a pandemia

Desde os primeiros casos registrados de coronavírus no país,...

Mãe-solo, Inaihe se torna empreendedora na pandemia

Em fevereiro de 2021, em plena pandemia, Inaihe Nainhana...

para lembrar

Kelly se tornou professora na pandemia e luta por inclusão na sala de aula

Kelly Aparecida de Souza Lima, de 46 anos, tornou-se...

8 de março: os desafios por justiça racial e de gênero

Ao refletirmos sobre a situação das mulheres negras na...

Geledés recebe a maior condecoração do Ministério das Relações Exteriores

Geledés - Instituto da Mulher Negra recebeu ontem, em cerimônia do Palácio...

Sueli Carneiro será homenageada hoje e domingo pelo bloco afro Ilú Obá de Min; participe desta festa 

Depois de três anos longe das ruas de São Paulo, o bloco afro Ilú Obá de Min volta neste Carnaval com o tema “Akíkanjú:...

Use sua arma mais poderosa: o voto!

Há poucos dias do pleito, a cédula eleitoral é arma mais eficaz e poderosa para levar à lona o neofascismo vigente. É certamente a...

Mudanças climáticas e os impactos na saúde da população negra

Em 1989, Spike Lee lançou “Faça a Coisa Certa”, filme que revela o cotidiano de uma comunidade pobre em um subúrbio dos Estados Unidos. ...
-+=