segunda-feira, setembro 27, 2021
InícioÁfrica e sua diásporaEntretenimentoGrandes cordelistas têm encontros marcados com os novos tempos, de 6 de...

Grandes cordelistas têm encontros marcados com os novos tempos, de 6 de março a 24 de abril

Não é de hoje que a literatura de cordel faz o coração do pesquisador Fernando Assumpção bater na cadência das rimas. Nos idos de 2010, ele atuava na equipe que batalhou, junto ao Iphan, para emplacar, em 2018, o cordel como patrimônio imaterial da Brasil. Agora Fernando sonha em tocar a Amo Cordel, uma associação fundada por ele e já repleta de projetos que valorizam a manifestação cultural que teve início em Portugal, no século XII, com os trovadores medievais. O primeiro deles vêm aí: Encontro Virtual com Poetas Populares.

Ao todo, o projeto vai apresentar os versos e a prosa de 16 grandes cordelistas – do sergipano octogenário João Batista Melo, com mais de 150 livretos publicados e carta da ONU, até o capoeirista carioca Victor Lobisomem, beirando os 5o anos – alinhavados em oito temas, com dois artistas por vez, em conversas ao vivo mediadas por estudiosos e conhecedores deste universo. Os encontros serão realizados entre os dias 6 de março e 24 de abril, todos os sábados dos dois meses, sempre às 16h, no canal oficial no YouTube, com acesso livre e gratuito.

“O Cordel é uma arte em constante renovação. E estamos animados em trazer um bem cultural desse quilate para o formato das lives, um jeito de continuar falando com as pessoas nesta crise sanitária mundial. Pensei em temas ou muito visitados ou que, de certa forma, despertam o interesse de boa parte dos poetas, sempre pensando em conquistar mais leitores. Foi divertido escolher a dedo os assuntos e os cordelistas. Esperamos que o público também se divirta!”, sorri o curador Fernando Assumpção.

Para muito além do entretenimento, a literatura de cordel se consolidou no Brasil como uma expressão artística sócio-educativa. Com a sua linguagem simples e acessível, mas também artisticamente sofisticada, o cordel conta histórias e dissemina informações relevantes para populações inteiras em diversos recantos do país. Traz uma função política em sua gênese, pois viabiliza a compreensão da realidade e das novidades que chegam a esses lugares. Em Portugal, servia para informar os analfabetos, que existiam aos borbotões.

Estreia da Belmira Comunicação como realizadora, a série Encontro Virtual com Poetas Populares será registrada pela Iracema Filmes e viabilizada através de recursos do do Estado do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, do Governo Federal e da Lei Aldir Blanc.

TODOS OS SÁBADOS DE MARÇO E ABRIL TÊM!

Dia 6 de março, às 16h
CANTORIA E CAUSOS POPULARES
Com Ivamberto de Oliveira e Willian J. G. Pinto
Mediação: Geraldo Aragão, poeta e pesquisador de cultura popular

Dia 13 de março, às 16h
LENDAS E MITOS BRASILEIROS
Com João Batista Melo e Sepalo Campelo
Mediação: Cáscia Frade, professora e pesquisadora de cultura popular

Dia 20 de março, às 16h
OS POETAS E A PRODUÇÃO DA LITERATURA DE CORDEL NO NORDESTE PARA ALÉM DO CANGAÇO
Com Klévisson Viana e Anilda Figueiredo
Mediação: Claudia Marcia Ferreira, diretora do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular

Dia 27 de março, às 16h
PRODUÇÃO FEMININA NA LITERATURA DE CORDEL
Com Rosário Pinto e Josenir Lacerda
Mediação: Beth Costa, pesquisadora do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular

Dia 3 de abril, às 16h
PATRIMÔNIO IMATERIAL: CORDEL, CAPOEIRA E SAMBA
Com Lobisomem e Severino Honorato
Mediação: Mônica da Costa, assessora de Patrimônio Imaterial do Iphan RJ

Dia 10 de abril, às 16h
O ROMANCE NA LITERATURA DE CORDEL
Com Moreira de Acopiara e Jose Valter Pires
Mediação: Carolina Nascimento, pesquisadora do Observatório do Patrimônio Cultural do Sudeste

Dia 17 de abril, às 16h
A LITERATURA DE CODEL, A GAIATICE E O JOCOSO
Com Dalinha Catunda e Lindicássia Nascimento
Mediação: Fernando Assumpção, curador do Encontro Virtual com Poetas Populares

Dia 24 de abril, às 16h
CORDEL NA CONTEMPORANEIDADE
Com Rosilene Melo e Zé Salvador
Mediação: Ricardo Lima, professor do Instituto de Artes da Uerj

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 
RELATED ARTICLES