Acampamentos deixam gramado do Congresso após confusão entre manifestantes

A polícia teve que usar gás de pimenta para separar os dois grupos: a favor da intervenção militar e defensores do mandato da presidente Dilma

Por  Laisa Queiroz Do Correio Braziliense

Acampados em frente ao Congresso Nacional há um mês, os manifestantes pró-impeachment da presidente Dilma Rousseff deixaram o local pacificamente neste sábado (21/11). Durante a saída, houve uma pequena confusão entre grupos a favor da intervenção militar e pessoas que passavam pelo local e defendiam o mandato da presidente Dilma. Para controlar a situação, a polícia teve que usar gás de pimenta. A corporação também informou que houve bate-boca entre grupos pró e contra intervencionismo

Eles tinham até as 19h de hoje para desocupar a área, segundo determinação dos presidentes da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

PM registra momento da retirada

Na parte próxima ao espelho d’água, onde membros do Movimento Brasil Livre (MBL) montaram acampamento, a Polícia Legislativa, com cerca de 50 policiais, foi responsável por retirar os integrantes. Eles se sentaram no gramado, em protesto, mas tiveram barracas, colchões, alimentos e outros objetos retirados, com a ajuda do Serviço de Limpeza Urbana do GDF. A ação foi pacífica. Entretanto, um grupo se acorrentou ao redor de um boneco inflável representando um militar.

20151121195747865801e

Na parte mais acima, onde ficaram os membros do Resistência Popular, a Polícia Militar, com aproximadamente 40 homens, fez um cordão de choque e se aproximaram. Os próprios manifestantes desmontaram as barracas. Nos vídeos divulgados pela PM, é possível ver que não houve confronto físico, mas os acampados saem sob protesto verbal, alguns deles dizendo palavras como “comunistas” e “bolivarianos” para os policiais.

+ sobre o tema

Após 3 meses, Anvisa decide que uso de máscaras volta a ser obrigatório em aeroportos e aviões no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta...

Leonardo Boff: Dez lições da crise brasileira

Toda crise acrisola, purifica e faz madurar. Que lições...

Em pleno carnaval, Garis paralisam Rio de Janeiro – por Douglas Belchior

  De Douglas Belchior Haiti? África do Sul? Não. É Rio de...

Abolicionismo do século 21

Por: Edson França Completamos no dia 13 de...

para lembrar

Cigana rouba a cena em posse de ministros

Homens em terno escuro e mulheres usando tailleur se...

Predominantes na classe C, negros movimentaram R$ 760 bilhões em 2012

De cada 100 pessoas que entraram na classe C...

Kanye West é bom apesar das polêmicas que cria

Kanye West entrou para o hall dos encrenqueiros...

Michelle Obama cria conta no Twitter e posta foto com novo visual

Michelle Obama resolveu comemorar seu aniversário de 49 anos, nesta...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=