Guest Post »
Primeira livraria especializada em autoras negras ganha loja física em São Paulo

Primeira livraria especializada em autoras negras ganha loja física em São Paulo

Inauguração será no próximo dia 09 de dezembro, com lançamento do romance Bará, da autora Miriam Alves

Por  , do Margens 

No próximo dia 09 de dezembro a bibliotecária Ketty Valencio, de 34 anos, inaugura a loja física da Livraria Africanidades, criada para ampliar o acesso à literatura feita por mulheres negras. A sede batizada de Lá do Mato foi criada com o objetivo de ser um espaço colaborativo para mulheres empreendedoras.

Durante a inauguração haverá um cortejo de abertura com o grupo de coco Semente de Crioula, bate-papo seguido de performance e sarau, além do lançamento do romance Bará – na trilha do vento, da escritora Miriam Alves, oficina de banho de ervas, bate-papo com a consultora Fabiana Bertagnolli Piasentin. O espaço contemplará também uma feirinha com expositoras convidadas, como Eparrei, Heróicas, Nene Surreal, Ana Requião, Ami Ateliê, Belo Câmi, flash tatoo e outras.

O novo espaço – inédito até então no país – conta com um acervo de 200 títulos diferentes e a decoração traz trabalhos das grafiteiras Gabi Bruce, Nene Surreal e Linoca, que seguiram a temática de livraria.

“Nossa intenção é a celebração, já que criar um espaço de acolhimento e fortalecimento é uma forma de resistir. A maioria dos espaços que sempre estamos é de dominação masculina, de controle e queremos o oposto, ou seja, o espaço trará segurança para que possamos realizar atividades juntas, favorecendo a autonomia e o protagonismo”,destacou Ketty Valêncio.

Formada em biblioteconomia, Ketty é também pesquisadora, pós-graduada em gênero e diversidade sexual na Unifesp e MBA-Bens Culturais: Cultura, Gestão e Economia na FGV faz curso de especialistas de Cultura, educação e relações étnico-raciais na USP e após sete anos trabalhando em bibliotecas, investiu no próprio negócio e conta com um viés inédito: o protagonismo das mulheres negras na literatura mundial.  Um breve passeio pelo site e é possível encontrar livros de autoras como Alice Walker, Angela Davis, Jarid Arraes, Maria Firmino, Noémia de Sousa, entre outras.

De acordo com ela, a inauguração da livraria em um espaço físico é também uma forma de fazer política. “É algo inconsciente e pensando na minha trajetória de vida, lembro que eu só queria vender uns livros escritor por autores e autoras negras. Parece simples e ao mesmo tempo é algo que as pessoas acham revolucionário. Estou reivindicando a minha representatividade e isso parece ser uma coisa tão transgressora, ainda que não devesse ser”, enfatizou.

Além da livraria física, Ketty possui também um site, com o acervo da livraria, que permite a compra virtual e também o pagamento parcelado e traz títulos que dificilmente são encontrados nos grandes magazines ou livrarias online, fazendo, mais uma vez um recorte que preza pela inclusão de autores independentes, pouco conhecidos e/ou acessados.

A livraria possui estantes como feminismo, ficção, não ficção, poesia, religião, nacionais, ciências sociais, entre outras, mas tudo voltado à cultura negra. Além do site, Ketty também percorre eventos e festivais literários, evidenciando o formato que se propõe a ser acessível e viável.

“Algo que eu acredito é que quando uma mulher avança, todas avançam. Não adianta eu avançar sozinha e não trazer comigo outras mulheres, até porque, dentro de mim habitam várias mulheres, algumas que fazem parte da minha família, do meu sangue e outras que passaram por mim, algumas que eu não conheci, mas que estão comigo e para onde eu for, vou levá-las. Quero escrever uma nova história, as próximas gerações que virão e as que estão aqui tem que ser diferente, tem que ter condições de vida plena e se eu e outras mulheres conseguirmos ajudar, meu sonho vai ser desenvolvido. Espero que consigamos”, pontuou.

 

Sobre a empreendedora
Ketty Valêncio é de família negra, vive na zona Norte de São Paulo, é formada em biblioteconomia, pós-graduada, foi membro do Coletivo de Mulheres Matilde Magrassi de Guarulhos, realiza um cineclube feminista e uma roda de conversa também em Guarulhos. Em 2014, foi uma das editoras da revista Mulheres de Palavra, com a participação de várias protagonistas do movimento hip-hop.

Lá do Mato
A Lá do Mato Saboaria Natural nasceu do desejo da Eloisa Noguchi de fazer esse mundo um lugar mais generoso e gentil. Depois de pensar muito sobre como conseguir fazer isso, ela resolveu fazer sabonetes naturais, artesanais e veganos, porque uma simples e pequena atitude tem o poder de mudar muita coisa. Nesse mês a marca Lá do Mato completa 2 anos e irá comemorar com a inauguração do espaço físico.

 

Serviço
Inauguração espaço Lá do Mato + Livraria Africanidades
Quando: 
09 de dezembro das 14h às 20h
Endereço: Rua Aimberê, 1.158, Perdizes – São Paulo, SP
Informaçõeshttp://www.livrariafricanidades.com.br/

Related posts