quarta-feira, agosto 10, 2022
InícioQuestão RacialCasos de RacismoMédico que filmou homem negro acorrentado tenta se justificar: "Foi uma zoeira"

Médico que filmou homem negro acorrentado tenta se justificar: “Foi uma zoeira”

Márcio Antônio Souza Júnior gravou novo vídeo ao lado do homem que filmou acorrentado afirmando que ele é seu amigo e que tudo não passou de uma "encenação"; caso é investigado pela Polícia Civil de Goiás

O médico Márcio Antônio Souza Júnior, da cidade de Goiás (GO), veio a público nesta quarta-feira (16) para pedir desculpas pelo vídeo que gravou de um homem negro acorrentado e que gerou revolta nas redes sociais. Segundo ele, tratou-se de uma “zoeira”. 

Conhecido como Doutor Marcim, o médico havia postado o vídeo em sua conta no Instagram na terça-feira (16). Após a repercussão negativa, o vídeo foi apagado.

Nas imagens, é possível ver que o homem negro está acorrentado pelos pés e mãos. Em tom de deboche, o médico afirma: “Falei para estudar, mas ele não quer. Então vai ficar na minha senzala (…) Tenta fugir, pode ir embora”. 

A Polícia Civil de Goiás, após receber inúmeras denúncias, abriu uma investigação para apurar se o médico cometeu crime de injúria racial. Diante da abertura da apuração, Márcio Antônio Souza Júnior, através dos Stories do Instagram, tentou se justificar e pediu desculpas.

Ao lado do homem que aparece no vídeo anterior acorrentado, o médico afirmou que o homem negro em questão, identificado por ele como “Camarão”, é seu amigo, e que eles fizeram “um roteiro juntos, a quatro mãos. Foi como se fosse um filme”. 

“Foi uma zoeira, não teve intenção nenhuma de irritar, magoar, nenhuma apologia a nada. Camarão é meu amigo, gostara de pedir desculpas se alguém se sentiu ofendido. Foi uma encenação”, declarou.

Na sequência, Souza Júnior pediu para Camarão dizer “quem colocou as peças”, ao que o homem respondeu: “Ele me ajuda em tudo. Quem colocou as correntes foi eu, uma brincadeira. Não foi para magoar ninguém”. 

Confira a nota da Polícia Civil de Goiás sobre o caso 

“Um vídeo foi recebido na Delegacia da Cidade de Goiás, onde é mostrado um jovem amarrado com correntes de artesanato. A filmagem teria sido feita em um colégio na zona rural da Cidade, por nome Holanda. Em outras postagem feitas pelo titular do perfil, é possível ver autor e vítima conversando em tom de brincadeira.

A Delegacia da Cidade de Goiás irá apurar se o fato se trata apenas de uma brincadeira de profundo mau gosto ou de possível prática de constrangimento ilegal e injúria racial.

O jovem filmado, assim como o autor da postagem, serão intimados para comparecer a esta delegacia ainda hoje para esclarecer o ocorrido. Até o momento, não está esclarecido se o jovem filmado é funcionário ou amigo do autor dos post”.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench