Guest Post »

Ministério da Mulher emite nota de repúdio a abordagem agressiva de PM a jovem negro

No comunicado, o órgão condena a atitude do PM em questão

Do Varela Notícias

Foto: Luiz Alves | Ascom | MDH

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) emitiu uma Nota de Repúdio, sobre a abordagem violenta e de cunho racista realizada por um policial militar a um jovem negro, no último sábado (2), em Salvador.

No texto, o Ministério afirma que condena a atitude do policial em questão e ressalta que nenhum tipo de violência e racismo será tolerado por este Ministério, “por isso, prestamos nossa solidariedade e apoio ao jovem agredido”, diz a nota.

No comunicado é reiterado que “afirmamos nossa confiança no trabalho da Polícia Militar que, com certeza, não aprova esse tipo de abordagem.” O texto finaliza com um agradecimento as pessoas que denunciam casos como estes.

Confira o texto, na íntegra:

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SNPIR), vem à público para repudiar mais um ato criminoso de racismo ocorrido, desta vez, em Salvador (BA).

No último domingo (2), um jovem negro foi covardemente agredido física e moralmente no bairro Paripe, subúrbio ferroviário da capital baiana, por um policial militar (PM) que abordou um grupo de jovens. Um vídeo, feito por moradores locais durante a abordagem, mostra o PM desferindo murros, chutes e ofensas racistas contra o jovem.

O MMFDH e a SNPIR condenam a atitude irregular do policial em questão, que não corresponde com o comportamento esperado de um servidor da Lei. Nenhum tipo de violência e racismo será tolerado por este Ministério e, por isso, prestamos nossa solidariedade e apoio ao jovem agredido e reafirmamos o objetivo da SNPIR de enfrentar e combater o racismo no Brasil.

Além disso, afirmamos nossa confiança no trabalho da Polícia Militar que, com certeza, não aprova esse tipo de abordagem. Agradecemos, também, àqueles que têm denunciado casos como esse e solicitamos à população que continue atenta aos crimes de racismo e violência e denuncie por meio do Disque Direitos Humanos – Disque 100.

Leia a nota no site MINISTÉRIO DA Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

 

Leia Também:

‘Gosto de ter meu cabelo assim’, diz jovem agredido por PM que também fez insultos racistas em Salvador

Related posts