Transexual é perseguida e assassinada a caminho da academia em MG

Nicolly Banks já havia sofrido uma tentativa de homicídio no mês passado e vinha recebendo diversas ameaças de morte pelo telefone, caso não deixasse a cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro

por Pedro Ferreira no O Tempo

foto: Facebook : O Tempo

Uma travesti foi executada com onze tiros por volta das 8h30 da manhã desta sexta-feira (28), quando estava a caminho de uma academia de ginástica. O crime foi na rua Leopino Lourenço de Araújo, no bairro Laranjeiras, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

A vítima, Arthur Júnior Oliveira Silva, tinha 26 anos e já havia sofrido uma tentativa de homicídio no mês passado. Ela vinha recebendo diversas ameaças de morte pelo telefone, caso não deixasse a cidade.

Policiais militares receberam denúncia de que havia uma vítima do sexo feminino caída no local do crime. Os PMs verificaram que se tratava de uma transexual, posteriormente identificado por Arthur Júnior, cujo nome social era Nicolly Banks.

Também no local, os PMs apreenderam 11 cápsulas de arma de fogo calibre 380. A perícia compareceu e o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade.

Familiares da vítima disseram à PM que Nicolly Banks havia sofrido uma tentativa de homicídio a tiros, em novembro. Na época, ela morava sozinha e buscou proteção na casa do pai adotivo. Na época, Nicolly Banks comentou com uma cunhada que faria boletim de ocorrência, mas foi convencida por ela a não registrar queixa.

De acordo com a PM, a vítima, após a tentativa de homicídio, recebeu diversas mensagens de texto pelo celular, com ameaças para deixar a cidade, senão iria morrer. Nicolly Banks, então, foi morar na casa de um amigo. Segundo a PM, as mensagens do celular foram anexadas ao boletim de ocorrência. O teor das informações não foi divulgado.

O crime

Uma moradora da rua onde aconteceu o crime disse à PM que escutou diversos tiros e que viu a vítima correndo e gritando por socorro, repetindo: “não, não, não”. Segundo a testemunha, o autor do crime perseguiu a vítima e acertou tiros em diversas partes do corpo dela. A autoria e a motivação do crime são investigados pela Polícia Civil, que analisa mensagens do celular da vítima. Até a tarde desta sexta-feira, nenhum suspeito havia sido preso.

Homenagem

Amigos de Nicolly Banks fizeram uma homenagem a ela na página da vítima no Facebook. “Esperamos que as pessoas que amam Nicolly encontrem alento ao visitar seu perfil, para lembrar e celebrar sua vida”, diz a mensagem.

+ sobre o tema

Pastor colocou placa indicando a morte de gays na porta de igreja na Bahia

Responsável pela igreja Templo Batista Bíblico Salém, no distrito...

Travestis são espancadas no RJ e caso gera revolta

Agredida a pauladas e chutes, travesti perde a consciência...

Agressão a homossexuais: SP tem 25 denúncias por mês

Em seis meses, foram 153 ligações ao Disque 100...

A brilhante resposta do pai do primeiro garoto propaganda da Maybelline a um blogueiro homofóbico

Recentemente, Manny Gutierrez, de 25 anos, foi escolhido para...

para lembrar

Justiça define indenização de R$ 90 mil a funcionário vítima de homofobia

Vítima diz que era alvo de piadas de funcionários,...

Homofobia e violência no Sukiya

Jovem foi intimidado e agredido por garçom do restaurante...

Disque 100 recebe mais denúncias de homofobia em quatro dias que em três anos

Em apenas quatro dias, o serviço telefônico Direitos Humanos...

Publicidade da Tiffany’s contempla casais gays

A joalheria norte-americana Tiffany & Co. teve uma excelente ideia publicitária,...
spot_imgspot_img

Homofobia em padaria: Polícia investiga preconceito ocorrido no centro de São Paulo

Nas redes sociais, viralizou um vídeo que registra uma confusão em uma padaria, no centro de São Paulo. Uma mulher grita ofensas homofóbicas e...

ONG contabiliza 257 mortes violentas de LGBTQIA+ em 2023

Em todo o ano passado, 257 pessoas LGBTQIA+ tiveram morte violenta no Brasil. Isso significa que, a cada 34 horas, uma pessoa LGBTQIA+ perdeu...

Justiça manda Governo do RJ pagar R$ 80 mil a Cacau Protásio por ataques em gravação em quartel dos bombeiros

A Justiça do Rio de Janeiro determinou, em segunda instância, que a atriz Cacau Protásio seja indenizada em R$ 80 mil por ataques e...
-+=