Africanas e afro-brasileiras: falar em sintonia – Patrícia Godinho

Encontros e Desencontros de lá e de cá do Atlântico – Mulheres Africanas e Afro-brasileiras em perspectiva de género” uma colectânea de textos de africanas e afro-brasileiras sobre a realidade feminina no Brasil e em África – livro co-organizado por Patrícia Godinho e Cláudio Furtado.

Por Dulce Araújo do, Vatican News 

Patricia Godinho Gomes – historiadora da Guiné-Bissau (Reprodução/ Vatican News )

Patrícia Godinho Gomes é uma intelectual da Guiné-Bissau. Viveu muitos anos em Itália, país ao qual permanece ligada e onde se doutorou no ano de 2010 em História e Instituições da África pela Universidade de Cagliari (ilha da Sardenha).

Em 2014 transferiu-se para o Brasil, onde é actualmente Professora Associada no Programa de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos, na Universidade Federal da Bahia.  E foi ali que organizou, juntamente com o sociólogo cabo-verdiano, Cláudio Alves Furtado, a obra “Encontros e Desencontros de lá e de cá do Atlântico – Mulheres Africanas e Afro-brasileiras em perspectiva de género”, publicada em 2017 pela Casa Editora daquela Universidade – EDUFBA. Trata-se de uma colectânea de textos sobre realidades femininas no Brasil e em países africanos escritos por africanas e afro-brasileiras.

Pluralidade feminina

Um livro que põe em foco a pluralidade feminina. Surgiu na óptica da colaboração sul-sul e do reforço das relações África-Brasil. A obra está a ser bem acolhida no Brasil. Espera-se que possa chegar também às livrarias africanas, pois que é precioso não só para estudantes, mas também para a política e organizações da sociedade civil em geral, a fim de ajudar a “dobrar a língua”, falar em sintonia.

Patrícia não é só organizadora do livro, mas tem também um texto nele: “Mulheres emancipadas e invisíveis: as mulheres guineenses na produção intelectual do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas” em que fala de pesquisas sobre mulheres feitas por mulheres nesse Instituto da Guiné-Bissau.

Essas pesquisas não são muitas e por isso se fala de invisibilidade, mas as mulheres guineenses continuam a ir para a frente do ponto de vista sociopolítico, no empenho pela paz e estabilidade etc.

No Brasil há quatro anos, a residir no Estado da Bahia, considerado o lugar com mais negros fora da África, Patrícia fala do seu encontro com o Brasil e do trabalho de construção de relação com base naquilo que há de comum entre brasileiros e africanos.

São estes os pontos tratados na entrevista que concedeu ao Programa Português, aquando da sua recente passagem por Roma e em que começa por explicar a origem do livro:

+ sobre o tema

Corra! leva Oscar de Melhor Roteiro original

Corra leva Oscar de Melhor Roteiro Original Corra! venceu Doentes...

Última música do Sabotage. Último livro de Carolina

“Todas as nôistes eu dava duas viagens. Eu ia...

Uma lista de autores / livros africanos

Se querem diversificar as vossas leituras e não sabem...

para lembrar

Batekoo lança selo musical de artistas negros

Coletivo que nasceu na Bahia apresenta novo projeto de...

Consciência Negra: Uma pratica ou estado de espirito?

Por Reginaldo Bispo Consciência é um estado puramente reflexivo, resulta...

Por vídeos Snoop Dogg convida Neymar e Anderson Silva para show SWU

O rapper Snoop Dogg é fã do Brasil e,...

Estudiosos revelam como intelectuais negros atuaram na Abolição

Eles negam, por exemplo, que Machado de Assis tenha...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Sambista ligada ao rap, Leci Brandão rebate críticas de Ed Motta: ‘Elitista’

Leci Brandão, 79, rebateu com estilo as recentes declarações de Ed Motta, que chamou de "burros" os fãs de hip hop, "sem exceção". Sem citar...

Rihanna já tem atriz favorita para possível cinebiografia

Rihanna está se antecipando em relação a como quer ser vista, caso sua história venha a ser uma cinebiografia em algum momento do futuro. A cantora...
-+=