STF obriga Rio de Janeiro a criar plano de redução da letalidade policial

Enviado por / FonteConectas

Supremo analisou recurso da ADPF das Favelas com 11 propostas para a redução da violência policial na região metropolitana do Rio de Janeiro

O STF (Supremo Tribunal Federal) aprovou nesta quinta-feira (03) proposta que obriga a criação de um plano de redução da letalidade policial em operações nas favelas fluminenses. O estado do Rio de Janeiro tem 90 dias para apresentar o documento.

Os votos foram apresentados durante a retomada da análise de um recurso da ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) 635, conhecida como ADPF das Favelas. O julgamento havia sido adiado em dezembro de 2021. O plano deve ser composto por medidas objetivas, cronogramas e previsão dos recursos necessários para a sua implementação.

A ADPF das Favelas foi apresentada ao STF em 2019 pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro) e conta com a participação de diversas entidades, movimentos e coletivos na linha de frente contra a letalidade policial.

Pontos de consenso 

Além da proposta que trata do plano de redução da letalidade policial, os ministros também aprovaram a criação de um Observatório Judicial da Polícia Cidadã, a prioridade para a investigação de operações com mortes de crianças e adolescente, a obrigatoriedade de ambulâncias onde houver confronto armado e reconhecimento que só se justifica o uso da força letal por agentes de Estado em casos extremos, sempre priorizando a proteção da vida. 

Pontos de divergência 

Das 11 propostas em análise, algumas gerara, discordância entre os ministros. São elas: instalar equipamentos de GPS e sistemas de gravação nas viaturas e nas fardas dos agentes, determinar ao Conselho Nacional do Ministério Público que avalie a eficiência e a eficácia da alteração promovida no GAESP do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e determinar que a investigação das alegações de descumprimento da decisão de limitar a realização de operações policiais seja feita pelo MPF. Existem votos divergentes ainda na proposta de determinar que até que o plano de redução da letalidade policial seja elaborado, o emprego e a fiscalização da legalidade do uso da força sejam feitos à luz dos Princípios Básicos sobre a Utilização da Força e de Armas de Fogo, um tratado da ONU. 

“Embora o STF não tenha acatado todos os nossos pedidos, é importante ressaltar que, por unanimidade, o STF obriga, entre outras coisas, o estado do Rio de Janeiro apresentar um plano de redução de letalidade policial, com medidas concretas, em até 90 dias. Esse plano, que deverá contar com a participação da sociedade civil e instituições públicas comprometidas com a promoção dos direitos humanos, poderá salvar vidas, especialmente negras e periféricas”, afirma Gabriel Sampaio, coordenador do programa de Enfrentamento à Violência Institucional da Conectas.

+ sobre o tema

Brizola e os avanços que o Brasil jogou fora

A efeméride das seis décadas do golpe que impôs...

Milton Nascimento será homenageado pela Portela no carnaval de 2025

A Portela, uma das mais tradicionais escolas de samba...

Saiba os horários das provas do Concurso Nacional Unificado

Os mais de 2,5 milhões de candidatos inscritos no...

Aluno africano denuncia racismo em mensagem com suásticas nazistas na UFRGS; polícia investiga

Um estudante africano da Universidade Federal do Rio Grande do Sul...

para lembrar

PM divulga nota sobre mulher espancada dentro de ônibus

Vídeo flagrou o momento em que um policial militar...

Segunda mãe: “Matando, esculachando, batendo, xingando, forjando”

Por Tatiana Merlino, do Rio de Janeiro, especial para...

O que o racismo tem a ver com a violência policial?

Por: Monique evelle Preciso reforçar o quanto 2014 começou f*da!...

Polícia brasileira matou mais em 5 anos do que a dos EUA em 30

NO BRASIL, SEIS PESSOAS SÃO MORTAS DIARIAMENTE POR POLICIAIS,...
spot_imgspot_img

“Perda de aulas por tiroteios na Maré agrava desigualdade”

Desde 2014 à frente da editora Caixote, a jornalista e escritora carioca Isabel Malzoni mergulhou no universo das violências sofridas por crianças e adolescentes que moram no complexo...

Um passado que permanece

Neste domingo (31) completam-se seis décadas do golpe de 1964. É dever daquelas e daqueles comprometidos com a verdade e a justiça repetir o "Nunca...

Dissecando a Operação Vingança

A política de olho por olho, dente por dente nas ações da polícia de São Paulo só tem feito aumentar a violência, provocando a intensificação...
-+=