Skinhead é condenado a 14 anos de prisão pela morte de jovem no Paraná

Crime ocorreu em setembro de 2010, no bairro São Francisco, em Curitiba.
Vítima saía de um shopping e foi esfaqueada por um grupo de skinhead.

O skinhead Gabriel de Oliveira Cata Preta, de 22 anos, foi condenado pela Justiça a 14 anos de prisão pela morte do jovem Lucas Augusto de Carvalho. O crime ocorreu em setembro de 2010, quando Lucas tinha 18 anos, em Curitiba. Ele foi esfaqueado por um grupo de skinheads no bairro São Francisco, quando saía de um shopping com alguns amigos.

O julgamento foi realizado no Tribunal do Júri, em Curitiba, na segunda-feira (12) e durou cerca de dez horas. O skinhead vai responder pelo crime de homicídio duplamente qualificado. A defesa dele afirmou que vai entrar com recurso para recorrer da decisão.

Ao todo, segundo a polícia, pelo menos sete homens teriam participado do crime. Entre eles estavam três menores de idade, que foram condenados. Gabriel foi identificado, através de uma acareação, como autor de uma das facadas que mataram o jovem. Os skinheads teriam os confundido com um grupo de punks rivais.

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou...

Adolescente denuncia mulher por agressão e injúria racial em Rio Preto

Um adolescente de 13 anos denunciou ter sofrido injúria...

para lembrar

Rodada contra Racismo

Neste final de semana, a Confederação Brasileira de Futebol...

Olivier Rousteing: ‘A moda é racista’

Único negro à frente de uma grife de luxo,...

Tribunal de Londres processa zagueiro John Terry por racismo

LONDRES, Reino Unido — O capitão da seleção inglesa...

Procon-SP notifica shopping após mãe denunciar racismo

O Procon-SP notificou ontem o Bourbon Shopping São Paulo...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=