Patrulha Maria da Penha levará serviço humanizado à mulher vítima de violência em Alagoas

Programa tem o objetivo de fortalecer a segurança da mulher e prestar um atendimento de acolhimento de qualidade

Por Tatianne Brandão, do Gazeta Web 

As secretarias de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh) e da Segurança Pública (SSP), o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), o Ministério Público Estadual (MPE/AL) e a Defensoria Pública de Alagoas (DPAL) assinaram, na manhã desta quinta-feira (28), um Termo de Cooperação Técnica para o Enfrentamento e Prevenção à Violência Doméstica e Familiar contra as mulheres em Alagoas.

Durante a solenidade, realizada no Palácio República dos Palmares, foram apresentados os programas Patrulha Maria da Penha e da Sala Lilás, situada no Instituto Médico Legal (IML), que tem como propósito o atendimento e acolhimento especializados e mais humanizados às mulheres que necessitam do serviço.

Para chegar ao modelo da Patrulha Maria da Penha em Alagoas, foi preciso buscar modelos nacionais nos estados da Bahia e Rio Grande do Sul, onde os casos de sucesso apresentaram 98% de eficácia, informou a secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos, Cláudia Simões.

Segundo a secretária, a patrulha vai acompanhar os casos de mulheres ameaçadas e sob risco de morte que, após registrarem o boletim de ocorrência na delegacia, serão encaminhadas para o Tribunal de Justiça, que por sua vez dará a medida protetiva de urgência, onde o agressor recebe a tornozeleira eletrônica e fica impedido de se aproximar da mulher vítima da violência.

Após receber a medida protetiva, afirma ela, a mulher passa a fazer parte do cadastro da Patrulha Maria da Penha, acrescentando ainda que “a mulher não vai ter que ir até o Estado para ser protegida, o Estado vai dar a elas a garantia do acompanhamento”.

“E a partir daí vai ter todo acompanhamento de visitas em casa ou no trabalho com uma equipe multidisciplinar de psicólogos, assistentes sociais, advogados e defensoria pública. Toda uma rotina quem vem desde o cadastro no programa ao acompanhamento domiciliar dessa mulher”, afirma Cláudia Simões.

O programa está previsto para iniciar no mês de março do próximo ano e conta com a participação da Semudh e SSP com os demais órgãos, com o objetivo de fortalecer a segurança da mulher, capacitando, ainda, policiais que darão suporte nas rondas ostensivas, através das polícias Militar e Civil.

Também presente na solenidade, o secretário de Segurança Pública, Coronel Lima Júnior, afirmou que as polícias, tanto Civil como Militar, têm se empenhado no papel de combater e prender esses agressores, mas que ainda há muito o que fazer. Para ele, a união de todos os órgãos envolvidos vai poder monitorar de maneira mais eficaz os casos críticos, como os que têm o risco eminente de reincidência de violência.

“Temos tido reduções de crimes de feminicídio, mas temos que avançar porque a violência contra a mulher é uma violência brutal e desproporcional. Nós temos que trabalhar firmes para reduzir ainda mais esses índices e para trazer mais tranquilidade para essas mulheres vítimas de violência”, enfatiza.

+ sobre o tema

Djamila Ribeiro já entrou para a História literária

Por um breve tempo, refleti se escreveria este texto...

EUA terão ativista negra na nota de US$ 20; listamos 7 mulheres para o real

À frente de muitas lutas por direitos iguais na...

O que falta em uma mulher com deficiência?

O ‘diferente’ sempre assusta porque incomoda e toca na...

para lembrar

Taís Araújo recebe título de defensora de Direitos das Mulheres Negras

No posto, a atriz terá a missão de apoiar...

Jurema Werneck: a voz da resistência

Negra, lésbica, nascida no morro, a médica Jurema Werneck...
spot_imgspot_img

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Novas pesquisas mostram que meninas nos EUA estão tendo sua primeira menstruação mais cedo. A exposição ao ar tóxico é parcialmente responsável. Há várias décadas, cientistas ao redor do...

Leci Brandão recebe justa homenagem

A deputada estadual pelo PC do B, cantora e compositora Leci Brandão recebe nesta quarta (5) o Colar de Honra ao Mérito Legislativo do...
-+=