Ministra Luiza Bairros é chamada de ‘Mulher Luiza Negra Bairros’

Há 32 anos morando em Salvador, a gaúcha Luiza Bairros, ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), foi homenageada pela Câmara Municipal na quinta-feira (17) à noite com a Medalha Zumbi dos Palmares.

A honraria, concedida no Mês da Consciência Negra, foi, segundo a vereadora Vânia Galvão (PT), “a ratificação de um merecimento pela sua resistência e coragem de enfrentar a realidade do racismo e por sua incansável defesa da valorização da cultura negra”.

Autora do requerimento que possibilitou a homenagem, Vânia se referiu à ministra como “Mulher Luiza Negra Bairros” e frisou que ela se destacou na luta permanente por espaço, respeito e igualdade de direitos. “Dedicou, com paixão, um ativismo político reconhecido internacionalmente pelo resgate histórico da condição de mulher negra”, declarou.

Na saudação à ministra e ex-secretária estadual da Igualdade, a vereadora fez referência, também, ao empenho pela “reafirmação da história de resistência das mulheres negras, em detrimento da cruel invisibilidade imposta pelo machismo e pelo racismo”. E concluiu, lembrando que Luiza Bairros ingressou no Movimento Negro Unificado já morando em Salvador, tendo sido sua primeira coordenadora nacional: “Mulher negra de garra, abrilhantou as conquistas desta população em todas as suas experiências ao longo de sua militância política”.

Compromisso

Para o ato de entrega da Medalha Zumbi dos Palmares, Vânia convidou o deputado federal Luiz Alberto (PT-BA). Dançarinos do Ilê Aiyê se apresentaram na sessão em homenagem a Luiza Bairros. O presidente da Câmara, vereador Pedro Godinho (PMDB), parabenizou Vânia pela iniciativa e frisou que a homenagem foi aprovada por unanimidade, em reconhecimento tanto à militância da ministra, desde a década de 70, no movimento negro, quanto à construtiva trajetória profissional.

Da tribuna, já ostentando a comenda, Luiza Bairros disse que se sentia honrada em ser merecedora da Medalha Zumbi dos Palmares: “Ela só aumenta a minha responsabilidade, o meu compromisso com a luta, pois Zumbi dos Palmares é uma referência muito importante para nós por ser um herói negro nacional”.

Ao relembrar a decisão de mudar de Porto Alegre para Salvador, a ministra observou que a segregação era uma realidade gritante na capital gaúcha, onde a população afrodescendente ainda é minoria. Na capital baiana, ela teve a oportunidade de conviver com uma população negra bem mais numerosa, mas que, por outro lado, enfrentava sérios problemas pela extrema pobreza da maioria.

A mesa da sessão contou com as presenças de Elias Sampaio, secretário de Promoção da Igualdade, que representou o governador Jaques Wagner; de Sílvio Albuquerque e Silva, ministro chefe da Divisão de Temas Sociais do Ministério das Relações Exteriores; de Amadou Lamine Faye, ministro da Diáspora do Senegal; dos deputados federais Luiz Alberto e Nelson Pellegrino (PT-BA); de Harold Robinson, diretor para a Argentina e Paraguai do Fundo de População das Nações Unidas; de Ailton Ferreira, secretário Municipal da Reparação, que representou o prefeito João Henrique Carneiro; e da Makota Valdina Pinto, do terreiro Tanuri Junsara.

Além disso, foi montada uma extensão da mesa com as presenças de Vilma Santos Reis, militante do Movimento de Mulheres Negras e presidente do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra; de Ana Carolina Quirino, representante da UNU Mulheres Brasil Cone Sul; e de Jerônimo Silva Júnior, representante da Unegro. Os vereadores Gilmar Santiago e Moisés Rocha, do PT, Olívia Santana e Aladilce Souza, do PCdoB, conduziram a ministra ao Plenário Cosme de Farias

Fonte: Bahia já

+ sobre o tema

Marina Ganzarolli: “Queria eu que o Judiciário valorizasse a palavra da vítima”

Advogada que trabalha com mulheres vítimas de violência afirma...

Advogado é preso após agredir mulher em shopping do Rio

Homem não apresentou defesa e vai responder em liberdade. Mulher...

Por que compreender a interseccionalidade?

Aqui está a afirmação inicial: nós não somos iguais....

para lembrar

Sexualidade, apenas

Comentando a Pergunta da Semana Por: Regina Navarro Lins A grande...

Marcha Mundial das Mulheres e CUT aderem ao #ForaBolsonaro

"O papel do Legislativo deve ser justamente de propor...

“O feminismo branco foi construído em cima da precarização do trabalho da mulher negra”, diz Ana Maria Gonçalves

O Roda Viva recebe nesta segunda-feira (17) a escritora Ana Maria Gonçalves,...
spot_imgspot_img

IBGE: mulheres assalariadas recebem 17% menos que os homens

Dados divulgados nesta quinta-feira (20/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a disparidade salarial entre os gêneros no Brasil se mantém em...

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...
-+=