Glória Maria diz que sofreu antes de aparecer na TV: ‘Tinha medo do racismo’

Apresentadora comentou a polêmica da morte de Tancredo Neves: ‘Achavam que ele tinha sido assassinado e que eu teria presenciado isso’

Convidada especial do Encontro desta quarta-feira, dia 21, Glória Maria relembrou momentos marcantes de sua carreira e contou um pouco da sua trajetória como jornalista no quadro “Grande Reportagens”. A apresentadora e repórter, que começou escrevendo texto para a TV, revelou que sofreu para começar a aparecer no vídeo: “Eu era muito confortável naquela coisa de texto, não tinha aquela coisa de glamour, maquiagem, se arrumar. Eu tinha muito medo, tinha medo do preconceito, eu tinha medo do racismo, das pessoas não entenderem uma negra estar ali. Então, era muita coisa que eu tinha que superar. Foi muito difícil”.

Durante todos esses anos na TV, a jornalista cobriu momentos importantes para a história e a política do Brasil. A cobertura da morte do presidente eleito Tancredo Neves acabou gerando uma polêmica envolvendo a repórter: “As pessoas achavam que ele não tinha morrido naturalmente, que ele tinha sido assassinado, e que eu tinha sido testemunha desse assassinato”.

A jornalista ainda explicou o que aconteceu na época: ” Eu apresentava o jornal das 7h na época. E aí eu não pude participar dessa cobertura em São Paulo, que era onde ele estava agoniando. Tive que ficar no Rio, e as pessoas não me viam nessa cobertura nacional. Então, se eu não estava ali, é porque tinha um mistério em torno da morte do presidente. Esse mistério era que ele tinha levado um tiro, esse tiro teria atingido a minha perna e eu teria ficado hospitalizada, incomunicável. Começou a surgir uma coisa tão absurda… Eu tive que entrar em todos os jornais ao vivo para mostrar que eu estava viva”, lembrou Glória.

 

 

Fonte: Tvg.globo 

+ sobre o tema

Show de Ludmilla no Coachella tem anúncio de Beyoncé e beijo em Brunna Gonçalves; veja como foi

Os fãs de Ludmilla já estavam em polvorosa nas redes sociais...

Geledés faz em Santiago evento paralelo para discutir enfrentamento ao racismo nos ODS

Geledés - Instituto da Mulher Negra realiza, de forma...

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços,...

As mulheres que se rebelam contra venda de meninas para casamentos no México

Inicialmente, Claudia* não havia pedido dinheiro em troca da...

para lembrar

Após 2 anos, loja da BMW acusada de racismo é condenada no Rio

'Aqui não é lugar para você. Saia', teria dito...

“Racismo é estrutural e está no plano do inconsciente”

Presidente do Instituto Luiz Gama, Sílvio Almeida, e...

“Já fiquei com um Negro” é o argumento mais furado para se defender de acusações de racismo

A torcedora do Grêmio Patrícia Moreira, acusada de injúria...

O fantasma do racismo percorre novamente a Europa

  LUCÍA ABELLÁN, MIGUEL MORA   Judeus confessam que voltam a sentir medo;...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=