Historiadoras e historiadores negros realizam exposição virtual sobre racismo e trabalho

Sob a curadoria da Rede Historiadorxs Negrxs, Geledés – Instituto da Mulher Negra, em parceria com o Acervo Cultne e com o Google Arts & Culture, a exposição Racismos: lutas negras no trabalho livre é parte do projeto “Nossas Histórias: vidas, lutas e saberes da gente negra”. Ela será a quinta sala de um conjunto de exposições on-line que têm tratado da trajetória, experiências e ativismos de homens e mulheres negras.

No dia 13 de maio de 1888 foi assinada a Lei Áurea, que decretou a abolição formal da escravidão no Brasil. De forma que, o fim desse regime foi marcado por uma série de disputas em torno dos projetos de emancipação, em um contexto no qual a maior parte da população negra já era livre e liberta. Gente que lidou com  muitos desafios para assegurar a vida em liberdade. Antes e após o fim do escravismo, os percursos desses homens e mulheres no mercado de  “trabalho livre” foi marcada por episódios de discriminação racial e organização política. Esse histórico levou muitos trabalhadores negros das cidades brasileiras se perguntarem: que “liberdade” é essa?! 

A partir desse questionamento, a exposição apresenta episódios de discriminação racial nos séculos XIX e XX assim como, também, as lutas pela cidadania plena contra o racismo que atravessaram os cem anos que se seguites. Na próxima quinta-feira, dia 13 de maio, a exposição será lançada no canal do YouTube da Rede de Historiadorxs Negrxs. Na ocasião, será realizada uma visita guiada com Bruno Pinheiro, Iracélli da Cruz Alves, Leonardo Ângelo da Silva e Taina Silva Santos, que compõem a equipe curatorial da exposição.

 

A exposição ficará disponível no Google Arts & Culture. O material pode ser acessado em português e inglês.

Ao longo de todo 2021, muitas outras “Nossas Histórias” sobre vidas, lutas e saberes da gente negra serão contadas em salas de exposições virtuais!

O painel é parte do projeto de exposições virtuais Nossas Histórias: vidas, lutas e saberes da gente negra, uma parceria entre a Rede de Historiadoras Negras e Historiadores Negros com o Geledés – Instituto da Mulher Negra e o Acervo Cultne.


Comissão Editorial: Ana Flávia Magalhães Pinto, Bethania Pereira, Bruno Pinheiro, Carlos Silva Júnior, Elson Rabelo, Fernanda Oliveira da Silva, Francisco Phelipe Cunha Paz, Idalina Maria Almeida de Freitas, Iracélli da Cruz Alves, Jonatas Roque Ribeiro, Leonardo Ângelo da Silva, Lucimar Felisberto dos Santos, Marcus Vinicius de Oliveira e Maria Cláudia Cardoso Ferreira.

Curadoria e pesquisa: Ana Flávia Magalhães Pinto, Bethania Pereira, Bruno Pinheiro, Elson Rabelo, Iracélli da Cruz Alves, Leonardo Ângelo da Silva, Marcus Vinicius de Oliveira e Taina Silva Santos

Texto: Ana Flávia Magalhães Pinto, Bruno Pinheiro, Iracélli da Cruz Alves e Taina Silva Santos

Roteiro de Áudio: Ana Flávia Magalhães Pinto, Bethania Pereira e Leonardo Ângelo da Silva

Edição de Áudio: Leonardo Ângelo da Silva

Produção: Ana Flávia Magalhães Pinto, Bruno Pinheiro, Elson Rabelo, Iracélli da Cruz Alves, Leonardo Ângelo da Silva, Marcus Vinicius de Oliveira, Taina Silva Santos

Tradução: Bethania Pereira e Bruno Pinheiro

Revisão técnica: Ana Flávia Magalhães Pinto e Bruno Pinheiro

Administração: Natália Sena Carneiro

Agradecimentos especiais: Arquivo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Arquivo do Programa Avançado em Cultura Contemporânea da UFRJ, Arquivo Edgard Leuenroth-Unicamp, Arquivo Fotográfico da Companhia Siderúrgica Nacional, Biblioteca Pública do Estado da Bahia, Centro de Memória da Unicamp, Rosangela Gomes. 

+ sobre o tema

Uma história negra com certeza: a escrita histórica nos jornais negros paulistanos

No ensolarado sábado de 24 de outubro de 2020,...

Hemetério, Rufina e Coema: professores negros e o legado da educação

Em outubro de 1910, cerca de duzentas moças seriam...

Mano Eloy: Trabalhador, macumbeiro e pioneiro das escolas de samba cariocas

Quando pensamos em escolas de samba no Rio de...

para lembrar

Professor explica processo que culminou com a abolição no Brasil

Paulo Chaves contou reflexos da abolição tardia nos dias...

132 anos da Abolição da Escravatura: Estamos livres?

No dia 13 de maio de 2020 a Abolição...

Experiências da negritude na fotografia baiana do final do século XX

Os negros sob o olhar da câmera Nesta primeira imagem,...

Como se faz um Ex-Negro? Birracialidade na obra de James Weldon Johnson

A estruturação do racismo enquanto pilar da sociedade estadunidense...

A ciência não é neutra, muito pelo contrário: racismos em Max Weber

Esse texto tem como base de sua reflexão algumas obras específicas em torno da história das ciências sociais no Ocidente, como as de Wulf...

Literatura africana em sala de aula: uma proposta didática

A relação entre história e literatura vem de longa data. A narrativa literária é considerada uma das fontes de produção do conhecimento histórico sobre...

Retrospectiva 2023 – Coluna Nossas Histórias

Quarta-feira é dia de Coluna NOSSAS HISTÓRIAS, um espaço ampliado para a repercussão de narrativas históricas e contemporâneas sobre as múltiplas experiências negras e...
-+=