Ministra Luiza Bairros é chamada de ‘Mulher Luiza Negra Bairros’

Há 32 anos morando em Salvador, a gaúcha Luiza Bairros, ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), foi homenageada pela Câmara Municipal na quinta-feira (17) à noite com a Medalha Zumbi dos Palmares.

A honraria, concedida no Mês da Consciência Negra, foi, segundo a vereadora Vânia Galvão (PT), “a ratificação de um merecimento pela sua resistência e coragem de enfrentar a realidade do racismo e por sua incansável defesa da valorização da cultura negra”.

Autora do requerimento que possibilitou a homenagem, Vânia se referiu à ministra como “Mulher Luiza Negra Bairros” e frisou que ela se destacou na luta permanente por espaço, respeito e igualdade de direitos. “Dedicou, com paixão, um ativismo político reconhecido internacionalmente pelo resgate histórico da condição de mulher negra”, declarou.

Na saudação à ministra e ex-secretária estadual da Igualdade, a vereadora fez referência, também, ao empenho pela “reafirmação da história de resistência das mulheres negras, em detrimento da cruel invisibilidade imposta pelo machismo e pelo racismo”. E concluiu, lembrando que Luiza Bairros ingressou no Movimento Negro Unificado já morando em Salvador, tendo sido sua primeira coordenadora nacional: “Mulher negra de garra, abrilhantou as conquistas desta população em todas as suas experiências ao longo de sua militância política”.

Compromisso

Para o ato de entrega da Medalha Zumbi dos Palmares, Vânia convidou o deputado federal Luiz Alberto (PT-BA). Dançarinos do Ilê Aiyê se apresentaram na sessão em homenagem a Luiza Bairros. O presidente da Câmara, vereador Pedro Godinho (PMDB), parabenizou Vânia pela iniciativa e frisou que a homenagem foi aprovada por unanimidade, em reconhecimento tanto à militância da ministra, desde a década de 70, no movimento negro, quanto à construtiva trajetória profissional.

Da tribuna, já ostentando a comenda, Luiza Bairros disse que se sentia honrada em ser merecedora da Medalha Zumbi dos Palmares: “Ela só aumenta a minha responsabilidade, o meu compromisso com a luta, pois Zumbi dos Palmares é uma referência muito importante para nós por ser um herói negro nacional”.

Ao relembrar a decisão de mudar de Porto Alegre para Salvador, a ministra observou que a segregação era uma realidade gritante na capital gaúcha, onde a população afrodescendente ainda é minoria. Na capital baiana, ela teve a oportunidade de conviver com uma população negra bem mais numerosa, mas que, por outro lado, enfrentava sérios problemas pela extrema pobreza da maioria.

A mesa da sessão contou com as presenças de Elias Sampaio, secretário de Promoção da Igualdade, que representou o governador Jaques Wagner; de Sílvio Albuquerque e Silva, ministro chefe da Divisão de Temas Sociais do Ministério das Relações Exteriores; de Amadou Lamine Faye, ministro da Diáspora do Senegal; dos deputados federais Luiz Alberto e Nelson Pellegrino (PT-BA); de Harold Robinson, diretor para a Argentina e Paraguai do Fundo de População das Nações Unidas; de Ailton Ferreira, secretário Municipal da Reparação, que representou o prefeito João Henrique Carneiro; e da Makota Valdina Pinto, do terreiro Tanuri Junsara.

Além disso, foi montada uma extensão da mesa com as presenças de Vilma Santos Reis, militante do Movimento de Mulheres Negras e presidente do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra; de Ana Carolina Quirino, representante da UNU Mulheres Brasil Cone Sul; e de Jerônimo Silva Júnior, representante da Unegro. Os vereadores Gilmar Santiago e Moisés Rocha, do PT, Olívia Santana e Aladilce Souza, do PCdoB, conduziram a ministra ao Plenário Cosme de Farias

Fonte: Bahia já

+ sobre o tema

Trabalho doméstico: herança histórica do racismo e sexismo no Brasil

É sabido que existem alguns pilares que estruturam as...

Pra cima com o esforço, moçada

Não sei em qual momento a ideia do esforço...

Manifesto 2020 – Rede de Mulheres Negras Evangélicas do Brasil

Nós, mulheres negras cristãs, jovens e adultas oriundas de...

II Mostra Internacional da Mulher Negra – 2012

A Mostra Internacional da Mulher Negra MIMUNEGRA- 2012 -...

para lembrar

Caneladas do Vitão: Uma vez Anielle, sempre Marielle 2

Brasil, meu nego, deixa eu te contar, a história...

Cida Bento – A mulher negra no mercado de trabalho

Sinceramente eu nunca dei para empregada domestica acho que eu...

Primeira vereadora negra eleita em Joinville é vítima de injúria racial e ameaças

A vereadora Ana Lúcia Martins (PT) é a primeira...
spot_imgspot_img

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...

“O Itamaraty me deu uma bofetada”, diz embaixadora Isabel Heyvaert

Com 47 anos dedicados à carreira diplomática, a embaixadora Isabel Cristina de Azevedo Heyvaert não esconde a frustração. Ministra de segunda classe, ela se...
-+=