‘Reforma’ da Previdência agrava desigualdades contra mulheres negras

Proposta do governo Bolsonaro associada à “reforma” Trabalhista de Michel Temer perpetuam lógica da escravidão que impõe às mulheres negras as piores formas de trabalho com direitos mínimos

Do Rede Brasil Atual 

Mulheres negras em uma sala de reunião
(Foto: Pexels)

“reforma” da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL), a exemplo das mudanças nas leis trabalhistas, deve prejudicar ainda mais as mulheres negras, parcela da população que mais sofre com a falta de proteção do direito do trabalho, a desigualdade salarial e o desemprego.

De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a cada  ponto percentual a mais na taxa de desocupação, as mulheres negras são afetadas, em média, com o aumento de um 1,5 na taxa de desemprego, enquanto que mulheres brancas têm um reflexo de 1,3 pontos percentuais.

Diante dessa desigualdade, os parâmetros mais rígidos de acesso aos benefícios, a ampliação do sistema de capitalização privada e o aumento no tempo de contribuição para acessar a Previdência de forma integral, com 40 anos, previsto na “reforma”, devem agravar ainda mais as disparidades de gênero e raça, principalmente em um país que não reconhece o racismo como um “fenômeno que produz desigualdades”, como explica a militante do Movimento Negro Adriana Moreira em entrevista ao Seu Jornal, da TVT.

“O Brasil nunca enfrentou o fato de que as mulheres, por exemplo, elas saíram do processo de escravidão e continuaram trabalhando no mesmo tipo de serviço”, adverte Adriana quanto à continuidade das formas mais precárias de trabalho e com mínimos direitos.

 

+ sobre o tema

Jovem é agredida por seguranças na boate Club Yacth no centro de São Paulo

Segundo relato publicado no Facebook por uma amiga, Fernanda Donnini apanhou...

Periferia Trans: a luta LGBT na perspectiva das quebradas

Como é ser homossexual ou transgênero na quebrada? Para...

Léo Santana comete homofobia duas vezes e pode ser punido

Cidade pune quem promove discriminação no carnaval. Veja como...

Dicionário norte-americano elege ‘feminismo’ como a palavra do ano

Dicionário norte-americano elege 'feminismo' como a palavra do ano A...

para lembrar

At Last

O imaginário racista que povoa as representações sobre o...

RS: Pai adotivo gay ganha direito a licença-maternidade

Após cuidar do filho adotivo por dois anos, o...

Os erros das homenagens no Dia Internacional da Mulher

Flores, chocolates e mensagens são presentes inofensivos. Mas, oferecidos...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=