Não posso te contratar com este cabelo

Percebemos que hoje em dia as mulheres negras têm assumido seus cabelos naturais e sentido mais determinadas a enfrentar os padrões de beleza que a sociedade tem impondo a anos dizendo o contrario que seus cabelos são feios, duros, inapropriados para trabalhar em certas empresas e alguns cargos os quais não entendo no que interfere já que o importante em uma empresa são suas experiências e conhecimentos que podem ajudar no crescimento. Mas o que vejo tanto nas redes sociais são mulheres negras que não são aceitas em algumas empresas devido a não ter uma aparência adequada, ou seja, padronizada e com isso tem dificultado a entrada das mesmas no mercado de trabalho.

Enviado por Jéssica Jeffer Palma via Guest Post para o Portal Geledés

Encontro mulheres com experiências fascinantes que tem o perfil que as grandes empresas procuram como: um inglês avançado, tem graduação e pós-graduação com ênfase em alguma área e até mesmo com experiências fora do Brasil, as mesmas vão a entrevista mostram o quanto são capacitadas para o cargo mas ai surge aquela frase “Você tem tudo o que nós procuramos mas tem um problema tem que baixar o volume do seu cabelo pois não vão te levar a serio aqui se entrar com esta aparência” ou até mesmo no que as veem nem pegam seus currículos e dizem ”com esse cabelo você não conseguira emprego em lugar nenhum”. Mas vamos lá, se o importante é a capacidade, conhecimento e ter o perfil que se enquadre no cargo o que um cabelo interferiria? Será que é somente o cabelo que interfere? Pois bem os nossos grandes empreendedores tem que compreender um fato, a mulher negra tem o cabelo crespo e se ela se ama e se aceita assim nada disso ira atrapalhar na empresa e sim agregar porque pessoas com índice de alta estima elevado e conhecimento tanto de vida quanto profissional tendem a render mais produtividade na empresa (sabemos que isso é verídico),e deixar claro que o importante aos entrevistadores focarem mais nas vantagens em ter uma pessoa com currículo forte em sua empresa e que aparência é uma fato que mostra sim sua personalidade e não o seu caráter e seu profissionalismo.

E também temos que perceber uma coisa, contratando pessoas preconceituosas em nossas empresas o ambiente saudável que deveria ter no local de trabalho será inexistente. Porque um nível acadêmico avançado e um poder aquisitivo elevado não significam que ela tenha bons modos e educação e sim conhecimento que é importante para o desenvolvimento da função, mas o que faz a empresa ficar de pé além do dinheiro claro é o trabalho em equipe e o respeito entre os mesmos, pois funcionários que se entendem e se comunicam bem fazem o trabalho render com mais êxito e qualidade e ate mesmo criatividade, porque se você não entende que a mulher negra nasceu com o cabelo crespo ou cacheado com volume, frizz ou até mesmo se ela aparecer com adereços, roupas africanas porque se sente bem ao usar ou até mesmo por questões religiosas e você não respeita isso com certeza você é uma pessoa preconceituosa e não sabe. Como sabemos ninguém é obrigado a gostar de nossa aparência, mas respeitar a diferença das pessoas é necessária e importante para o desenvolvimento de nós seres humanos tanto em meio a sociedade quanto no mercado de trabalho.
E por lei o fato da aparência da pessoa não justifica não deixa-la entrar em sua empresa, de acordo com a lei Parágrafo único. Incorre na mesma pena quem, por motivo de discriminação de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, obstar a promoção funcional. (Incluído pela Lei nº 12.288, de 2010)
Pena: reclusão de dois a cinco anos.

Art. 4º Negar ou obstar emprego em empresa privada.

§ 1o Incorre na mesma pena quem, por motivo de discriminação de raça ou de cor ou práticas resultantes do preconceito de descendência ou origem nacional ou étnica: (Incluído pela Lei nº 12.288, de 2010).

Enfim, o fato de sermos negras e termos cabelos crespos, cacheados, tranças ou carecas não interferi na produtividade na empresa e não nos deixa com aparência de desleixada para o mercado de trabalho, pois é isso que a mídia tem colocado em nossas cabeças para nos sentirmos inferiores ou até ridicularizadas, não devemos deixar nossa identidade pra seguir um padrão o qual não é nosso para agradarmos uma sociedade preconceituosa e os empreendedores se quiserem contratar mais mulheres negras tem que entender que somos assim e que esta na hora de você nos encaixar nessa cultura da empresa que não aceita mulheres negras acadêmicas mas aceita pessoas que são consideradas bem arrumadas de acordo com o padrão proposto mas são preconceituosas e mau educadas com os outros pense nisso.

+ sobre o tema

Pra quebrar estereótipos! Marca lança bonecas com profissões consideradas masculinas

Temos uma ótima notícia nesta quarta-feira (26), no dia...

Acabou, Jujuca! E agora escrevo para te dizer que você não teve culpa

Aos 31 anos, Joanna Maranhão, dona da melhor marca...

Grávida foi sequestrada e morta para ter bebê roubado, diz polícia do Rio

Investigadores acreditam que corpos achados queimados são de Rayanni...

para lembrar

A objetificação da mulher e a naturalização do machismo na mídia

Nós mulheres ouvimos desde muito pequenas frases como: “não...

330 mil domésticas perdem o registro

Número de trabalhadoras com carteira assinada caiu 1,6% desde...

Fátima Oliveira: A caminho das reparações da crueldade escravocrata

Não dei conta de acompanhar as duas sessões do...

Por quê criminalizar a Homofobia?

A maioria dos brasileiros assiste passivamente cenas diárias de...
spot_imgspot_img

Mulher tem aborto legal negado em três hospitais e é obrigada a ouvir batimento do feto, diz Defensoria

A Defensoria Pública de São Paulo atendeu ao menos duas mulheres vítimas de violência sexual que tiveram o acesso ao aborto legal negado após o Conselho...

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...
-+=